30 janeiro, 2015

vc repórter: tecnologia salva paulistas assaltados no Ceará

Os bandidos foram localizados e presos em uma hora e meia, aproximadamente, em Fortaleza

Graças à tecnologia, três turistas de São Paulo conseguiram recuperar todos os pertences levados por uma quadrilha durante um assalto em Fortaleza, na madrugada desta sexta-feira. Com ajuda de amigos e de recursos como WhatsApp, rastreador de iPhone, GPS (Global Positioning System), Google Maps e Google Street View, o grupo deu as coordenadas para as buscas da Polícia Militar. Os bandidos foram localizados e presos em uma hora e meia, aproximadamente.
De acordo com Lennon Rebechi e Roberto Gil, que estavam em São Paulo e auxiliaram as vítimas à distância, o pedido de socorro chegou por volta das 3h, por mensagem. “Eles estavam voltando para o hotel onde estão hospedados e foram abordados por cinco assaltantes. Um deles portava arma de fogo. Levaram todos os pertences, incluindo um carro alugado”, relatou Lennon.
Amigo avisa vítima sobre a localização da quadrilha Foto: Lennon Rebechi / vc repórter
Amigo avisa vítima sobre a localização da quadrilha
Foto: Lennon Rebechi / vc repórter
Roberto contou que os turistas assaltados são produtores e foram à cidade para realizar um evento. “Pelo que ela disse, parece que funcionários do próprio hotel passaram informação para os bandidos. Estavam esperando por eles no hotel”, explicou.
Lennon afirmou que uma das vítimas pegou um táxi para ir atrás do carro roubado. O grupo parou uma viatura e um deles seguiu com a polícia em busca dos assaltantes. Ele disse que, assim que foram acionados, os amigos em São Paulo ativaram o rastreador de um iPhone que havia sido levado. Quando o dispositivo encontrou o aparelho, os assaltantes estavam no bairro Floresta, na rua Raimundo Bizarrias, a 10 quilômetros do hotel.
Em São Paulo, amigo do grupo ajuda a localizar um dos bandidos Foto: Lennon Rebechi / vc repórter
Em São Paulo, amigo do grupo ajuda a localizar um dos bandidos
Foto: Lennon Rebechi / vc repórter
Em contato com os amigos por WhatsApp, a vítima que estava dentro da viatura repassava as informações aos policiais. “Começou uma caçada pelas ruas de fortaleza. De São Paulo, íamos informando a localização exata deles, com imagens em tempo real das ruas e das casas por onde os assaltantes estavam passando”, lembrou Lennon. “Os bandidos se dividiram em dois carros e uma moto. Cada hora dava um endereço”, disse Roberto.
Cerca de uma hora e meia depois do início das buscas, o grupo que monitorava o trajeto feito pela quadrilha verificou que o iPhone estava dentro de uma favela. Roberto contou que os policiais invadiram uma casa e lá encontraram um dos menores de idade envolvidos no roubo. “Ele informou a localização do restante do bando e do carro. No decorrer da ocorrência, foram descobertos outros crimes de roubo, incluindo outros dois carros e uma moto, que também foi utilizada no assalto”, relatou Lennon.
Os bandidos foram presos cerca de uma hora e meia depois Foto: Lennon Rebechi / vc repórter
Os bandidos foram presos cerca de uma hora e meia depois
Foto: Lennon Rebechi / vc repórter
Apesar do susto, os dois amigos disseram que os turistas assaltados passam bem. O grupo foi encaminhado à 5ª Vara da Infância e da Juventude e, segundo Lennon, os criminosos foram autuados em flagrante, logo depois de serem reconhecidos. Ele afirmou que todos os pertences foram recuperados e que a ocorrência foi registrada no 2º Distrito Policial de Fortaleza.
Roberto Gil, Luiz Caparelli e Lennon Rebechi ajudaram os turistas à distância Foto: Lennon Rebechi / vc repórter
Roberto Gil, Luiz Caparelli e Lennon Rebechi ajudaram os turistas à distância
Foto: Lennon Rebechi / vc repórter
Procurada pelo Terra, a 5ª Vara da Infância e da Juventude informou que os três menores apreendidos na ação policial seriam internados por 45 dias, no mínimo, para aguardar julgamento. Em caso de confirmação da internação definitiva, os trio poderá receber pena de seis meses a três anos de detenção. Segundo o órgão, caso não sejam condenados e não possuam pendências criminais, a lei determina que eles sejam liberados.

A Policia Militar de Fortaleza não se manifestou sobre o caso e, até as 18h30, a reportagem não conseguiu contato com o 2º Distrito Policial.

O leitor Lennon Rebechi, de São Paulo (SP), participou do vc repórter, canal de jornalismo participativo do Terra. Se você também quiser mandar fotos, textos ou vídeos, clique aqui ou envie pelo aplicativo WhatsApp, disponível para smartphones, para o número +55 11 97493.4521.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI