26 setembro, 2016

Palocci 'compensaria' Odebrecht com Petrobras, diz empreiteiro em e-mail

Danilo Verpa - 26.set.2016/Folhapress
Palocci é preso temporariamente na 35ª fase da Operação Lava Jato, em São Paulo, investigado por negócios ilícitos com a empreiteira Odebrecht

Mensagem obtida pela força-tarefa da Lava Jato indica que o ex-ministro Antonio Palocci prometeu "compensar" a empreiteira Odebrecht após o ex-presidente Lula ter vetado a aprovação de um crédito previsto em uma medida provisória de interesse da construtora, segundo o juiz federal Sergio Moro. 

De acordo com a mensagem, a "compensação" à empreiteira poderia ocorrer por meio de contratos com a Petrobras. Palocci foi preso na manhã desta segunda na 35ª fase da operação. 

Palocci teria dito a Marcelo Odebrecht, acionista da construtora, preso pela Lava Jato, que o revés imposto por Lula teria ocorrido por influência do ex-ministro da Fazenda Guido Mantega, de acordo com o texto. 

O e-mail, enviado a executivos da empreiteira em 13 de agosto de 2009, começa com um bordão de Odebrecht: "Tudo que é bom, é difícil. Tudo que é fácil, não é para nós". 

No texto, o acionista da empreiteira escreve que "Italiano [referência a Palocci, segundo a PF] acabou de me ligar. Disse que GM [Guido Mantega, para a PF] manipulou a info para o PR [Lula, de acordo com os investigadores]. Vai estar com PR na 2ª ou durante o final de semana. Combinamos de nos encontrar amanhã as 15hs. Ele mesmo pediu além dos argumentos para a sanção/veto parcial, que levássemos alternativas para nos compensar". 

Por fim, Odebrecht exclama: "Sejamos criativos!" 

Segundo os investigadores, o pleito não atendido refere-se a uma espécie de crédito que constava do projeto da medida provisória 460/2009.
De acordo com o Ministério Público, Palocci era informado com regularidade por Marcelo Odebrecht de demandas da empresa, inclusive por mensagens criptografadas, e teve quase 30 encontros pessoais com executivos da empreiteira. 

"Verificou-se uma atuação intensa e reiterada de Palocci na defesa de interesses da Odebrecht", disse a procuradora da República Laura Tessler. 

Ainda segundo a investigação, Palocci atuava como um "gestor" de uma conta corrente de propinas que a Odebrecht mantinha em favor do PT, que movimentou pelo menos R$ 128 milhões entre 2006 e 2013, de acordo com planilhas apreendidas na empreiteira. 

Palocci teria recebido, pessoalmente, pelo menos R$ 6 milhões, segundo anotações que apontam "Italiano" como beneficiário dos recursos –o apelido do ex-ministro entre os funcionários da Odebrecht. 

A Polícia Federal ainda investiga de que forma os repasses eram feitos e se havia outros beneficiários finais do dinheiro. 

'MIX'
 
Em um dos trechos da mensagem, Marcelo Odebrecht lista as opções que teriam sido negociadas com Palocci para compensar a empreiteira. Uma delas seriam contratos com a Petrobras. 

"O ideal seríamos colocar valores de qt somos compensados em cada uma das opções abrindo assim um menu/mix de escolha tributárias e ou com a Petrobrás", escreveu Odebrecht. 

Por fim, o executivo diz: "Vamos sair melhor do que se tivéssemos ganho".


FOLHA

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI