08 março, 2015

Economia instável faz estudantes estrangeiros desistirem do Brasil

A instabilidade econômica que afugenta profissionais brasileiros e estrangeiros do Brasil espanta também estudantes que vieram ao país no auge do interesse externo.


A Universidade de Pittsburgh (EUA), que em 2009 lançou um programa de estágio de dez semanas para trabalho voluntário em organizações no Brasil, desistiu desse modelo. A longa estadia virou uma visita de pouco mais de uma semana.


O projeto foi adaptado pela falta de vagas oferecidas. Apesar de o trabalho ser voluntário, as empresas tinham custos ao receber estudantes.


"Acredito que seja provisório. Ainda há interesse no país, por ser uma economia em formação. As empresas continuam querendo se expor aos talentos e vice-versa", diz Karla Alcides, diretora para América do Sul do programa de MBA e do centro de educação da universidade.


Na portuguesa Nova School of Business & Economics, que organiza viagens anuais com alunos a São Paulo e Rio, a demanda dos estudantes caiu a ponto de a visita ser cancelada neste ano.


O interesse de universitários americanos que buscam intercâmbio para cursar disciplinas em instituições brasileiras começou a perder força em 2012, conforme dados do Institute of International Education.


O número de alunos, que crescia a taxas superiores a 10% desde 2009, caiu para 4%, com cerca de 4.200 alunos em 2012 e 2013, último dado disponível. A China recebeu mais de 14,4 mil alunos americanos nesse período.


"A China é vista como potência e tem mais cursos em inglês. Mas o governo americano também tem incentivado viagens à América Latina", diz Marta Bidoli Fernandes, coordenadora da rede EducationUSA no Brasil, que promove o ensino nos EUA.


Paulo Rocha e Oliveira, professor do espanhol Iese no Brasil, diz que o interesse dos alunos da instituição pelo país continua aumentando. Ele atribui isso aos investimentos feitos pelo Iese para firmar base no Brasil, como a manutenção de professores fixos no país e o desenvolvimento de novos programas.


As visitas de uma semana a empresas em São Paulo e no Rio tiveram 14 alunos em 2014, o dobro de 2012.

"Os estudantes percebem que a demanda por mão de obra qualificada ainda é enorme no país, mesmo com a crise atual."



Nenhum comentário:

Postar um comentário

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI