06 maio, 2014

Análise aprofundada sobre as Eleições CASSI e PREVI do ponto de vista do associado



Caro associado da AAFBB,

Referimo-nos ao texto recebido nesta Presidência e publicado em mídias sociais, solicitando esclarecimentos a respeito da participação desta Associação nas eleições CASSI e PREVI. Inicialmente cabe registrar que uma das formas de uma associação defender os direitos e reivindicações dos participantes da CASSI e PREVI é a efetiva participação na gestão daquelas entidades, o que se concretiza através de processo eleitoral, ocorrido a cada dois anos.

A histórica participação da AAFBB nas eleições para as entidades representativas do funcionalismo da ativa e aposentados, especialmente CASSI e PREVI, está respaldada no artigo 2, item "i" do seu estatuto social, aprovado em assembleia geral regularmente convocada, que determina, como um dos seus objetivos "poder constituir chapa ou dela participar, inclusive financeiramente, respeitadas as alçadas regulamentares, objetivando a eleição ou a indicação de representantes seus junto a entidades ou órgãos representativos de interesse de seus associados, em especial na PREVI e na CASSI".

Essa alternativa de participação administrativa é complementar às atividades de defesa no âmbito judiciário, área em que a AAFBB vem se destacando, com independência e perseverança, sempre que vislumbra ofensa a direitos de seus associados e familiares.

Em relação à composição feita para a formação da Chapa 1 - Todos pela CASSI, essa aliança nasceu da união de fortes e representativas entidades do funcionalismo da ativa e aposentados. Está composta/apoiada por dirigentes da AAFBB, de diversas associações de aposentados, da ANABB, da FENABB e da grande maioria dos sindicatos.

Defender nossas Caixas é desafio que não pode ser cumprido por uma pessoa isoladamente, ou por um pequeno grupo. É tarefa de grande envergadura, que exige o empenho e a união do maior número possível de entidades representativas. Todos nós sabemos que o Banco não atende reivindicações isoladas, mas se vê obrigado a dialogar com os associados , quando eles se manifestam em conjunto, através da força de suas entidades.

A participação da AAFBB nas eleições, bem como as verbas aprovadas para as duas campanhas, são fruto de decisões tomadas em reunião do Conselho Deliberativo, com total amparo do artigo 18 do Estatuto Social: "O CODEL, eleito pela AGO em expressa prerrogativa que lhe é delegada, é o órgão institucional normativo de coordenação, de acompanhamento dos atos e fatos da administração e representativo da manifestação coletiva dos associados".

Os investimentos condizentes com as campanhas de nível nacional estão fixados no Estatuto Social, especialmente no artigo 20, item “e”.

Em que pese o orçamento das campanhas determinado pelo CODEL, a coordenação das chapas estima que os valores a serem gastos, efetivamente, ficarão abaixo do mínimo autorizado pelo Conselho Deliberativo da AAFBB, mormente pelos os valores concedidos pela ANABB, PREVI e CASSI para o financiamento das campanhas.

Cabe ainda registrar, que a exemplo de eleições anteriores, os valores serão utilizados para as despesas com confecção e expedição de materiais promocionais, comunicação telefônica e eletrônica, bem como viagens para divulgação das chapas (apenas para candidatos indicados pela AAFBB). Todos os gastos serão comprovados e passarão por verificação do Conselho Fiscal, com prestação de contas ao Conselho Deliberativo, para aprovação final.

Demais informações relativas ao processo eleitoral da PREVI nos manifestaremos em momento oportuno, tendo em vista os prazos regulamentares.

Colocamo-nos à disposição para outros esclarecimentos, esperando ter respondido às colocações feitas com muita propriedade, as quais nos permitiram demonstrar, mais uma vez, a seriedade e transparência com que nossa instituição costumeiramente conduz todos os seus processos, em total aderência aos seus normativos e aos princípios de governança e ética.

Finalmente, ratificamos nosso compromisso expresso no artigo 3, item "g" do estatuto social de "defender o ideal de solidariedade e fraternidade, lutando sempre pela unidade do quadro social, não permitindo, assim, no âmbito de sua atuação, qualquer posicionamento sectário de natureza ética, filosófica, religiosa, ideológica ou político-partidária".

Atenciosamente,

Célia Larichia  - Presidente do CADMI,
Gilberto Santiago - Presidente do CODEL,
Tereza Silva - Presidente do CONFI.

Caros colegas associados,

Na condição de associada não tive o privilégio de receber tais esclarecimentos. Terei eu deixado de ser associada e nem fui comunicada? Alguém mais recebeu?

Leopoldina Corrêa

ANÁLISE APROFUNDADA SOBRE AS ELEIÇÕES CASSI E PREVI DO PONTO DE VISTA DO ASSOCIADO


Panorama sobre as Eleições CASSI E PREVI sob a ótica da AAFBB
Na mensagem abaixo, a  alta e insigne Administração da nossa AAFBB a propósito de ponderações recebidas quanto à atitude sectária na composição de chapa, para o recém-findo pleito da CASSI esclarece:
 

 
a) que procedeu de conformidade com o art. 2, item i, do Estatuto Social;

b) que "os investimentos condizentes com as campanhas de nível nacional estão fixados no Estatuto Social, especialmente no artigo 20, item “e”; 

c) em que pese o orçamento das campanhas determinado pelo CODEL, a coordenação das chapas estima que os valores a serem gastos, efetivamente, ficarão abaixo do mínimo autorizado pelo Conselho Deliberativo da AAFBB, mormente pelos  valores concedidos pela ANABB, PREVI e CASSI para o financiamento de campanha"(Grifo de Paulo Lacerda)

d) finalmente, ratificamos nosso compromisso expresso no artigo 3, item "g" do estatuto social de "defender o ideal de solidariedade e fraternidade, lutando sempre pela unidade do quadro social, não permitindo, assim, no âmbito da sua atuação, qualquer posicionamento sectário de natureza ética, filosófica, religiosa, ideológica ou político-partidária".

Então, o que se pode deduzir desses expressivos e pormenorizados esclarecimentos da cúpula da AAFBB?

1. que, entre o art. 2, item i, e o art. 3, item g, citados, o que há de comum é a promoção de confraternização, no primeiro, e a solidariedade entre os associados, no segundo.

Isto quer dizer que o espírito de ambas as disposições é a harmonia, a paz, a tranquilidade, o bom entendimento, enfim, a ausência de conflitos, comuns, como se têm visto, nas disputas eleitorais entre os partidários das diferentes chapas. Que não perdoam os velhinhos abstêmios do pleito.

2. que o texto restante do art. 2 é notoriamente conflitante com o do restante do art. 3.

3. que a solução, para o paradoxo, s.m.j., seria a AAFBB auscultar a opinião do quadro social votante e, então, com transparência, compor uma chapa única escolhida pela maioria absoluta dos associados.

4. que, dessa maneira, constituída a chapa, aí sim, da AAFBB, ela não teria que custear encarecidas campanhas e, principalmente, imunizaria os componentes da chapa  contra eventual influência indevida dos financiadores do processo, como tem sido comum nas campanhas eleitorais no Brasil, pelo abuso do poder econômico ante a vulnerabilidade de candidatos ávidos por elegerem-se.

5. que disparate - cabe indagar - é esse de PREVI e CASSI financiarem  campanhas das chapas constituídas pela AAFBB, se elas, chapas, são compostas por associados imbuídos do espírito de pugnar por mudanças daquilo que vem prejudicando a nossa coletividade, assim como inserir nos programas de benefícios delas nossas velhas  aspirações nunca por elas consideradas?  Não se entende isso.

6. diz a AAFBB  "que uma das formas de uma associação defender os direitos e reivindicações dos participantes da CASSI e da PREVI é a efetiva participação na gestão daquelas entidades, e que isto se concretiza através de processo eleitoral, ocorrido a cada dois anos."


Com o que todos concordam inteiramente. Mas, como esperar - aliás, como temos esperado há tempos -, que os nossos dignos representantes eleitos com o financiamento dessas Entidades tenham autonomia para discordar delas e também  introduzir nos respectivos programas das chapas melhorias de interesse da nossa coletividade, em busca das quais não raro recorremos à demorada e incerta justiça? 




7. triste exemplo do que afirma a AAFBB:  "Nós sabemos que o Banco não atende reivindicações isoladas, mas se vê obrigado a dialogar com os associados, quando eles se manifestam em conjunto, através da força das suas entidades, como ocorreu com a reivindicação do BET para os veteranos da verba P-220, insolúvel até hoje, apesar do tempo decorrido.



8. sem qualquer intuito de polemizar e tampouco desrespeito aos dignos colegas eleitos, mas cabe indagar por que a AAFBB, que tem verba orçamentária para tal, conforme afirma, aceita essas ofertas para campanha da sua chapa?  Também não consigo entender.

Por tudo isso, e sopesando finalmente o que diz a Administração da AAFBB, sobre a composição da Chapa 1, vencedora do pleito,  "essa aliança nasceu da união de fortes e representativas entidades do funcionalismo da ativa e aposentados" e "está composta / apoiada por dirigentes da AAFBB, de diversas associações de  aposentados, da ANABB, da FENABB e da grande maioria dos sindicatos" , é de estranhar o que revelou a apuração do pleito, surpreendentemente:


Chapa 1, da AAFBB, vencedora = 31.545 votos;

Chapas 2, 3 e 4, autônomas, 
perdedoras = 55.390 votos (juntas).



Conclusões:



a) que a Chapa 1, da AAFBB, representa a minoria dos Associados - apesar de, como dito acima, tenha sido apoiada pela AAFBB, por diversas associações de  aposentados, da ANABB, da FENABB e da grande maioria dos sindicatos e com financiamentos de terceiros;



b) que as demais chapas, autônomas, ditas de oposição, à mingua de recurso para campanha, juntas alcançaram a soma de 55.390 votos;



c) qual seria o resultado da votação em segundo turno, se esta houvesse?



d) que o resultado do pleito, por outro lado, acaba de confirmar a ideia de que "Defender nossa Caixa é desafio que não pode ser cumprido por uma pessoa isoladamente ou por um pequeno grupo”


Um pequeno grupo, fracionado em três chapas, suplantou, na preferência dos associados, a pujança da máquina  da AAFBB com toda sua base de apoio.

 Portanto, com a devida vênia, reitero a sugestão de que para os próximos pleitos, como o da PREVI, que se avizinha, é aconselhável auscultar-se o quadro social antes de compor a Chapa concorrente.



Com meus respeitos,


Paulo Lacerda (Rio).

20 comentários:

  1. Isso é choro de perdedores. As regras estão ai. Fizeram mais chapas pq todo mundo queria uma boca. Perderam e agora é a CUT quem manda na CASSI e vai vencer também na PREVI

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na mosca!!! Realmente, é a CUT quem MANDA. A CUT que acabou com PETROBRAS, acabou com PETROS, acabou com o POSTALIS, acabou com a CASSI e que quer ACABAR com o que restou da PREVI. Só falta o tiro de misericórdia.

      Ainda não me considero perdedora. Considero-me uma conscientizadora dos perigos que esta CHAGA que está dizimando, na covardia, o nosso FUNDO DE PENSÃO e nossa CASSI.

      Portanto, enquanto me restar lágrimas vou chorar sim... sempre reagindo, combatendo, alertando e incomodando !!!

      Leopoldina Corrêa

      Excluir
    2. Esta é uma verdade incontestável. Todos querem os privilégios dos cargos, como status, salários estratosféricos, vantagens de todos os gêneros, de cartão corporativo e ressarcimento de viagens e jetons em reuniões que não comparecem, apenas se fazem presentes na sede da entidade para justificar o recebimento.
      Não há espírito de corpo e os candidatos não estão preocupados em resolver as questões cruciais que nos afetam, tanto na Cassi como na Previ. Todos querem uma boquinha, não, na verdade uma bocarra. Sempre foi assim, em todas as eleições.
      Quebraram a unidade em torno de uma representação legal e encheram a rede com grupos que formam verdadeiras tribos que se acham donos da verdade e portadores das melhores respostas e soluções para nossos problemas, lançando várias chapas de "oposição".
      Temos o que merecemos. E os grandes responsáveis disto são os grupos "yahoo", tribos de franco atiradores que nada têm a perder porque não têm uma identidade à qual se pode responsabilizar pelas derrotas.
      Enquanto isto, vence a irmandade AAFBB, Contraf/Cut, Anabb e outros, ocultos.

      Excluir
    3. Olha o MSU aí gente!!!

      Esta nuvem de gafanhotos vem dizimando qualquer proposta de UNIÃO e ainda posam de bons samaritanos. A "união" deles é com o lado de lá. A "união" é pontuada em bravatas e falácias. Quem não os conhecem que os comprem... a quantidade de votos que tiveram não foi em função deles e nem do trabalho deles. O nome do MSU na Chapa do Humberto foi o motivo do Humberto ter perdido.

      Esta praga só existe porque há um bando de "inocentes úteis" e bem intecionado que não sabe quem são estes "MAVs". São uns malas. Pronto, falei!

      Zezinho ferro

      Excluir
    4. Falou e disse, Zezinho. E disse bem. Essa praga de gafanhotos do MSU foram responsáveis pela derrota da oposição em 2012. Promoveram um racha com seu veneno lançado contra as Associações. E agora em 2014, acontece o mesmo, e desqualificam a única representação legal que temos.
      Com relação à Cassi, você já disse a verdade. Com relação à PREVI, haverá quem vote na chapa 2, mas não por adesão a esses franco atiradores dos grupos SOS, Yahoo e outros desagregadores. Votarão na chapa 2, pela presença de Faraco, Ebenéser, Elaine Michel e Macilene. E é uma pena que eles se deixaram envolver por esse grupo MSU, e estejam certos, cobraremos de vocês rigorosamente a cumprimento de suas promessas.
      E o pior, é que esses grupos como o MSU~, não têm uma identificação, não têm cara, sem CNPJ, sem uma diretoria a quem possamos responsabilizar. CPF não serve.

      Excluir
    5. ESCLARECIMENTO: a representação legal a que me refiro não é a AAFBB.
      É a Federação

      Excluir
    6. De maneira nenhuma. Se você conhecesse o trabalho da Federação não a incluiria entre CONTRAF/CUT, AAFBB, ANABB e outros ocultos.

      Eu conheço e participo. A fora isso eu aplaudo você e o Zezinho Ferro que deve conhecer muito bem esta trupe de sementes daninhas que não germinam porque já estão passadas...

      Excluir
    7. Meu caro anônimo das 7 de maio de 2014 19:44.

      Não se iluda, Macilene é a segunda voz dentro do comando do MSU que já foi apelidado até de MSU - Movimento dos SEM União, MSU - Movimento dos Sementes de Urtiga e por aí vai. A primeira voz é do comandante Chirivino. O Faraco não tem voz, mas obedece as ordens. Se tivesse voz seria candidato à Diretor.

      Agora muita atenção, o mundinho dos gafanhotos é o "Yahoo" e mais recentemente o facebook onde criaram a mesma tática do Yahoo para dar a impressão que "ele são muitos". Mas, pode-se perceber que os mesmos nomes estão em todos os grupos.

      Uma das falácias deles é que a chapa deles é a melhor, que não tem ninguém que já tenha exercido nenhum cargo, agora veja este comentário que me mandaram por email de um dos tais grupos do facebook. Veja:

      ISA MUSA DE NORONHA COMENTOU: " O ColegaLEONARDO FALETTI, candidato a Diretor de Administração da CHAPA 2, foi Presidente do Conselho de Administração de Sauípe e do BB GESTÃO DE RECURSOS – DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. Isso não desmerece o colega, pois a PREVI tem investimentos em Sauípe e Leonardo foi indicado Presidente do Conselho de Adm de Sauípe e era da BBDTVM. O que mostra que o fato de já ter tido cargos não invalida a pessoa. Eu apoio a chapa Ética e Transparência, mas não desmereço candidatos de outra chapa só pq são ou já foram indicados pela Previ ou pelo Governo em empresas participadas….. EM TEMPO, NADA DEU MAIS PREJUÍZO A PREVI DO QUE SAUÍPE, MAS CERTAMENTE NÃO SE PODE ATRIBUIR A UMA PESSOAS ESSES PREJUÍZOS. O FATO É QUE QUE TODAS AS CHAPAS POSSUEM NOMES QUE TEM HISTÓRIA NA PREVI OU NO BB."
      Será que o nome de Leonardo faletti está no tal CANAEL?

      Excluir
    8. O Chirivino é o cacique dessa tribo. Ele que jogou o Ebenéser para o Conselho Consultivo do PB1. Como alguém já disse, o lugar certo para o Ebenéser seria o C.Fiscal. Isto me dá a convicção de que houve um racha dentro do grupo na composição da própria chapa.

      Excluir
    9. É verdade. Quem apita é o comandante Chirivino e ainda de quebra, quebraram a amizade de longos anos que existia entre a D. Isa Musa e o Dr.Ruy Brito. Aproveitaram que o Dr. Ruy já está velhinho e envolveram-no na tramóia.

      Excluir
    10. O Dr. Ruy é idoso mas lúcido, em pleno exercício de suas imensas faculdades e autonomia.

      Excluir
    11. Será? Quem está a afirmar isso não conhece o dr. Ruy um pouco mais de perto. Assista os vídeos dele para ver que o discurso é sempre igual: repetitivo demais! A memória dele deu tilt... pane... parou no tempo. Entendeu?

      Excluir
  2. PETROBRAS, PETROS, POSTALIS, CASSI, PREVI..."brasil".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem lembrao: AERUS + AEROS + PETROS + POSTALIS + PETROBRAS + CASSI + PREVI = BRASIL.

      Excluir
  3. Leopoldina. Sua postagem de 7/5 23:19h onde vocês "de maneira nenhuma. se você conhecesse o trabalho da Federação...." me faz supor que você não entendeu minha colocação. Eu me refiro à FAABB como a única representação legal que podemos acreditar e confiar. Eu conheço o trabalho e o esforço da FAABB. Acho que tudo que vem fora das Associações, é desagregador, excluindo desse conjunto de associações a AAFBB contaminada e a AFABB-SP, sempre morna, posicionada sempre com a situação.

    ResponderExcluir
  4. Ah! Agora sim, está explicado. Não mais mal entendido. Se a AAFBB e a ANABB seguissem o exemplo da FAABB nós estaríamos muito bem amparados. Mas a FAABB sozinha não pode enfrentar esta trupe no mal que se instalou dentro das nossas duas maiores associações que estão mais a serviço do BB e do Governo do que a nos defender. É uma lástima!!!

    A AAFBB além de ter feito a manobra para aclamar Célia Laríchia fechou bonitinho com os nossos algozes para NÖS pagarmos a conta. E ainda tem colegas aposentados apoiando esta covardia.

    Leopoldina Corrêa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A FAABB pode enfrentar sim, se as Associações (com as exceções já conhecidas) se agregarem de fato, concretamente, em torno da FAABB. FORA DA FAABB NÃO HÁ QUEM NOS REPRESENTE LEGALMENTE. É LAMENTÁVEL QUE COLEGAS COMO RUY, EBENESER, FARACO E OUTROS EXPOENTES TENHAM NOTORIAMENTE, EM SEUS PRONUNCIAMENTOS, FEITO QUESTÃO DE IGNORAR AS ASSOCIAÇÕES E A FAABB. SERÃO ESSES, LAMENTAVELMENTE, OS EGOS INFLADOS, INDIVIDUALISTAS, QUE ACEITAM SER MANIPULADOS POR CHIRIVINO, BERTOCO, DAISY, E OUTROS MAGNÍFICOS REDENTORES DE NOSSAS CAUSAS QUE ESTAMOS PERDENDO? É MUITA IRRESPONSABILIDADE. NOSSA DERROTA FINAL, NÃO SERÁ DE RESPONSABILIDADE DE OUTROS, SEÑÃO DELES, LIDERES COM PODER DE PERSUASÃO.

      Excluir
  5. Alguem aqui nao se lembra da intervenção na previ??? esqueceram?? quem estava la retirando os crachas de colegas que lutavam para em epoca de FHC o banco nao se apoderar da Previ... e esses mesmos traidores, que tiraram crachas , fecharam portas e lançaram colegas que lutavam pela previ escada a baixo de forma ditatorial, agora se candidatando? falta memoria para o povo... tudo pelo interesse alheio..

    ResponderExcluir
  6. Hummm... seria a carta na manga que a tal Semente da desunião tinha? Melhor dizendo o VALETE de copas... para ser mais explícito: Leonardo Faletti? Ora, ora, ora... cadê a chapa imaculada da semente? Leonardo Faletti teve passagem pelo POSTALIS e presidiu o SAUÍPE em 2008... querem saber mais? Simples: Google!

    ResponderExcluir
  7. Segundo Célia Laríchia " Todos nós sabemos que o Banco não atende reivindicações isoladas, mas se vê obrigado a dialogar com os associados , quando eles se manifestam em conjunto, através da força de suas entidades."

    Mas, contudo, todavia, entretanto... todos nós sabemos que nem o BANCO nem a PREVI ATENDEM reinvindicações isoladas, NO ENTANTO, no caso da NOVEMBRADA a PREVI se viu obrigada a nos receber! E não havia nenhuma "força de suas entidades". A NOVEMBRADA foi uma INVENÇÃO NOSSA, associados insatisfeitos, desrespeitados e recém saqueado pela suspenção do BET. Mas não faltou ENTIDADE que quisesse pegar carona na nossa manisfestação como foi o caso da AAFBB que, sem consultar a Comissão Organizadora da NOVEMBRADA soltou um convite em seu site como se aquele evento fosse patrocinado por ela. O que gerou grande revolta dos participantes inscritos.

    A NOVEMBRADA foi um sucesso no que se refere ao fato de ter sido a primeira vez que um grupo grande se mexeu para ir às portas da PREVI reivindicar e sim, eu fui a organizadora do evento e fiquei feliz por esse primeiro passo, mesmo que não tenha trazido resultados efetivos.

    Leopoldina Corrêa

    ResponderExcluir

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI