15 julho, 2015

Por que a CONTRAF e ANABB insistem na negociação para acabar com a CASSI ???



Caros Colegas,
 
Após o próprio Diretor Carlos Neri (ex-Presidente da CASSI e atual Diretor Executivo do BB – Diretor de Relações com Funcionários e Entidades Patrocinadas) afirmar que a CASSI está MAL GERIDA, conforme vídeos produzidos pela equipe dele, acreditamos que jamais poderá arguir que foi montagem (vídeo 3 ) -http://www.cassiemdebate.com.br/#home
Foi o próprio Diretor Carlos Neri (enfatizamos: ex-Presidente da CASSI) quem afirmou que em 2007 a CASSI  recebeu do Banco do Brasil R$ 300 MILHÕES para implantar as medidas estruturantes e até hoje nada foi feito.
 
Pergunta nº 1: onde foi parar o dinheiro?
 
Pergunta nº 2: Porque ao invés de APURAR o destino dado àqueles R$ 300 milhões, essa nova diretoria da CASSI quer um novo “cheque em branco” no valor R$ 150 milhões para implantar as mesmas medidas estruturantes não implantadas até hoje? Não é estranho isso?
 
NOTA 1: Foi o próprio Diretor Carlos Neri (repetimos: ex-Presidente da Cassi) quem declarou no vídeo 3 que a CASSI é um mero “centro pagador” e não dispõe de um sistema eficiente de controle de custos, desempenhos, regulação, e que tudo isso fica muito evidenciado quando confrontado com as medianas comparativas da UNIDAS (associação de vários planos de auto-gestão em saúde: Petrobrás; CEF; BB; etc.).
 
Numa CONTA DIRETA, somente passível de comprovação com a abertura dos números verdadeiros da CASSI, pode-se inferir:

- A redução, em média de 40% dos desmandos da CASSI, mas, ainda assim mantendo uma ineficácia de 20% superior às medianas da UNIDAS quando somadas com as despesas administrativas que cresceram de forma estratosférica, chega-se facilmente ao montante de R$ 500 MILHÕES de desperdício somente em 2014 em suas contas.

Pergunta nº 3: O Banco participa ativa e efetivamente da cogestão da CASSI, nomeando seu Presidente e seu Diretor Administrativo e Financeiro. Ainda, por intermédio de seu Diretor de Relações com Funcionários e Entidades Patrocinadas, Carlos Neri (insistimos em registrar: ex-Presidente da CASSI) fez as denúncias por vídeo, portanto, não parece lógico concluir que ele seria o principal interessado em APURAR estes desmandos? Por que não o faz?
 
NOTA 2: Com relação ao déficit da CASSI o Estatuto é claro no Artigo 25.
Art. 25. Eventuais insuficiências financeiras do Plano de Associados da CASSI poderão ser cobertas pelo Banco do Brasil S.A. exclusivamente sob a forma de adiantamentos de contribuições.
 
Questões diretas para reflexão dos FUNCIONÁRIOS NOVOS do BB (em atividade):
Colegas, parem alguns minutos e pensem:
 
a) quem seriam os maiores prejudicados com a transferência dos R$ 5,8 bilhões atualmente contabilizados como passivo atuarial para pagamento de compromissos futuros dos planos de todos os aposentados e pensionistas - atuais e futuros (Deliberação CVM 695 – que pode ser visualizada no seguinte endereço: http://www.cvm.gov.br/export/sites/cvm/legislacao/anexos/deli/0600/deli695.pdf) uma vez que eles são suficientes apenas para alguns poucos anos, ao contrário do que afirma o Diretor Carlos Neri?
 
b) quem seria o maior beneficiário se fosse aceita essa transferência, uma vez que tais recursos, segundo o negociador, “teriam destinação própria e seriam administrados pela DTVM – leia-se Banco do Brasil”, cobrando taxas de administração a seu bel-prazer, como tem praticado com os recursos que administra tanto da CASSI quanto da PREVI?
 
c) quem seria o maior beneficiário dessa proposta se, junto com a transferência do passivo atuarial, o Banco também se desobrigaria de cobrir déficits futuros CVM 695, itens 26 a 31)? 
Vejam o texto abaixo realçado em vermelho.
 
d) Os colegas acreditam nessas promessas como sendo positivas aos Associados? Vide as alterações feitas nos Estatutos da CASSI, nos últimos anos, que só nos trouxeram encargos adicionais (aumento de nossa contribuição mensal de 1 para 3%; coparticipação financeira em exames e procedimentos; incidência de contribuição sobre nosso 13º salário, etc.)? Nenhuma contrapartida foi adicionada à nossa Assistência à saúde.
 
Pergunta nº 4 - Questionamentos:
 
Tomando como base a visão dos grandes líderes como a colega ISA MUSA DE NORONHA, Presidente da Federação das Associações de Funcionários Aposentados do BB - FAABB; o Dr. MEDEIROS, colega Presidente da Associação de Aposentados AFABB-RS e Conselheiro Suplente eleito da PREVI; o colega Gilberto Santiago, Presidente do Conselho Deliberativo da AAFBB; o colega Ney Marinho, Presidente do Conselho Deliberativo da Associação dos Funcionários Aposentados do BB-AFABB-BAHIA - todos contrários à continuidade das negociações, pois o Banco está impondo como única condição o fim do compromisso do BENEFÍCIO DEFINIDO - obrigação de continuar fornecendo plano de saúde aos funcionários aposentados e pensionistas -; perguntamos:
 
a) por que a CONTRAF-CUT e a ANABB ainda continuam insistindo nessa negociação, na forma como vem sendo conduzida? Por quê?
 
b) qual o objetivo de constranger os colegas atuários - todos empregados do Banco, ou da CASSI ou PREVI - para que forneçam NOTA TÉCNICA validando as "provisões atuariais"?  

E mesmo assim esses profissionais, com bastante coragem, fazem a ressalva que os cálculos se baseiam nas condições atuais de contribuição de 4,5% e não preveem déficits futuros, outros tratamentos, novas tecnologias na área da saúde, etc.?
 
c) o que está por "debaixo desses panos" diante de tanta insistência em acabar com a CASSI, um Plano de Saúde que existe há mais de 71 anos e que já foi um dos melhores do Brasil?
 
Pergunta nº 4: - direcionada a todas as ASSOCIAÇÕES integrantes, ou não, da mesa de negociação:
 
O vídeo nº 3 citado, contendo as declarações do Diretor Carlos Neri, não seria o ponto de partida para ser apresentado ao MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO e, consequentemente, solicitar instauração de procedimento investigatório junto a CASSI nas áreas administrativa, financeira, contábil, de contratos e operacional para apurar todas essas denúncias qualificadas efetuadas pelo próprio Diretor Neri, coincidentemente ex-Presidente da CASSI e atual Diretor Executivo do Banco do Brasil?
 
Em tempo: Aproveitem e deem uma olhadinha nas atribuições do MINISTÉRIO PUBLICO 
DA UNIÃO (grifos nossos).
 
LEI COMPLEMENTAR Nº 75, DE 20 DE MAIO DE 1993:
 
Art. 5º São funções institucionais do Ministério Público da União:
 
III - a defesa dos seguintes bens e interesses:
 
e) os direitos e interesses coletivos, especialmente das comunidades indígenas, da família, da criança, do adolescente e do idoso;
 
Art. 6º Compete ao Ministério Público da União:
 
VII - promover o inquérito civil e a ação civil pública para:
 
d) outros interesses individuais indisponíveis, homogêneos, sociais, difusos e coletivos;
 
Pergunta nº 6:
- SERÁ QUE NÃO ESTÁ PASSANDO DA HORA DE AGIR? ... Ou vamos cair na mesma cilada do BET de concordar com a consulta para depois agir reativamente?
 
INFORMAÇÃO IMPORTANTE:
 
A AFABB-BAHIA já marcou Assembleia Geral, dia 23.07.2015, dos seus Associados para analisar, e se for o caso, decidir pelo ingresso de AÇÕES JUDICIAIS que assegurem os direitos dos seus Associados, igualmente Associados à CASSI.

Finalizando, um pedido nosso, do Grupo: por gentileza, repasse este e-mail para todos os seus contatos (colegas), principalmente os que ainda estão na ativa. É muito importante que todos estejamos conscientes dos riscos que estamos correndo.

Uma boa reflexão para todos!

Abraços,

           Grupo MEIA DÚZIA DE TRÊS OU QUATRO
 
José BEZERRA Rodrigues  ANDRÉ MASCARENHAS e NASSER José Kadri
 
Respectivamente: Supervisor Geral e Supervisores

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI