03 julho, 2015

CASSI: *Conto da Carochinha* está a caminho ...


Queridos e sofridos amigos, com o eu,

Subscrevemos a importante análise abaixo,  procedida cuidadosamente pelo André, um dos atuantes integrates do Grupo Meia Dúzia.  FIQUEM ATENTOS PARA O GRANDE RISCO QUE ESTAMOS CORRENDO, ALÉM DO  IMINENTE TIRO DE MISERICÓRDIA QUE OS NOSSOS ALGOZES SE PREPARAM PARA DESFECHA-LO AINDA HOJE, 03/07/2015,  EM NOSSOS CORAÇÕES JÁ TÃO JUDIADOS. 

CORDIALMENTE,

 BEZERRA.


 

Prezados Colegas,

                        *Conto da Carochinha* (Denominação dada a uma pessoa que conta uma MENTIRA com tantas riquezas de detalhes que até pode nos levar a crer tratar-se de uma “verdade” e podemos até vir a chorar).

Na vã tentativa de conhecer a amplitude da CASSI, a CONTRAF-CUT informa que se reuniu com Técnicos e Dirigentes da CASSI no último dia 22.06 para análise detalhada da proposta dos eleitos para ampliação do Modelo de Atenção Integral à Saúde e Estratégia Saúde da Família, o famoso ESF.

Já no dia 03.07 na ANABB ficarão “cara a cara” todos da Comissão de Negociação e, TALVEZ, possam responder conjuntamente todos os questionamentos abaixo:
TROCANDO EM MIÚDOS:
Este projeto, ESF, na forma como está concebido com estruturas próprias de CliniCASSI, tudo leva a crer que é “MEGALOMANÍACO”, pois, segundo boletim do Banco, no estágio atual, com apenas 65 Unidades já consome quase R$ 100 milhões.
Ora, ora, ora ... Qualquer um ASSOCIADOS pode testemunhar que o atendimento dessas clinicas são precários, pois não dispõem, na sua grande maioria, de equipamentos e profissionais qualificados para procedimentos simples como uma “lavagem de ouvido”; exames ginecológicos; etc.
 
E aí ficam as perguntas: 
 
Pergunta nº 1 – CURTA E GROSSA:

- Como que os R$ 150 milhões, ou que seja os R$ 300 milhões requeridos inicialmente, seriam suficientes para a implantação de todo o projeto para atender aos ASSOCIADOS da CASSI dispersos em todo o Território Nacional com mais de 5.000 municípios?
DESMISTIFICANDO:
 
O valor máximo pleiteado (R$ 300 milhões), levando em conta o que está implantado ao custo atual de R$ 100 milhões para o custeio de 65 CliniCASSI, seriam suficientes para que fossem alcançadas 195 unidades – admitindo-se (muito pouco provável) um ganho de escala de 50% - chegaríamos a 300 Unidades.

 Pergunta nº 2 – ISONOMIA

- Como seriam atendidos todos os outros ASSOCIADOS não contemplados com a proximidade de uma das 300 Unidades?

- Ficariam “jogados as traças” ou continuariam sendo atendidos na rede credenciada, mantendo a estrutura paralela de “livre escolha”: onerosa e ineficaz?

- Será que seremos chamados “novamente” para contribuir para implantação de “outras” Unidades totalmente inadequadas a realidade do funcionalismo do Banco?
Pergunta nº 3 – REFERENCIAMENTO – PORQUE NÃO?

- Porque não avançar no projeto de REFERENCIAMENTO com escolhas dos melhores profissionais de cada área, ainda que pagando um preço mais elevado, mas, sabidamente já identificados como a melhor opção do mercado, acabando/reduzindo com as “duplicidades” e “triplicidades” de diagnósticos; exames e tratamentos “desnecessários” impostos por uma parcela dos médicos “comprometidos” com o sistema de “faturamento paralelo”?;
Pergunta nº 4 – AUTOSUSTENTABILIDADE?

- Provado que o projeto, na forma como está estruturado, não é SUSTENTÁVEL e não consegue, mesmo com novos investimentos em torno de R$ 300 milhões, atender aos ASSOCIADOS - por absoluta incapacidade de ganhos de ESCALA -, a insistência na manutenção atende DE FATO aos interesses de quem?

- Seria o ESF o famosos “Cavalo de Troia”; ou o “Docinho na Chupeta” do discurso ilusório com o qual os “eleitos” fariam a campanha para apartar os APOSENTADOS (agora chamados de “pós laborais”), mediante o recebimento da “bagatela” de R$ 5,8 bilhões iniciais, mas já sinalizados com até R$ 7,5 bilhões, deixando-nos TODOS à mingua e desobrigando o Banco (Patrocinador) da manutenção da CASSI para os atuais e futuros aposentados?

- Em quanto tempo toda essa “bagatela” viraria “pó” e seria consumida, levando-se em consideração que será mantida a mesma estrutura de INEFICIÊNCIA já comprovada por todos?
 
Pergunta nº 5 – REUNIÃO DOS ATUÁRIOS SERIA O EMBUSTE?
- Porque não foi adiante o CONSENSO de todas as propostas que circularam – inclusive da FAABB – defendendo como pré-requisito para qualquer negociação uma AUDITORIA CONTABIL E OPERACIONAL DA CASSI para identificar quais seriam todos “os ralos” atualmente existentes e que proporcionam a INEFICIÊNCIA ou DIRECIONAMENTO para inviabilizar a CASSI: referência no mercado há 71 anos?

- Porque aceitaram “trocar” essas AUDITORIAS por simples uniformização dos estudos elaborados pelos “ATUÁRIOS” do Banco, PREVI e CASSI (todos COMANDADOS pelo Patrocinador), atualmente reunidos?

- Estariam estes “ATUÁRIOS” incumbidos de promoverem uma “fórmula milagrosa/mágica” que seria “bombardeada intensamente”, através da mídia, para “provar” que o Banco (santinho do “pau oco”) é muito “bonzinho” ao direcionar a “fortuna” de XX bilhões para “pagar” Planos de Saúde de APOSENTADOS?;

- Porque o Banco está tão interessado em TROCAR o nossa Plano de Saúde da CASSI de “BENEFICIO DEFINIDO” por “Contribuição Definida” e, com isso, isentar-se de TODAS as responsabilidades em relação aos APOSENTADOS, atuais e futuros? Quem “lucraria” com isto?

- Quem está interessado em “absorver” o mercado dos APOSENTADOS tão logo sejam jogados às traças?

´A quem interessa manter a pecha de que os APOSENTADOS não passam de “aproveitadores”, pois o Banco até aumentaria a sua contribuição em 0,99% para cada um dos funcionários ATIVOS?

Pergunta nº 6 – Porque a REALIDADE NÃO VEM PARA A MESA?
- O Próprio Banco reconhece que vem se apropriando das receitas da CASSI quando não SUPLEMENTA A DIFERENÇA DO CUSTO, entre a receita obtida com um funcionário do BB recém contratado pelo salário bruto de R$ 2.227,26, sem dependentes, na faixa etária entre 24 e 28 anos, contribui com R$ 66,82 para o Plano, em igualdade de condições com outro funcionário com 45 anos de idade, esposa e mais dois filhos como dependentes?

- O próprio Banco, apresenta os efeitos de comparação com o mercado: o primeiro pagaria aproximadamente R$ 320,42, quase cinco vezes o que é pago para a Cassi. E, no segundo exemplo, o grupo familiar pagaria cerca de R$ 1.546,04, ou seja, mais de 23 vezes o que contribui para a Cassi?
 
http://www.cassiemdebate.com.br/#boletim-pessoal (29.04.2015)
 
Pergunta nº 7 – MENTIRAS, MENTIRAS ... ATÉ QUANDO?
- Até quando aceitaremos tantas MENTIRAS e serviremos – tão somente - como “massa de manobra”; “palhaços” e “joguetes” na mão de negociadores da vida alheia?
CHEGA !!!!!........BASTA !!!!!.......DIGA NÃO !!!!!!!
 
Por fim, acho melhor agente ir avisando – por e-mail, telefone, etc. - aos nossos colegas que a sala quentinha da televisão, em breve, dará lugar a uma pilha ainda maior de remédios para “pressão alta”, fornecidos pelo SUS, pois a CASSI está sendo transformada numa “CAIXA” de dor de cabeça!
Ainda dá tempo!
 
André Mascarenhas
 

2 comentários:

  1. Simples: querem acabar conosco mais rápido, para ficarem com o nosso fundo.
    Seja bem vinda querida!
    Senti sua falta.

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada, meu adorável anônimo!
    Também senti muita falta de vocês.

    Abraços

    ResponderExcluir

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI