31 maio, 2014

Valmir Camilo: "VITÓRIA DA DEMOCRACIA NA PREVI"

“Colegas,

Estou muito feliz com o resultado do processo eleitoral da Previ.

Claro que muito pela vitória da Chapa 3 - Previ Livre, Forte e de Todos.
Mas também pela derrota dos métodos mais atrasados de se fazer política.

Dos 90.284 votantes, 65.177 fizeram opção por chapas que debateram propostas.
Apenas 25.107 aceitaram votar nas propostas, carregadas de agressões e mentiras.

Parabéns aos eleitores, parabéns aos aposentados que cresceram em número de votantes.

Parabéns aos componentes das Chapas 1 e 2. Podem comemorar, fizeram uma campanha limpa.

Não queria entrar na campanha, a turma da CONTRAF/CUT me colocou nela.
Acho que posso comemorar um pouquinho.

Como aposentado e eleitor, espero que as promessas sejam cumpridas.
Podem começar suspendendo a cobrança das contribuições do Plano 1.
Aumento real 4,8% (quatro virgula oito por cento) vai ajudar aposentados e da ativa.

Um forte abraço.
VALMIR CAMILO”




Em primeiro lugar, venhamos e convenhamos, "quem fala assim não é gago". Se havia alguma dúvida de que Valmir Camilo estava apoiando a Chapa 3, a chapa valmista, agora não há mais.


É claro que eu queria que a Chapa 1 fosse a vencedora, no entanto, eu costumo dizer que eu não sou nem otimista tampouco pessimista: sou realista. Mas, como estávamos concorrendo havia sim uma probabilidade muito pequena de ganharmos. Não ganhamos, mas, daí a dizer que perdemos vai uma distância muito grande, posto que os nossos votos, se juntos com os da Situação, dariam a vitória àquela chapa de malditos malfeitores e isto sim, seria uma derrota, física e moral. Portanto, podemos dizer com todas as letras que nós da Chapa 1: perdemos ganhando!



Em segundo lugar, peço licença para discordar, peremptoriamente, de Valmir Camilo quando ele afirma que a Chapa 2 fez uma campanha limpa. Não mesmo! A menos que ele não se lembre da manchete divulgada publicamente em vários grupos yahoo e facebook pelo candidato Macilene Oliveira: "As chapas 1 e 3, que concorrem às eleições da PREVI, acabam de anunciar que estão se retirando da disputa e que indicam o voto na CHAPA 2 - UNIÃO E PARTICIPAÇÃO". Manchete esta que eu classifico como um legítimo Estelionato Eleitoral. De acordo com informações não oficiais a Sra. Cecília Garcez já teria entrado com uma representação contra aquela chapa. Se isso é fazer campanha limpa, doravante estarei fora de todos os processos eleitorais.

Uma outra pequena correção é a respeito das contribuições vertidas pelos ativos à PREVI não são de 4,8% e sim de 7.8% conforme regulamento vigente da nossa Caixa de Previdência.



Aproveitando a deixa, quero dizer aos leitores deste blog que a partir de agora é a hora das avaliações e portanto, da ressaca moral. Aguardem.

Leopoldina Corrêa

30 maio, 2014

Sede da PREVI: menos PT


Depois que a FUNCEF derrotou a CONTRA/CUT nas Eleições 2014, o mínimo que se podia esperar dos funcionários do Banco do Brasil, era que nós também fizéssemos o mesmo em relação à PREVI. Fosse a chapa que fosse: a 1, 2 ou 3, não podíamos pecar mais elegendo a chapa 4.

Bingo! A Situação perdeu de lavada, lavando assim, a alma de tantos associados que se rebelaram contra o jugo cruel desta casta de malfeitores que se locupletaram por mais de uma década tramando as mais frias armadilhas contra o nosso Fundo de Pensão.

Não me sinto vingada, mas justiçada. Estou muitíssimo orgulhosa do nível de conscientização dos meus colegas e isso eu quero esfregar na cara de José Ricardo Sasseron e de Célia Laríchia, e de outros que nem vale à pena citar. Este feito me dá uma tremenda satisfação poder  gritar para Sasseron e sua "Articulação” : “Sasseron, nós vencemos você !!! Saia das nossas vidas seu demônio!!!"

“Todo processo de mudança é longo, mas tudo começa com um pequeno passo. Assim, mudar a nossa PREVI não se faz em uma eleição, mas que tal começar já essa mudança?” Estas foram as palavras de uma das  apoiadoras da Chapa 1: Isa Musa de Noronha, e não é que ela tem razão!

Daqui a 2 anos tem mais eleição, é quando nós vamos expulsar o resto da trupe do mal. Infelizmente, já li a notícia de que Dan Conrado será renomeado presidente na PREVI mas, isso também será reparado quando Dilma Rousseff perder as próximas eleições.

Agora deixo você com a matéria da Veja que eu considero a notícia mais esperada do ano por todos os funcionários do Banco do Brasil, ativos e aposentados:


Assim como ocorreu na Funcef, o PT sofreu uma derrota expressiva nas eleições de ontem para o conselho deliberativo da Previ.

O PT, que disputava a eleição concentrado na chapa 4, perdeu uma eleição na Previ pela primeira vez em quatorze anos. Teve 22% dos votos.

Ficou atrás da chapa 3, ligada a Valmir Camilo, ex-presidente da associação nacional de funcionários do Banco do Brasil. que conseguiu a preferência de 31% dos eleitores. Camilo sempre foi opositor da turma de Luiz Gushiken, que entrou em 2000 e reinou até ontem.

Numa palavra, como ressalta quem entende a alma dos grandes fundo de pensão estatais, os funcionários de estatais rejeitaram as chapas do PT.
Por Lauro Jardim

Fonte: Veja

29 maio, 2014

Porque os aposentados continuam não votando?

Meus Caros Colegas,

Eu tenho lido alguns comentários de colegas sobre a grande ausência, o que é uma realidade, embora uma constante, de parte dos aposentados às eleições da Cassi e da Previ, classificada, no geral, como omissão, conformismo, indiferença, desinteresse, insensibilidade, inércia, desconhecimento, entre outros conceitos e definições, porém, embora todas estas condicionantes citadas sejam partes integrantes do fato, elas não representam e nem traduzem, tenham absoluta certeza, os principais motivos, quais sejam, entre outros, o descrédito, a indignação e até mesmo revolta.

Esta constatação foi fruto de vários contatos com colegas, em diversos momentos, objetivando, exclusivamente, convencer aqueles ainda resistentes a voltarem a exercer o direito de escolher os seus candidatos para dirigir os destinos de nossas Instituições.

Consegui alguns, é fato, mas, confesso-lhes, lamentavelmente muitos faltam conscientemente. Vejam, a seguir, o que ouvi de grande parte dos colegas contatados:"Estão levando a política partidária pra dentro da Previ e da Cassi", disseram alguns deles; "os membros das diversas chapas se degladiam entre si, com acusações vergonhosas, ameaças etc., tentando derrubar o outro, ao invés de mostrar o programa de trabalho de sua chapa", falaram outros; "um acusa a chapa "X" de ser do PT, outro acusa a chapa "Y" de ser do grupo de fulano de tal, outro diz que a chapa "Z" é comandada pela CUT etc., etc., simplesmente confundindo o eleitor. E o que é pior: o atacado limita-se tão somente a contra-atacar e não se defender", comentaram outros; "existem pessoas boas nesse meio, mas  quem?" Perguntou alguém... Em uma hora dessas um se dirigiu diretamente pra mim e perguntou: e nós aqui que não conhecemos nenhum deles, nunca os vimos, não sabemos nem quem são e quais as suas reais intenções, como é que podemos ter consciência de estarmos votando na pessoa adequada? Eu prefiro pecar pela omissão do que pelo erro. Se você conhece, Marreiro, parabéns, o seu voto é consciente, mas eu, meramente votando por votar ou por simples indicação, não dormiria com a consciência tranquila."

Esta, meus queridos colegas, foi a lamentável fotografia que consegui obter da "realidade das urnas" nestas eleições. 

Grande abraço.
Marreiro
João Pessoa-PB

28 maio, 2014

Mensagem de agradecimento


Prezados colegas, amigos e eleitores, 
 



Encerrado o processo eleitoral PREVI 2014, nós da chapa 1 ÉTICA E TRANSPARÊNCIA sentimo-nos  honrados e gratificados por ter participado de tão importante pleito, num verdadeiro exercício de democracia, presente no respeito ao direito das minorias e na supremacia da maioria, que referendou o vencedor do pleito.


A Equipe da Chapa 1 agradece sensibilizada cada voto de confiança recebido de cada associado, que representa para nós a aprovação do programa apresentado, das nossas propostas, da escolha dos nossos candidatos e do nosso comportamento durante o processo eleitoral, sempre pautado pela ética, transparência e respeito aos colegas associados - ativos, aposentados e pensionistas. 


Temos certeza de que a Chapa 1 inaugurou um novo modelo de participação em processos eleitorais no âmbito das Entidades Cassi e Previ.


A manifestação de concordância pela postura, os elogios e os agradecimentos pela maneira com que conduzimos nossa participação no pleito engrandecem e alegram nossa Equipe, que se compromete agir sempre em benefícios dos associados e das entidades PREVI, CASSI e BB.


Muito obrigada e que o “Maior” conduza os novos gestores e nossas Entidades para o caminho do crescimento e do orgulho dos seus legítimos donos.


EQUIPE CHAPA 1

ETICA E TRANSPARÊNCIA

Resultado: 3 . O vídeo foi o sexto sentido...

Eu ainda não sei o resultado dessas Eleições PREVI 2014, mas qualquer que seja o resultado, meu sentimento é este:

OUÇA >GENTE HUMILDE

27 maio, 2014

ESTELIONATO ELEITORAL COMETIDO PELA CHAPA 2 - ELEIÇÕES 2014


Caros associados da PREVI, 


Divulgo email recebido do colega Gilvan Rebouças, onde não preciso acrescentar uma única palavra para que esta postagem, por si só, seja perfeitamente compreendida:

De: arbane borges dos passos
passosborges@hotmail.com
Data: 05/27/14 13:04:50

Assunto: Previ - Queremos Mudanças Já
 

Prezado colega não é só a chapa 4. eu fui induzido a votar errado porque recebi uma mensagem informando que as chapas 1 e 3 haviam desistido de concorrer e estavam indicando a transferência dos votos para a chapa 2 que elas estavam apoiando, indicando que todos deveriam votar na chapa 2. Acreditando que colegas merecem credibilidade não duvidei da informação e votei naquela chapa. Só depois recebi outra mensagem informando do golpe desonesto dos  colegas que pertencem aquele grupo. Acho que seria motivo para ação judicial contra aquelas pessoas que já manifestam as suas intensoes desonestas antes mesmo das eleiçóes. O que farão se vencerem as eleições?
Acho que alguma coisa precisa ser feita para evitar a ação daquele grupo,
Caso precise mandarei cópia das referidas mensagens.
Como sua divulgação é abrangente peço que divulgue mais esse golpe.
Abraços
Arbane

26 maio, 2014

O APOIO DE ISA MUSA À CHAPA 1 ÉTICA E TRANSPARÊNCIA

Para oferecer maior e melhor oportunidade dos associados da PREVI conhecerem os candidatos da Chapa 1 - ÉTICA E TRANSPARÊNCIA, voltamos a publicar o vídeo com o apoio da nossa colega Isa Musa de Noronha  que empenhou sua confiança na nossa Chapa número 1.

23 maio, 2014

MATERIA DO VALOR ECONÔMICO RESALTA A GRANDE AMEAÇA À CUT NA PREVI

VALOR ECONÔMICO DESTACA o avanço da CHAPA 1  e a grande ameaça que ela se tornou ao "reinado" CUT na PREVI.

EX DIRETOR RECONHECE QUE A RECENTE MOBILIZAÇÃO DOS “INDEPENDENTES” EM TORNO DA CHAPA 1 ÉTICA E TRANSPARÊNCIA PARA AS ELEIÇÕES DA PREVI  AMEAÇA O REINADO DA CONTRAF\CUT PLANTADO NA PREVI DESDE O ANO DE 1998.

Remember


Prezada Cecília,

Há 30 anos nos conhecemos. Nossa amizade começou lá em 1984, quando eu trabalhava em Araruama, Região dos Lagos do Rio de Janeiro, e você na vizinha Saquarema, agência subordinada à minha. Reencontramo-nos na década de 1990, quando eu militava no Sindicato dos Bancários do Rio, e você no Sindicato de Niterói, ambos ligados à CUT.

Logo depois encerrei minha militância sindical, concluí a faculdade de Informática e fiz seleção para a Previ, onde estou até hoje. Já você continuou na política, na Anabb, integrando o grupo do Valmir Camilo.

De novo nos cruzamos em 2004, quando você veio para a Previ como Diretora de Planejamento, eleita em aliança com a Articulação. Essa aliança durou até a eleição de 2010, período em que a Previ obteve os melhores resultados, chegando a distribuir quase 30 R$ bilhões aos associados, até ser atingida pela crise econômica mundial de 2008.

A aliança não pôde ser mantida em 2012, em razão das graves questões éticas envolvendo o seu mentor Valmir Camilo.

Na eleição atual, eu pretendia continuar isento, como sempre fiquei. Mas ao receber um email assinado por você, reproduzindo matéria publicada em um jornal que faz oposição diária ao PT e ao governo federal, tratando das nomeações dos conselheiros da Previ, fui obrigado a me manifestar. Essa matéria foi claramente plantada pelo seu grupo, com participação do seu partido, o PPS, que é um partido auxiliar do PSDB.

O que me causou indignação é que você sabe, melhor que eu, que a matéria é uma mentira. Você participou por vários anos dos processos de seleções e sabe que os critérios são absolutamente técnicos e que as listas são elaboradas pelos funcionários da Diretoria de Participações após rigorosa análise dos currículos.

Agindo assim, você desrespeita os servidores da entidade e pode trazer sérios prejuízos financeiros e de imagem à Previ – fato que, pelo visto, você não teve a menor preocupação.

Você sabe que Luiz Carlos Teixeira (Ultrapar e Sete Brasil) e Antonio Carvalho (Ipiranga Petróleo, Sauípe S.A e Forjas Taurus), integrantes da sua chapa, bem como o mentor da sua chapa Valmir Camilo (Paranapanema), sua esposa Denise Vianna (Jereissati Part.), o William Bento (Tupi), seu cabo eleitoral, além da Graça Machado, Emílio Santiago, Jr. Lacerda, todos indicados pela Previ, exercem ou exerceram até pouco tempo atrás cargos em conselhos de empresas. Aliás, o Sr. Valmir saiu da Paranapanema no mês passado.

Você, que foi conselheira por tantos anos a partir de 2004 na CPFL e na Embraer, saiu de lá há pouquíssimo tempo, sabe que se o que você afirma fosse verdade, seus aliados e você não teriam sido conselheiros.

Por fim, Cecília, eu me pergunto que tipo de administradora a Previ teria, se para chegar a esse posto você recorre ao “vale tudo” que está recorrendo agora?

Um abraço,

Glauber Queiroz
Funcionário do Banco do Brasil há 33 anos e associado da Previ

22 maio, 2014

Cumprindo decisão judicial

Caros colegas,


Em cumprimento a uma liminar judicial proferida pela M.M. Juíza da 10 ª Vara Civil da Comarca de Curitiba-PR, no processo de no. 0013520-18.2014.8.16.0001, ingressado pelo representante da AAPPREVI, requerendo minha condenação em Danos Morais, no valor de R$ 5.000,00 (cinco mil reais), venho demonstrar que pelo fato de ter comunicado neste espaço, teor de e-mail enviado pelo próprio representante da AAPPREVI, para vários grupos Yahoo, blogs que compõem o ambiente virtual dos aposentados e associados da PREVI, nosso fundo de pensão, demonstrado abaixo, cuja matéria motivou opiniões diversas e recebimentos de outros inúmeros e-mails, dentre os quais colegas da mesma categoria de aposentados, indignados com as informações que não condiziam com a realidade dos fatos, tendo inclusive um deles ter expressado publicamente de “... me comprometo a não me imiscuir em suas picaretagens...”. Tendo sido o que determinou a situação caracterizadora do dano moral à AAPPREVI, conforme alegado. Percebam que o termo “picaretagem” não foi de minha autoria e sim do nobre colega Arthur Tolendall Pacheco. Por que o colega Tolendall não foi acionado na justiça? Simples: O representante da AAPPREVI utiliza a justiça para tentar barganhar um possível acordo com as duas ações, uma cível e outra criminal, que movo contra ele.

Como não poderia ser diferente, diante dos meus leitores e assinantes, retiro, a partir deste momento, o post “SUCUMBÊNCIA NA AAPPREVI: má condução ou picaretagem?”, em respeito à justiça, contudo, também me obrigo a enfrentar a situação esclarecendo a mesma justiça, o outro lado dos fatos, do qual fui vítima de ataques pessoais e grosseiros feitos pelo represente dessa entidade. Demonstrarei e provarei a mesma justiça que ora me condena de que ninguém é dado se valer da própria torpeza e utilizar a Justiça como moeda de troca.

Por derradeiro, já cumprido o objeto do presente processo, ou seja, realizada a retirada do vídeo e a retratação, e vislumbrando que não houve ainda a ocorrência caracterizadora de dano moral, demonstrada em minha defesa, que seja posto fim a presente demanda que não acrescenta nada, nem como cidadãos, nem muito menos no campo da consciência política, utilizando a máquina judiciária para alimentar divergências menores, no campo pessoal, quando na verdade o importante são as disposições de avanço político que nossa categoria  de aposentados necessita, e que de forma voluntária, como também sou jornalista, evidencio em matérias com o intuito de trazer benefícios a todos nós.


Troca de e-mails que originaram a postagem ora retirada:

Fernando Arthur Tollendal Pacheco - tollendal@abordo.com.br
Para:Milton Bertoco
Cc: Leopoldina Corrêa
Re: [bbfuncionarios] CAPEC: Pedido de exclusão    22 de fevereiro de 2014 19:47

Prezado Amigo,

As supostas explicações desse senhor parecem-me desenvolvidas em torno de várias incorreções e muitas interpretações distorcidas. Ao divulgá-las em nosso grupo sem o correspondente esclarecimento, estaremos apenas contribuindo, segundo creio, para o ajudar essa pessoa a ampliar cada vez mais a arrecadação financeira da associação que organizou entre colegas, fazendo-lhes em proveito proprio promessas que, no meu entender dificilmente poderão ser cumpridas.

Desculpe-me este comentário, porém eu não me sentiria bem sabendo que uma pessoa séria como você está abonando com o seu nome, em nossa lista, uma iniciativa que considero prejudicial. Lembro que ele não foi aceito no nosso grupo, o qual com a sua iniciativa acaba sendo usado para fins reprováveis.

Desejo-lhe um bom fim de semana,

Tollendal

 
------------------------------------------------


Prezado Colega Tollendal.

Custo a crer que o comentário abaixo seja de sua autoria, como declarado por quem dele me deu conhecimento. Por isso, encareço confirmar se responde pelo que ali está escrito e, em caso afirmativo, explicar as razões que o levaram a fazer tal juízo de valor acerca da minha pessoa.

Para tanto, valho-me da suposição de que sempre mantivemos bom relacionamento, sem que, de parte a parte, posturas comportamentais motivassem maldosas críticas. Esse detalhe, além de indicar respeito mútuo, também registra firmeza de caráter exigida de pessoas que não são dadas a imputar acusações através de terceiros, às escondidas, com isso negando direito de defesa ao atingido.

Também, se suas as declarações imputadas, ao que me consta nunca pedi para fazer parte de nada que o nobre colega possa chamar de "nosso grupo".

Transcrevo a seguir a questionada mensagem como me chegou.

Atenciosamente,

Marcos Cordeiro de Andrade


------------------------------------------------


Aqui está a citada postagem onde consta o termo picaretagem. Novamente, tornada pública, eis que amplamente divulgada em grupos yahoo:

Fernando Arthur Tollendal Pacheco
tollendal@abordo.com.br
Para: Presidência - AAPPREVI
Cc: Grupo - Funcionários-BB
Pedido de esclarecimentos              27 de fevereiro de 2014 13:11

Senhor Marcos,

Não me considero reformador do Mundo, porém peço que pondere um fato que me parece indiscutível: não costumo referi-me a suas atividades nessa associação que organizou, no meu modo de entender as coisas - e muito espertamente - para enganar a nossos ingênuos colegas e deles tirar proveito pessoal.

Proponho-lhe então que continuemos como até agora: nem V. Sa. se dirige a mim, nem eu o incomodo em nada. Vá em frente, procure iludir os colegas como lhe parecer melhor, ficarei quieto no meu canto; se são tolos, é problema só deles, não tenho nada a ver com isso.

Então, não me peça esclarecimentos, não me aborreça, que eu de minha parte também me comprometo a não me imiscuir em suas picaretagens. Não se meta comigo e eu ficarei igualmente quieto do meu lado. Creio que seria melhor para nós ambos.

Ficarei feliz se não voltar a dirigir-se a mim: sinceramente, pessoas como você não me agradam, prefiro não ter convívio com gente assim, acho que é melhor dessa forma, cuide da sua vida que eu cuidarei da minha, certo?

Deixe-me em paz, só isso!

Tollendal

20 maio, 2014

BATE BOLA ENTRE ISA MUSA E CHICÃO DA PB

DE: ISA MUSA DE NORONHA

PARA: CHICÃO DA PB

Prezado Chicão,

Você sabe que a despeito de nossas divergências pontuais, nutro enorme respeito por você, reconhecendo sua integridade e a pessoa humana excepcional que você é.

Você sabe que meu voto é para a Chapa 1 Ética e Transparência, e posso lhe esclarecer em seu próprio texto, as razões do meu apoio pessoal, ínfimo, eu sei, pois é apenas um voto e uma escolha pessoal.

 Vejamos minhas respostas, ponto a ponto, em meio ao seu texto:

  Raio X das Chapas - Eleições PREVI 2014

 CHICÃO DIZ: Creio que para nos representar bem, uma chapa:
 CHICÃO DIZ: não pode ser só tecnicidade, visto que isso o pessoal indicado pelo banco tem, porém eles não nos representam.
 
ISA RESPONDE: Certo. Competência e formação são requisitos necessários, mas não podem ser únicos. Isso a Chapa 1 tem de sobra e alia o preparo de seus membros aos cargos de Diretor e Conselheiros Deliberativos e Fiscais à independência e firmeza de propósitos que se coadunam com os verdadeiros interesses de participantes e assistidos.


CHICÃO DIZ: II - não pode se arvorar por radicalismos utópicos que podem travar o processo, o que não é adequado para a gestão da Previ que é compartilhada entre eleitos e indicados pelo banco.

ISA RESPONDE: Certamente, radicalismos e palavras de ordem não resolvem as questões pendentes na PREVI. Em uma gestão compartilhada, não se vence no grito, mas com fatos, dados, argumentos e poder de convencimento. Novamente, os colegas Arnaldo e Ítalo detêm capacidade técnica e política para aprofundar uma discussão enfrentando o antagonismo do Patrocinador BB.

CHICÃO DIZ: III - não pode deixar dúvidas entre defender o seu próprio grupo ou defender todos os associados; também não pode divulgar mentiras e impropriedades, para tentar plantar dúvidas sobre o patrimônio da PREVI, visando aterrorizar ou enganar os associados. Quem não tem ética na eleição, não terá depois.
 
ISA RESPONDE: Dirigir a PREVI ou atuar nos Conselhos da PREVI significa doar seu conhecimento e formação em favor dos objetivos do Plano, sabendo que há a figura do Patrocinador de um lado e participantes e assistidos de outro. Não se pode estar em confronto com uma das partes, pois somente existe um, se existe o outro. Acompanho atentamente a atual campanha e observo que componentes e apoiadores da CHAPA 1 ÉTICA E TRANSPARÊNCIA têm pautado a campanha de forma propositiva, sem agressões, sem inverdades e principalmente respeitando colegas e chapas adversárias. Esse é o espírito.

CHICÃO DIZ: IV – portanto, entendo que a Chapa 4 ainda é a opção mais adequada para gerir nossos recursos, conforme dados abaixo. Entendo que não prudente mudar a Previ, por insatisfações pontuais, pois, como nosso futuro depende da PREVI, não podemos fazer experimentos com a gestão.

ISA RESPONDE: Permita-me dizer que seria salutar que, desta vez, houvesse na PREVI o contraponto, o debate e isso somente será possível, em bom nível e com idéias novas, propostas factíveis, concretas, se houver novos colegas, sem a vinculação política partidária que hoje reina na Previ, ou seja, os companheiros da Contraf-Cut. Não será nenhuma "experiência", mas a possibilidade do contraditório, de teses distintas, diferentes do que hoje defende o status quo da Previ e para isso os companheiros da CHAPA 1 estão perfeitamente habilitados.

 CHICÃO DIZ: ALGUMAS VERDADES:

CHICÃO DIZ: PATRIMÔNIO DA PREVI – os investimentos da PREVI são altamente sólidos e não existem mais micos. Quem disser que há risco para o associado está fazendo terrorismo, pois os benefícios futuros da PREVI somam cerca de R$ 114 bi e, mesmo com a crise mundial, ela tem um patrimônio de R$ 175 bi. A PREVI tem R$ 105 bi em ações (cerca de 65% do patrimônio) e quando a bolsa reagir, na minha opinião daqui a 1 ou 2 anos, a tendência é que seu patrimônio seja turbinado, pois a crise mundial já se estabilizou e a economia dá sinais de que vai voltar a crescer a qualquer momento. As sobras livres da PREVI somam cerca de R$ 24 bi; isso é muito positivo, pois outros fundos, a exemplo do FUNCEF, fecharam 2013 com recursos inferiores aos compromissos futuros.
 
ISA RESPONDE: Verdade, mas eu proponho discutir uma tese (da qual sei que dela partilham os colegas da Chapa 1):

 A PREVI tem patrimônio invejável, mas aposentados e pensionistas convivem com benefícios reajustados há anos por valores ínfimos, causando queda no poder aquisitivo.

As pensionistas, reclamam, e com razão, que até o INSS paga 100% de pensão. O benefício mínimo envergonha a Previ, pois não chega a 1.000,00 enquanto a atual gestão defende que o benefício máximo - o tão falado Teto - seja o absurdo salário de Diretor. Note que os vencimentos de Diretor do BB não estão sujeitos à negociação salarial pela categoria. São fixados pelo Conselho de Administração do Banco e então.... O céu pode ser o limite.

A chapa 1 defende que se estabeleça um teto, pelo último posto que qualquer funcionário possa chegar (creio que do Contador Geral) e que esteja sujeito aos mesmos índices de reajuste da categoria. Tem mais.... É preciso analisar com olho clínico e discussão aberta a todo o funcionalismo qual a estrita necessidade das Reservas capaz de assegurar o pagamento do último benefício ao último participante ou assistido do Plano 1 e, com as sobras, REVER o Plano de modo a ajustá-lo ao público alvo, com segurança, sem jogar dinheiro fora, mas também sem sonegar o que cada aposentado/pensionista pode ter.


CHICÃO DIZ: FIM DO BET – o BET acabou por imposição legal; e mente quem diz que foi devido a qualquer votação. Pela norma legal, os recursos que estavam separados para pagar o BET tinham que recompor a Reserva de Contingência (sobras que devem existir de até 25% das obrigações do Plano); mas que, devido à baixa da Bovespa só ficou em cerca de 21%, ou R$ 24 bi.

ISA RESPONDE: Sim, o BET acabou por imposição legal, sempre foi "temporário", mas a antecipação de seu fim, por voto dos colegas eleitos, fere nossa dignidade. Poderiam nossos eleitos ter provocado pelo menos que o Banco fosse forçado a usar o Voto de Minerva.
 

CHICÃO DIZ: Apoio sindical – Se com sindicatos as coisas para o trabalhador já são difíceis, imagine se não tivesse sindicato.

É estranho que algumas pessoas durante disputas para representar a base, usem como argumento o ataque ao movimento sindical, pregando uma suposta neutralidade ou independência, pois na hora “h” essas pessoas podem achar que não tem a quem dar satisfação a ninguém. Na verdade é preciso, sim, dar satisfação aos associados. E nas horas difíceis ainda é o sindicato a quem o trabalhador pode recorrer ou quem tem como voz.

ISA RESPONDE: o Movimento Sindical a que você bem conhece e no qual militamos juntos por anos foi responsável pelas maiores conquistas da categoria no passado. Hoje, representado em sua maioria esmagadora pela CONTRAF-CUT, tornou-se linha auxiliar das políticas do Governo do PT.

Precisamos sim, construir uma oposição sindical consistente, forte, capaz de mover a massa de trabalhadores para que o sindicato seja a voz e a força do trabalhador. Não prego neutralidade ou independência das bases, mas há muito que a CONTRA-CUT não escuta as bases.

 

CHICÃO DIZ: Por tudo isso acho que a opção mais segura ainda é a CHAPA 4 – Unidade e Segurança na Previ.

ISA RESPONDE: Por tudo isso, caro companheiro, é que eu lhe asseguro com toda a convicção de que a alternativa ao poder concentrado da CUT na PREVI é a CHAPA 1 ÉTICA E TRANSPARÊNCIA.

Com apreço
Isa Musa de Noronha
CHICÃO DIZ: Chicão – PB
Ex Conselheiro Fiscal da Previ
Dirigente no Sindicato dos Bancários - PB.


UM ADENDO:
Corroborando com as respostas elucidativas de Isa  Musa aplico aqui parte de uma matéria do "Valor Econômico"sobre as Eleições PREVI.

"Na Previ, a disputa conta com quatro chapas. A Ética e Transparência é liderada por nomes da área técnica do fundo e do BB, sem vinculação partidária direta. Ela foi inscrita nos momentos finais e é uma dissidência de um grupo que tentava criar um bloco único de oposição à situação.
As forças mais tradicionais no fundo estão divididas em outras três chapas. A Unidade e Segurança é vinculada ao bloco Contraf/CUT/Construindo Novo Brasil (CNB, antiga Articulação do PT), atual ocupante das vagas. A chapaPrevi Livre, Forte e de Todos é formada por um grupo ligado ao aposentado Walmir Camilo, ex-presidente da Anabb, uma das maiores associações de aposentados do BB. Lideranças mais à esquerda no movimento dos bancários, ligadas ao PSTU e a outras correntes sindicais, formam a União e Participação.
As razões de insatisfação, porém, não são as mesmas nas duas entidades. Na Funcef, as maiores críticas recaem sobre a estratégia de investimento do patrimônio do fundo, com a utilização das reservas em investimentos apontados como menos rentáveis. Na Previ, há enorme insatisfação em torno da redução de benefício e do aumento das contribuições, decorrente de uma distribuição de resultado que beneficiou, além dos participantes, a patrocinadora."

    Leia mais ➤ As tais conquistas alardeadas
   

Vida Real, Fundo de Pensão: PREVOS E PREVOS FUTURO.



Meus caríssimos colegas,

Vejam que vídeo interessante. Eu tenho a impressão que eu já vi este filme antes. 

Este é um documentário escrito por Gerardo Santiago. Tipo assim... estórias da Vida Real de milhares de aposentados que têm a infelicidade de em suas vidas a mão corrupta de um partido que locupleta-se à custa de tantos e tantos inocentes.

19 maio, 2014

Um novo apoio à Chapa 1 - ÉTICA E TRANSPARÊNCIA




Atentem para o pedido de apoio de João Paulo Corrêa, um dos netos de associado e assistido da PREVI.

Esta é uma Eleição que preocupa a toda a família BB, vejam que até as crianças se envolvem no processo.
Por sua atenção, obrigada,

Leopoldina Corrêa

18 maio, 2014

NÃO DEIXE DE VOTAR NESTAS ELEIÇÕES PREVI!

VOTE AQUI ↴
Não perca tempo vote: Chapa 1- Opção 1


Caro colega,
A Chapa 1 - ETICA E TRANSPARÊNCIA, tem se mantido distante das contendas e ofensas trocadas entre as demais chapas na Rede (internet), mas deixamos claro que não estamos longe dos colegas associados da PREVI.
 
São pessoas que querem tirar suas máscaras e se mostrarem como são e como agirão, indo para a PREVI. Fica mais fácil avaliar os riscos e os perigos de tê-las como administradoras dos nossos recursos (nossa reserva de aposentadoria) e do nosso futuro!

A Chapa 1 - ETICA E TRANSPARÊNCIA, de forma ética e transparente, já demonstrou que não aceita provocação sem fundamento. Sabe por quê?

Porque nosso compromisso é com você! Não queremos ganhar eleição mentindo e enganando você, colega, pois estaríamos nos enganando também. É para você que escrevemos para falar da nossa preocupação. Estamos convictos de que precisamos manter nossa PREVI longe de “maracutaias e arranjos”, venham de onde vierem. Nada que não favoreça os 200 mil associados. Vamos criar um fórum para ouvir você. 

Nossa Chapa se compõe de técnicos competentes e comprometidos, aptos a impor um NOVO OLHAR sobre a gestão da PREVI. Para conhecer nossos candidatos, nosso programa e nossas propostas, visite o www.eticaetransparencia.com.br. Não ouça “disse-me-disse”. Confira antes!

Nossos recursos são escassos para chegar até você com belas peças publicitárias ou através do uso da máquina, mas confiamos que você nos perceba e acredite em nós.  

Não pretendemos transformar a PREVI em cabide de empregos, para acomodar colegas que nunca ou quase nunca estiveram nas trincheiras do BB assumindo responsabilidades e cumprindo metas, com nós. O bom seria comparar com outros fundos de pensão do mercado, do mesmo porte da PREVI, inclusive resultados de Planos – como o PREVI Futuro e Plano 1 e parametrizar o consumo de verba com pessoal (inclusive dirigentes) e com prestadores de serviço de 2010 para cá.

Nossa equipe é independente sim e não fala por nenhuma associação ou grupo político. E nem pelo BB. Nosso compromisso é com você! Se precisar fazer acordos e alianças, faremos, mas em benefício dos 200 mil associados. E dentre eles, estamos nós!

Por isso apelamos: não deixe de votar! Temos de preservar nosso Fundo de Pensão!

Não se omita. Ajude a diminuir as dificuldades que poderão advir dessa omissão. Nossa angústia hoje, pode ser sua angústia amanhã.

Não podemos transferir a Previ para um único dono, através da omissão nas urnas.  A concentração de poder é perniciosa e prejudica o CONTRAPONTO. O debate é a arma mais saudável para gerar soluções conciliadoras.

Não somos contra o governo, mas não podemos delegar a sindicatos e associações a gestão do nosso patrimônio. Os negócios são diferentes.

A PREVI é a Caixa de Previdência dos funcionários do Banco do Brasil, responsável por pagar as suas aposentadorias e dos seus dependentes, enquanto eles viverem. Ela não é um sindicato ou associação de funcionários.

Os sindicatos representam os trabalhadores nas contendas trabalhistas e as Associações devem trabalhar na defesa das causas dos associados.

Não podemos misturar estas responsabilidades!

Hoje, vemos a nossa Petrobrás com dificuldades de respirar. O petróleo já não é nosso! E vemos o Postalis, o Fundo de Pensão dos Correios “dando água”. E o Aerus, da Varig? Alguém se lembra da sua pujança?  Procure saber quantos suicídios de associados registram as estatísticas, guardadas a sete chaves, para não assustar.

Colega! Você é livre para fazer a sua escolha. Mas, por favor, vamos preservar nosso patrimônio e dos nossos dependentes. PENSE NISSO!

Equipe Chapa 1
Ética e Transparência

17 maio, 2014

RESOLUÇÃO MPS / CGPC 26, DE 29.9.2008 – ARTIGOS CONFLITANTES.

À
SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR – PREVIC
Setor Bancário Norte – Quadra 2 N –9º andar -  CEP 70040.020
Brasília ( DF )
Exmo. Sr. Superintendente

RESOLUÇÃO MPS / CGPC 26, DE 29.9.2008 – ARTIGOS CONFLITANTES.

        
Refiro-me aos Arts.  7º e 18.  O primeiro permite a flexibilização do percentual sobre as Reservas Matemáticas ao estabelecer que essa proporção seja de até 25%. O segundo determina que a utilização de reserva especial será interrompida e os fundos previdenciais de que trata o Art 17 serão revertidos total ou parcialmente para recompor a reserva de contingência ao patamar de 25% do valor das reservas matemáticas quando inferior o montante apurado a título de  reserva de contingência.

2.     Ora, o Art  7º permite a flexibilização, enquanto o 18 obriga a obedecer o percentual fixo de 25%, sem instituir quaisquer condições para tal rigidez.   Portanto, este anula a maleabilidade permitida  no 7º. Daí o conflito entre esses  normativos.

3.      Diante do exposto, respeitosamente, sugiro   rever a redação ou a supressão  do Art 18, pois o 7º , ao repetir  regulamento expresso na Lei Complementar 109, Art 20,   não se pode objetar.

4.       O Art 18 da mencionada resolução limita a liberdade de planos de benefícios definidos em extinção,  com investimentos sólidos e rentáveis, portanto  menos expostos a riscos, e assim   com capacidade de manter reserva de contingência abaixo dos 25%, obedecendo a flexibilidade permitida no Art 7º, de conceder benefícios temporários aos seus participantes.
 
ATENCIOSAMENTE

JOSÉ ANCHIETA DANTAS 
 Assistido do Plano de Benefícios 1 
da Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil ( PREVI ), 
matrícula 5.241.520 – E-mail janchietadantas@gmail.com.  
Av. Engenheiro Santana Júnior 1345 AP 702 B – Papicu – 
Fortaleza (CE) CEP 60175-657.

16 maio, 2014

UM NOVO OLHAR SOBRE A PREVI

OUÇA                                                                
É necessário um novo olhar sobre a PREVI. Não de revolta nem de radicalismo, mas de estreita vigilância para, com competência, serenidade e determinação consolidar na Previ o que ela tem de bom e evitar distorções e equívocos.

A PREVI não é inimiga dos seus participantes.
A PREVI não é responsável pela relação entre o Banco do Brasil e seu funcionalismo.

A PREVI é uma Empresa Fechada de Previdência Complementar.
A PREVI tem um único compromisso: o de garantir que o pagamento dos benefícios adquiridos pelos seus participantes será honrado até o  último dependente.

Portanto, cumpre à PREVI recolher as contribuições, aplicá-las convenientemente de forma a garantir a rentabilidade, a segurança e a liquidez necessárias ao equilíbrio e à solvência dos Planos que administra, e pagar correta e tempestivamente os benefícios de aposentadoria e pensão.

A rigor a PREVI administra dois Planos de Previdência: o Plano 1 e o Previ Futuro, e um Plano de Pecúlios, a Capec.
Cada qual tem o seu próprio Regulamento.
O Previ Futuro é individual e, por isso, mais sensível. Qualquer erro (perfil, política de investimento, opção de aposentadoria) dificilmente poderá ser reparado.
O maior e mais complexo, porém, é o Plano 1,  Plano de Benefício Definido, que tem  como base a solidariedade entre os participantes.

Não cabe cobrar da Previ “reajuste de salário”, que é assunto trabalhista e não previdenciário.
Também não cabe cobrar benefícios sobre verbas que não foram computadas no salário de participação e sobre as quais não incidiu contribuição.

Mas cabe – e é justo - cobrar da PREVI a equânime distribuição das Reservas Excedentes.

É de se reconhecer que a PREVI, desde o seu nascedouro sob a forma de Fundo de Previdência, em 1967, vem cometendo pequenos e grandes equívocos (Regime de Caixa, P.220, Parcela Previ, Renda Certa, Benefício Especial de Remuneração, etc).

E com certeza tais equívocos são o resultado do pouco ou nenhum conhecimento do assunto, de parte dos participantes, que, também, não têm sido suficientemente seletivos na escolha de seus Representantes para participar da gestão da Previ.

Atualmente, o que se observa na PREVI é:
- disparidade de experiência profissional entre indicados e eleitos
- dicotomia entre indicados e eleitos
- insuficiente diálogo com o seu público (ativos, aposentados, pensionistas)
- tratamento burocrático e distanciamento entre a PREVI e seus participantes
Essas falhas podem (e devem!) ser corrigidas.

No momento de votar, uma boa escolha de Representantes é o primeiro passo para consolidar um modelo de governança que impeça equívocos e distorções prejudiciais aos Planos administrados pela PREVI e, em decorrência, aos seus participantes.

Aldo Alfano
Candidato ao Conselho Deliberativo
Chapa 1  -  ÉTICA E TRANSPARÊNCIA.
www.eticaetransparencia.com.br                                                                                  

14 maio, 2014

EM RESPOSTA ÀS AGRESSÕES DO SR. MADEIRA BASTOS




  OUÇA



No desejo irracional de desmoralizar uma candidata de Chapa adversária, o Sr. Madeira atira para todos os lados. Certamente, meu pai me diria, “minha filha, atirei no que vi e acertei no que não vi”. Foi o caso do Sr. Madeira, que acabou por dar um belíssimo tiro no pé.

Explico: 

Em seu primeiro email a mim dirigido, o Sr. Madeira tenta me humilhar desqualificando  um movimento criado por mim denominado "Novenbrada", pelo qual deveria ser levado um manifesto ao presidente da Previ com reivindicações dos Aposentados. De fato foi levado ao presidente da Previ um documento insipiente, desprovido de quaisquer reivindicações objetivas, recheado de perguntas que em nada resolveriam como não resolveram os anseios dos aposentados.”  (Palavras do Sr. Madeira.)

 
Chega a ser hilária a insipiência de um apoiador oficial da CHAPA 2 - UNIÃO E PARTICIPAÇÃO que o faça cometer tamanha gafe. O Sr. Madeira peca por desconhecer que a Pauta de Reivindicações da “NOVEMBRADA” foi redigida pelo meu nobre colega e amigo: EBENÉZER NASCIMENTO que é candidato na CHAPA 2 - UNIÃO E PARTICIPAÇÃO. Pauta aquela que ele denomina de insipiente, quando na verdade, pelo contexto, a grafia correta seria incipiente. 

 
Sobre a insinuação de que eu teria usado do banco de dados da PREVI para lhe enviar email, não vou nem levar em conta. Tenho não apenas seu email, mas também seus telefones concedidos pelo próprio por ocasião da “NOVEMBRADA” para, segundo ele, no caso de eu precisar de seus préstimos, conforme "cartão de visita" do próprio abaixo:



Estamos em período eleitoral e é óbvio que todas as chapas queiram divulgar suas propostas. Assim sendo, todo mundo manda email, panfletos, jornais e revistas para todo mundo. Diante do exposto, deduzo que o Sr. Madeira ao usar o termo ALICIAR que é muito abrangente, esteja incluindo também sua Chapa 2 - UNIÃO E PARTICIPAÇÃO, nos mesmos delitos, tendo em vista que dela, não recebi apenas um, mas dezenas de emails “aliciando-me” . Vejamos: 1. Atividade ilícita; 2. subornar; 3. incitar;  4.seduzir.



Por mais esta  expressão do Sr. Madeira:  “GIGANTESCA COBIÇA - lhes sustentam com seus votos e polpudos salários”,  sinto-me gratificada pela oportunidade que ele me oferece em poder esclarecer aos meus colegas associados que o CARGO que estou concorrendo NÃO é remunerado pela PREVI. Aliás, nunca exerci nenhum cargo em nenhuma de nossas Associações como me acusa o Sr. Madeira. Então fica aí, mais uma demonstração da total ignorância de um associado do nosso Fundo de Pensão que acaba de cair em inúmeras contradições, com a clara intenção de desmoralizar um membro da Chapa 1 - ÉTICA E TRANSPARÊNCIA a fim de prejudicar o grupo todo.

Ademais, as previsões bem otimistas que a Chapa 2 vem fazendo sobre sua segunda colocação nas Eleições CASSI, cabe uma observação muito pertinente: o grupo que compõe a Chapa 1 - ÉTICA E TRANSPARÊNCIA NÃO CONCORREU àquelas Eleições. Por oportuno, é bom lembrar que a grande maioria dos votos obtidos pela Chapa de Humberto Almeida nas Eleições CASSI deve-se ao trabalho incansável do grupamento sindical de Olivan Fautino - BA e Goretti Barone - ES que sempre apoiou as chapas de Humberto Almeida em eleições anteriores conquistando sempre os segundos lugares.

Na opinião do Sr. Madeira, o Movimento “NOVEMBRADA”, por ele considerado inócuo, na opinião de muitos e também na minha, foi um sucesso no que se refere ao fato de ter sido a primeira vez que um grupo grande se mexeu para ir às portas da PREVI reivindicar e sim, eu fui a organizadora do evento e fiquei feliz por esse primeiro passo, mesmo que não tenha trazido resultados efetivos. 



Aproveito ainda para dizer que aceito e tiro muito proveito de todas as criticas civilizadas que chegam até mim. Digo sempre que “GENTILEZA GERA GENTILEZA”. No entanto, às agressões e às críticas muito pesadas, quando respondo, o faço na mesma medida. Portanto, o meu recado para o Sr. Madeira é muito simples: “escreva um livro, se eu me interessar por saber de suas opiniões: eu compro”. 



Quanto a mais esta citação daquele senhor, “o desacato, o xingamento, o menosprezo, a afronta moral, a ofensa pessoal, a injúria e a difamação “ pelos crimes que me acusa, digo-lhe que  esteja liberado para processar-me. Difícil será conseguir provas para, pelo menos um, de todos estes delitos. Não seria o contrário?
 

Por fim, não era minha intenção dar publicidade a este fato em respeito e consideração ao meu amigo EBENÉZER NASCIMENTO candidato na Chapa apoiada por este perturbado senhor, entretanto, percebi que o caso já está em todos os grupos do FACEBOOK,  resolvi também publicar em meu blog.



Por sua atenção, obrigada,



Leopoldina Corrêa


12 maio, 2014

Vejam abaixo quem seus representantes estão apoiando:

Eu sei que está muito bem explicadinho na postagem anterior, mas ainda pode ficar melhor. Vejamos:

Considerando que eu sou associada ANABB e AAFBB, não fui consultada a respeito de apoio a nenhuma chapa, assim sendo, penso que, como eu, muitos associados também estão inocentes e, involuntariamente, estejam apoiando uma chapa diferente da que gostariam de apoiar, como é o meu caso, que além de ser candidata na Chapa 1 - ÉTICA E TRANSPARÊNCIA, estou apoiando através de meus representantes uma chapa situacionista, sindicalista e governista.

A PREVI é um Fundo de Pensão ou quer ser um SINDICATO ???


11 maio, 2014

PREVI - TETO DE BENEFÍCIO


OUÇA

Por Aldo Alfano

Nosso Plano 1 se baseia no espírito de solidariedade, onde, como num condomínio, o tratamento deve ser igualitário, na razão da contribuição individual.
O Art. 28 do Regulamento explicita o caráter de justiça na formação do salário de participação sobre o qual se calcula a contribuição de cada participante, de forma a evitar inadmissíveis segmentações grupais. 



Em 2008, o Governo decidiu que os empregados que se tornassem altos Executivos das Empresas Estatais passariam a ser Estatutários, com a suspensão do Contrato de Trabalho e tendo a sua remuneração estabelecida pela Assembléia Geral de Acionistas, saindo portanto da esfera trabalhista e dos acordos salariais firmados periodicamente entre patrões e empregados.

Tal fato provocou a necessidade de ajustes no Regulamento do Plano 1 a fim de prevenir distorções no salário de participação, que, em consequência, afetariam o espírito de justiça condominial imprescindível num Plano como o nosso, além de, no longo prazo, comprometer o equilíbrio do Plano pelo aumento indevido da Reserva Matemática.

A Previ e o Banco, a 4 mãos, elaboraram os ajustes a serem introduzidos no Regulamento e os submeteram ao Minifaz e ao Miniplan, onde foram aprovados, e ao MPAS, onde aguardavam aprovação final.

O principal ajuste aprovado pelo BB e pela Previ foi a instituição de salvaguardas na base de incidência das contribuições, a exemplo do que já se estabelece para os funcionários do BB que trabalham no exterior, ou seja, foi criado um “parâmetro” para as contribuições, baseado no plano de cargos em vigor, de modo a evitar que o Plano conceda benefícios em desacordo com o plano de custeio.

O aumento dos salários de participação desses estatutários não estava previsto no custo normal do Plano1, ou seja, a partir do momento em que esses participantes (estatutários) passaram a contribuir sobre o total de suas remunerações, a Reserva Matemática do Plano 1 assumiu encargos que não estavam previstos em seu plano de custeio. Dessa forma, a partir de abril/2008 a Reserva Matemática do Plano 1 vem sendo majorada de forma irregular e incompatível com o custo normal do Plano 1.

Em 2010, com as eleições gerais, novas pessoas vieram a dirigir o País, os Ministérios, o Banco e a Previ.  E esses novos dirigentes, sob a argumentação de que o Regulamento não estabelece um teto, entenderam unilateralmente que aquelas alterações propostas em 2008 não se faziam necessárias.

E a partir daí, usando um discurso que confunde relações trabalhistas com relações previdenciárias – que são coisas bem distintas – vêm propondo:

a- que se estabeleça um teto de benefício
b- que esse teto seja o da remuneração do cargo de Diretor
c- que o reajuste do valor de participação desse teto obedeça o percentual  acordado entre Empregados e Empregadores a cada período negocial


Essa proposta agride as premissas e hipóteses do nosso Plano!

É bom deixar claro que o cargo de Diretor do Banco do Brasil, embora privativo de funcionários de carreira, não é cargo da carreira do funcionalismo do Banco!

É importante ressaltar que o fato de não estar de forma explícita previsto no Regulamento do Plano um “teto de benefícios”, não quer dizer que a estrutura atuarial do Plano 1 pode ser alterada com a “criação” de uma regra diferenciada para um grupo de participantes (estatutários), haja vista que, perante o plano de benefícios, eles são participantes e, dessa forma, devem ser submetidos às mesmas regras do regulamento a que os demais participantes se submetem, principalmente quanto à base de incidência das contribuições (salário de participação), a exemplo dos funcionários que trabalham no exterior.

É também importante frisar que, caso essa distorção não seja corrigida, a tendência é que a reserva matemática cresça de forma significativa colocando em risco a solvência do Plano 1 no médio prazo.

Outrossim, mesmo sem entrar nos detalhes técnicos atuariais, contábeis e jurídicos, é mister enfatizar-se que, se tal proposta vier a ser aprovada, estará sendo criada no nosso Plano 1 uma casta de privilegiados (hoje algumas dezenas, daqui a algum tempo, vários milhares) que, em detrimento da esmagadora maioria dos participantes do Plano, estará se auto concedendo, extensivamente a seus dependentes, um  aumento de benefícios, hoje da ordem de R$ 10 mil per capita, de uma forma nunca antes imaginada!


Aldo Alfano, candidato ao Conselho Deliberativo
CHAPA 1 – ÉTICA E TRANSPARÊNCIA

www.eticaetransparencia.com.br

09 maio, 2014

Apoio de Ilma Peres à Chapa 1 - ÉTICA E TRANSPARÊNCIA

Caros colegas associado da PREVI,

A Chapa 1 - ÉTICA E TRANSPARÊNCIA tem tido a sorte de receber o apoio de colegas que acreditam na nossa responsabilidade, competência e confiança para gerir o nosso Fundo de Pensão - PREVI. Hoje é a vez de Ilma Peres nos brindar com sua aprovação.


          
                                                    

EM ENTREVISTA À TV PORTUGUESA NEY MATOGROSSO MOSTRA A REALIDADE DO GOVERNO PETISTA NO BRASIL 



⤵︎ ⤵︎ ⤵︎ 

☞  Em Portugal, Ney Matogrosso escancara a realidade do Brasil                     

PF investiga ameaças a Joaquim Barbosa no Facebook

                                                

 

06 maio, 2014

Análise aprofundada sobre as Eleições CASSI e PREVI do ponto de vista do associado


PREVI realiza Seminário sobre o futuro da previdência complementar fechada
Evento, realizado no CCBB, debateu rumos da previdência complementar brasileira em comemoração dos 110 anos da entidade.



Lambanças também na Petros


Como sua patrocinadora - a Petrobrás, submetida ao controle político do PT, com as danosas consequências para o País e para seus acionistas que vão sendo reveladas a cada dia -, o fundo de pensão dos petroleiros, a Petros, acumula perdas causadas pela gestão dominada por políticos e sindicalistas ligados ao partido. Ao ignorar recomendações e advertências dos que, embora não pertençam ao esquema petista, ocupam funções decisivas na administração, a diretoria da Petros ameaça o futuro de seus participantes. A perda contabilizada no ano passado, de R$ 2,89 bilhões (em 2012, registrara superávit de R$ 3,0 bilhões), é a indicação mais óbvia dos riscos que o modelo de administração petista do fundo traz para seus participantes e para as finanças públicas - pois, indiretamente, como principal acionista da patrocinadora Petrobrás, o Tesouro acabará tendo de cobrir parte das perdas.


04 maio, 2014

Um apoio ESCANDALOSO !!!



É com pesar que o blog Olhar de Coruja, no seu papel de denunciar, cobrar, aprovar e desaprovar as atitudes em favor dos aposentados da PREVI, vem a público para declarar seu repúdio ao apoio do Presidente da ANABB à chapa 4 das eleições PREVI 2014,  a CHAPA DA SITUAÇÃO.

Sérgio Riede tem todo o direito de, em nome dele, apoiar  a quem bem lhe convém, o que não pode é, em nome da ANABB, assinar por todos nós um apoio que violenta a todos.



                         ADENDO
 
MAIS UM FUNDO 
DE PENSÃO 
É VÍTIMA DO PT

03 maio, 2014

Pronto! Dilma Rousseff é candidata à reeleição e mostrou que pode mais que Lula. A presidente da República deixou claro que não estava disposta a abrir mão da candidatura para dar lugar a Lula.





O discurso do dia Dia do Trabalho deixou evidente que a “criatura”não quer largar o osso. Fez um discurso fortíssimo em defesa de sua gestão. Só os surdos não poderiam “enxergar” por que até os enxergaram. Junto com o anúncio do reajuste de 10% para o Bolsa Família, antecipou a correção da tabela do Imposto de Renda de 4,5% no próximo ano, comprometeu-se em continuar com a valorização do salário mínimo e mostrou que vai continuar focada nos “mais pobres” e na “classe média”.

Acho que não foi bem “mais pobres” que ela quis dizer. Ela quis dizer: nos mais ignorantes porque não percebem as atrocidades que ela e seu partido maldito está submetendo nosso país.

Já com a “classe média” que o ParTido tanto odeia eu acho que ela está enganada, posto que a classe média não está mais disposta a bancar  as bolsas-voto deste governo corrupto. So os aposentados que não tiverem vergonha na cara vão vota neste ser abominável. 

Que bom que para o PT ache que  seu maior adversário seja Aécio e não Eduardo Campos. Assim eles se ocupem mais de Aécio e não se preocupem com Marina Silva e Eduardo Campos, coisa que eu duvido muito.