26 fevereiro, 2015

Cardozo diz a Janot que inteligência detectou ameaça a sua segurança

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, avisou a Rodrigo Janot que a área de inteligência do governo detectou um aumento do risco à segurança do procurador-geral da República e sugeriu que sua segurança fosse ampliada. 

Segundo a Folha apurou, na manhã desta quinta-feira (26) já teriam sido adotadas medidas para incrementar o aparato de segurança do procurador-geral. 

O encontro entre as duas autoridades aconteceu na noite de quarta, no gabinete de Janot, e não foi registrado nas agendas de nenhum deles. Quando confrontados pela Folha, primeiramente tanto um quanto o outro alegaram um projeto de iniciativa conjunta como assunto. 

O encontro ocorre às vésperas de Janot entregar a lista de políticos denunciados ou que terão inquéritos abertos para apurar relação com os desvios da Petrobras investigados na Operação Lava Jato

Janot vem adiando sucessivamente a divulgação da lista. O último adiamento ocorreu nesta semana, quando era aguardada a revelação dos nomes. 

Diante do vazamento do encontro reservado com Cardozo, o procurador-geral comentou com interlocutores o desconforto com a impressão de que ele teria tratado da lista dos políticos com o ministro. 

Janot então explicou que a verdadeira razão da conversa teria sido a ameaça a sua integridade. Cardozo não detalhou essas ameaças, mas disse que há "radicais se avolumando em vários segmentos", e sugeriu que o procurador adotasse precauções adicionais.
A inteligência do governo estaria monitorando, ainda, riscos a outras autoridades, não detalhados no encontro. 

Questionados sobre a possibilidade de o alerta soar como uma tentativa de intimidar Janot às vésperas da esperada lista, interlocutores do procurador dizem que ele entendeu a visita como uma legítima preocupação do ministro com sua segurança. 

MICHEL TEMER
 
Na manhã desta quinta-feira, depois de encontrar Cardozo, Janot teve nova reunião não registrada na agenda. O procurador-geral foi visitar o vice-presidente da República, Michel Temer. A conversa ocorreu na residência oficial do peemedebista, o Palácio do Jaburu. 

Segundo a assessoria da PGR, Janot foi pedir a Temer a garantia de que os recursos orçamentários para conceder reajustes salariais no ministério Público serão mantidos no Orçamento. A preocupação se deve, segundo a assessoria, a uma greve de servidores que já dura semanas. 

Ainda de acordo com assessores, Janot e Temer não trataram em nenhum momento da lista da Lava-Jato. A assessoria não soube informar por que o encontro não foi divulgado e ocorreu na casa de Temer, e não em seu gabinete no Palácio do Planalto.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI