11 setembro, 2015

Negociações da Cassi

cassi2 
No dia 04/09, ocorreu mais uma negociação sobre o déficit da Cassi. No informe sobre esta reunião, já se fala que, com o simples repasse de valores devidos à Cassi, as contas de 2015 fecham sem consumir todas as reservas. Só agora o BB descobriu que havia  recursos que eram devidos à CASSI, provenientes de acertos do PAS – Programa de Assistência Social e de benefícios do INSS ? Parece que o clima de terror, constante nos diversos comunicados aos funcionários, tem como objetivo facilitar a aprovação de propostas que nos façam abrir mãos de direitos, onere os associados e, acima de tudo, que livre o Banco de sua responsabilidade com o custeio de nossa saúde.

Reafirmamos nossa posição publicizada na semana passada, “PROPOSTAS EMERGENCIAIS, SIM. ÀS CUSTAS DOS TRABALHADORES, NÃO. Por isso, achamos equivocada a proposta apresentada pelas entidade que compõem a mesa de negociação, de dedução de 5% da PLR como contribuição emergencial à CASSI. Esta proposta não foi aprovada em assembleia ou pelo Congresso Nacional dos funcionários do BB , nem faz parte da minuta da campanha salarial . E, acima de tudo, significa que somos nós os principais penalizados pelo déficit, à medida em que não estabelece nenhuma contrapartida do próprio banco.

Também consideramos equivocada a defesa da inclusão, no Estatuto da Cassi, do compromisso de proporcionalidade de contribuição que seria uma vez e meia do BB para uma dos associados. Esta proposta não tem  caráter emergencial , porque a contribuição já acontece desta forma. Além disto, abandona a tradicional bandeira do funcionalismo, que é a exigência de que o BB contribua 2 para 1 , como ocorria até a reforma estatutária de 1997.

Somente chegaremos a uma proposta que responda aos interesses do funcionalismo se houver mobilização. Por isso, defendemos que a CASSI seja um dos principais temas de nossa campanha salarial. Defendemos ainda que todas as propostas apresentadas sejam amplamente debatidas com a categoria. Consideramos corretíssima a proposta contida em uma carta assinada por vários delegados sindicais do Rio de Janeiro, chamando os Sindicatos e as entidades representativas dos aposentados a organizarem, junto com os delegados sindicais de base, um Encontro Nacional aberto, com a participação dos funcionários da ativa e aposentados, para realizar esse debate e de onde deve sair a proposta do funcionalismo .

Muitos colegas têm questionado sobre a minha participação nas negociações a respeito da CASSI. Meu mandato está a serviço de ajudar a organizar o funcionalismo nos enfrentamentos com o BB.  E hoje , a questão da CASSI, é fundamental para o funcionalismo. Por isso, já há algum tempo venho solicitando o direito de participar da mesa de negociação com o banco. Participam da comissão 5 entidades, com seus representantes: a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramos Financeiro (CONTRAF/CUT), a Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Empresas de Crédito (CONTEC), a Associação Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (ANABB), a Federação das Associações de Aposentados e Pensionistas do Banco do Brasil (FAABB) e a Associação dos Aposentados e Funcionários do Banco do Brasil (AAFBB). Das 5 entidades, 4 já se posicionaram favoravelmente à minha participação: CONTEC, ANABB, AAFBB e FAABB.

Aguardo o posicionamento da CONTRAF/CUT, esperando que compreendam que sou representante eleita de toda a categoria, a quem interessa que eu participe destas reuniões.

Juliana Donato – 
Representante no Conselho de Administração do BB

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI