30 janeiro, 2015

Sozinha na floresta

BRASÍLIA - Ao reaparecer na segunda-feira após um sumiço de 45 dias, Marina Silva usou uma metáfora amazônica para descrever a fase de seu projeto político. "Este não é o momento da cheia. É o momento da vazante", disse, referindo-se à época em que os rios perdem volume e ficam com as margens expostas. 


Três meses depois da derrota na eleição presidencial, Marina amarga uma temporada de seca. Os dois coordenadores da campanha de 2014, Walter Feldman e Luiza Erundina, abandonaram o barco. A ex-senadora ficou sozinha na floresta com os escudeiros que a acompanham desde que assumiu o Ministério do Meio Ambiente, há 12 anos. 

Marina quer registrar a Rede Sustentabilidade em março. O partido nascerá nanico: segundo dirigentes, deve atrair até cinco deputados federais, menos de 1% dos 513. Sem mandato, a ex-senadora será representada pela 18ª bancada da Câmara, ao lado de PSOL e PHS. É muito pouco para influenciar votações e pressionar o governo Dilma. 

No Congresso, o embate com o Planalto tende a ser liderado por Aécio Neves. Ele terá a tribuna do Senado, a infantaria do PSDB e a força dos 51 milhões de votos no segundo turno, quando Marina o apoiou. 

Diante deste quadro, alguns aliados entendem que a acriana deveria fazer um recuo estratégico e disputar a Prefeitura do Rio ou a de São Paulo no ano que vem. Ela desautoriza as conversas, indicando que seu projeto é nacional e mira 2018. 

A sobrevivência da terceira via marineira dependerá de fatores ainda imponderáveis, como os danos que a Operação Lava Jato causará aos grandes partidos e a decisão do ex-presidente Lula de entrar ou não em uma nova disputa presidencial. 

Em público, a ex-senadora desconversa sobre a hipótese de disputar o Planalto pela terceira vez seguida. "Não consigo ficar na cadeira cativa de candidata. Meu objetivo de vida não é ser presidente do Brasil", disse, na segunda-feira. 





bernardo mello franco Bernardo Mello Franco é jornalista. Foi correspondente em Londres, editor interino da coluna Painel e repórter de "Poder" e da Sucursal do Rio. Também trabalhou no "Jornal do Brasil" e no jornal "O Globo". Escreve às terças, quartas, quintas, sextas e domingos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI