19 novembro, 2015

Governo mudará cálculo de prejuízo de fundos de pensão


Por Guillermo Parra-Bernal e Tatiana Bautzer


 
(Reuters) - O Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC) discutia nesta quarta-feira uma mudança na legislação para contabilizar os investimentos dos fundos de pensão, o que reduzirá os prejuízos dos fundos estatais e também os aportes das entidades patrocinadoras e de seus funcionários, segundo três fontes com conhecimento do assunto.


A mudança mais imediata ocorrerá no Funcef, fundo de pensão da Caixa Econômica Federal, disse uma das fontes.

Pelas novas regras, o fundo ganhará tempo para contabilizar as oscilações de mercado de sua carteira de títulos e valores mobiliários, especialmente das perdas em suas participações acionárias em companhias de capital aberto, segundo a mesma fonte.

No caso do Funcef, o resultado será uma redução do prejuízo acumulado dos últimos três anos, de cerca de 5,6 bilhões de reais, para pouco mais de 500 milhões de reais. A mudança, aprovada às vésperas da publicação do balanço do banco estatal, reduz a necessidade de um aporte da Caixa e dos funcionários do banco para cobrir os prejuízos atuariais do fundo.

Mas, segundo uma outra fonte, a nova regra será válida para todos os fundos de pensão do país. A questão estava sendo discutida numa reunião do conselho que começou as 10h em Brasília.


Estou sentindo um cheiro de enxofre no ar...

3 comentários:

  1. Sob medida para os patrocinadores. Quando ocorre déficit, altera-se a lei para poupar os patrocinadores, quando ocorre superávit, invoca-se a reversão de valores da ilegal RS 26/2008. Fazer o que, perderam o pudor e debocham da nossa cara. A estatais patrocinadoras precisam gerar lucro para equacionar o rombo do orçamento de 2016, e os fracos terão que pagar a conta.
    Teremos um tsunami de fundos quebrados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, por isso mesmo eu falei que o cheiro de enxofre já exalava pelo ar. Eu não sonho com mais nada. Mas não vou deixar de denunciar os "mal feitos"deles. Eles apelidaram a corrupção de "mal feitos".

      Excluir
  2. Se de 5bi reduziu para 500 milhões (1 décimo) o déficit do FUNCEF,por analogia, se tal metodologia de cálculo, digo, pedalada, for aplicada na PREVI, teremos superavit, com formação de Reserva de Contingência e Especial. Maravilhoso!

    ResponderExcluir

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI