16 março, 2015

Resposta do governo a protestos foi um 'desastre', diz Cunha


Protestos de março de 2015




Grupos fazem ato contra o governo na Esplanada dos Ministérios em Brasília Leia mais sobre os protestos

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), chamou de "desastrosa" a reação do governo às manifestações contra a administração da presidente Dilma Rousseff neste domingo (15). 



Questionado nesta segunda (16) sobre a atuação dos ministros José Eduardo Cardozo (justiça) e Miguel Rossetto (Secretaria-geral), Cunha foi rápido: "um desastre", disse, em alusão ao pronunciamento dos ministros na noite de domingo em resposta aos protestos.


Cardozo e Rossetto avaliaram, em nome do governo, as manifestações como "democráticas" e "longe de golpismos". Como resposta aos atos, anunciaram que o Planalto encaminhará nos próximos dias ao Congresso propostas antigas de campanha para o combate à corrupção e à impunidade. 


Sem dar detalhes e indicar um prazo específico, o ministro indicou que um dos principais pontos será o fim do financiamento privado de campanhas eleitorais. A proposta não tem consenso no Congresso e deve enfrentar resistências, como do PMDB –partido do presidente da Câmara. 


O PT é o partido que defende com mais ênfase a medida. 


Cunha disse que não é com sectarismo que se responde aos movimentos de rua. Em entrevistas, ele minimizou o argumento de que a reforma política seria a saída para a crise. 


"Não vi ninguém na rua protestando pela reforma política. O protesto foi pela reforma do governo." 


Cunha se reuniu com empresários na Fiesp e foi aplaudido ao repetir uma máxima de sua campanha para a presidência da Câmara: "O PT não tem amigos. Tem servos", afirmou.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI