10 agosto, 2015

...CASSI - Será que a ANABB; CONTRAF-CUT e CONTEC atuarão como PELEGOS?



Caríssimos amigos(as) e colegas,

Entendemos que tudo tem o seu limite, até porque o direito de um vai até onde começa o do outro. As negociações atuais entre BB  e CASSI, chegaram ao limite extremo de toleância, pois  boa parte dos negociadores se comportam como desentendidos ou até mesmo contra os  legítimos intereses dos funcionários, consequentemente do lado do muro. CHEGA, BASTA DE TANTA FALCIDADE. O contido no texto abaixo, redigido  sem meias palavras ou  arrodeios,  traduz o pensamento sincero e  dominante do Grupo Meia Dúzia de Três ou Quatro.  Se alguem entender que os termos do mesmo estão ásperos, por favor nos desculpem, mas  a VERDADE, nos permite a todos, prega-la em linguagem inteligível ou mesmo em dialeto. Desculpe(m) também o(s) que achar(em) que a "CARAPUÇA" lhe cai como uma luva à mão.


Cordialmente, 

BEZERRA - 
Supervisor Geral.

PREMISSAS BASICAS do GRUPO MEIA DÚZIA




Prezados Colegas,

Em um passado não muito distante, muitas foram as campanhas sindicais para "destronar" lideres sindicais demonizados por "acordos nas caladas da noite" para beneficiar os Patrões e ferrar com os trabalhadores ... Será que voltamos ao tempo dos vendilhões?

Será que a CONTRAF-CUT; ANABB; CONTEC que, no passado comandavam tais campanhas, decidiram mudar de lado, inovando com "Consultas" mobilizadas dentro da táticas Nazistas: mentiras; terrorismo e chantagens?

Aceitar promover Consulta ao Corpo Social para decidir sobre o fim da CASSI DO BENEFICIO DEFINIDO, somente demonstrará que estamos diante de novos "PELEGOS"; "TRAIRÁS"; "EMBUSTEIROS" e "ENTREGUISTAS" ... Será?

DIREITO ADQUIRIDO NÃO SE NEGOCIA: EXIGE-SE!

"Lavar as mãos", neste momento, assemelha-se a atitude de Pôncio Pilatos:
- CRUCIFICAR TODOS OS FUNCIONÁRIOS ATIVOS, APOSENTADOS, PENSIONISTAS e DEPENDENTES ECONÔMICOS a perda do DIREITO ADQUIRIDO há mais de 71 anos: época da criação da CASSI.

Fazer jogo de palavras defendendo que a criação do FUNDO CASSI atende as necessidades dos aposentados e pensionistas é de uma irresponsabilidade sem tamanho:
- Estão brincando com SAÚDE e a VIDA de 420.000 Titulares e Dependentes do PLANO CASSI ASSOCIADOS BENEFÍCIO DEFINIDO.

Misturar numa mesma "negociação" DEFICIT DA CASSI com problemas de impactos no "passivo" no Balanço do Banco - além de irresponsabilidade - levanta todas as suspeitas de que existe "interesses escusos" não revelados; Será ?

VAMOS COLOCAR UMA LINHA DIVISÓRIA NISTO TUDO?

a) BALANÇO DO BANCO - INEFICIÊNCIA OPERACIONAL: Cabe ao BANCO resolver com os órgãos reguladores: Ministério da Fazenda; CVM; BACEN ou qualquer outro órgão;

b) CASSI ASSOCIADOS É BENEFICIO DEFINIDO: obrigação da Entidade cobrir os riscos atuariais e financeiros, inclusive eventuais déficits;

c) CASSI - CONCEITO: MELHOR PLANO MÉDICO-HOSPITALAR COM MENOR CUSTO;

d) CASSI - SOLIDÁRIA: todos contribuem com o mesmo percentual e TODOS usam à medida das suas necessidades;

e) CASSI - CUSTEIO: 1 cota para os funcionários (3%) e 1,5 cotas para o BANCO (4,5%);

f) CASSI - DEFICIT: diante de tantas denúncias qualificadas  sobre a MÁ GESTÃO DA CASSI, efetuadas pelo Diretor NERI, não resta outra alternativa senão a contratação imediata de empresa(s)  de AUDITORIA EXTERNA INDEPENDENTE com foco em diagnóstico e alternativas para as áreas Administrativa; Financeira; Contratos; Processos e Regulação;

g) CASSI - PROGRAMAÇÃO ORÇAMENTÁRIA: recorrer ao artigo 25 do Estatuto que prevê que o BANCO pode adiantar recursos, até que a AUDITORIA seja concluída e discutida todas as alternativas em fóruns específicos.

h) CASSI - NEGOCIAÇÃO: suspensão imediata.

NÃO existe argumentos, forçação de barra, jogo de palavras; sensibilizações; alinhamentos politico-partidário; interesses "estratégicos"; interesses pessoais que justifique o injustificável:
- tentativa de barganhar; chantagear, muito menos o TERRORISMO com a suspensão dos pagamentos e descredenciamentos da CASSI como argumento para ACABAR com A CASSI BENEFÍCIO DEFINIDO.

Não dá mais para engolir o lema: "OS FINS JUSTIFICAM TODOS OS MEIOS SÓRDIDOS PARA OBTENÇÃO DE RESULTADOS IMEDIATOS" ... Não dá mais para sair por ai atropelando a tudo e a todos.

Diferente disso, é retirar a "máscara" de líderes associativistas e vestir - em definitivo - a armadura de "vendilhões" ... Será ?

Não podemos conviver mais com "meias palavras"; "meias conversas"; "meias verdades"...

Chegou a hora de descer do muro e separar o Joio do Trigo:
- Quem está do lado dos FUNCIONÁRIOS contra quem está do "outro" lado?

Não dá mais para esperar: Sindicatos; Associações; Conselhos de Usuários da CASSI; Movimentos Organizados - manifestem-se abertamente!

André Mascarenhas
.................................................................................................................................
http://medeirosrs.blogspot.com.br/   (transcrição na integra)

VERSÃO DA DIRETORIA REGIONAL DA ANABB PARA A PALESTRA DO RIEDE

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

O prezado colega Celson Matte, diretor regional da ANABB, me solicitou a publicação de um texto, assinado por ele e pelo Ricardo Maeda, atuante coordenador do conselho de usuários da CASSI no RS, responsável pelo convite ao Sergio Riede para proferir palestras sobre a CASSI no RS, com uma versão diversa daquela que eu transmiti na postagem intitulada NÃO PASSARÃO.

Não é normal eu fazer isso, pois tenho dito que o meu blog não é de debates, mas unicamente expressa a minha opinião pessoal a respeito dos acontecimentos do nosso universo do BB.  Mas em se tratando dos aludidos colegas, que respeito,  e da circunstância de que fui conselheiro da ANABB, mantendo com a mesma uma antiga relação de parceria, decidi fazer a publicação, que vai abaixo, para conhecimento,  avaliação e julgamento de vocês.


“Prezado Dr. Medeiros,

Em relação ao publicado em seu Blog na última terça-feira, dia 28, sob o título “Não Passarão”, comentando sobre a palestra proferida pelo Sérgio Riede, Presidente da ANABB, na Sede da AFABB RS, apreciaríamos tecer os comentários abaixo.

O Riede veio ao Estado do RS, proferindo a palestra em três encontros: Porto Alegre, Novo Hamburgo e Santa Cruz. Nesses eventos, tivemos mais de 300 pessoas presentes.  Mercê de sua participação na mesa de negociações com o Banco (juntamente com as outras entidades – FAABB, AAFBB, CONTRAF e CONTEC), firmamos convicção (Diretores Regionais da ANABB no RS e Conselho de Usuários da CASSI RS) que sua vinda traria significativo avanço no nível de esclarecimento das nossas pessoas, sobre um assunto por demais delicado – a sustentabilidade da CASSI.

Ao final dos três eventos, assistidos por nós (e pela caravana de integrantes do Conselho de Usuários que se deslocou para as localidades), restou claro que as entidades que nos representam estão com a indispensável união para enfrentar as questões. Disse ainda o Riede que nas prévias (dia anterior à reunião de negociação com o Banco), as entidades se reúnem, equalizando pensamentos e estratégias – “com o intuito de levar posição uníssona  na mesa de negociação”

Nesse sentido, esclareceu o Presidente da ANABB que existem consensos entre todas as entidades que participam da mesa de negociações. Elencamos:

Necessidade de implantação, na plenitude, do Modelo de Atenção Integral á Saúde;
Manutenção da solidariedade existente, hoje, entre os associados;
Garantia de manutenção dos direitos dos ativos, aposentados e pensionistas, sem perda de cobertura e sem diferenciação de contribuição entre eles;
Permanência do compromisso do Banco do Brasil com a CASSI;
Participação do Banco no rateio dos déficits da CASSI;
Participação do Banco no aporte de recursos para viabilizar as ações estruturantes, como o Modelo de Atenção Integral á Saúde.

Essas premissas foram muito bem destacadas e abordadas pelo Riede nas palestras. Se as entidades possuem pensamentos distintos, isso é salutar, como bem destacou o palestrante, mas também destacou sobre a certeza de que neste momento delicado elas todas estão juntas.

Assim, nem por inferência pareceu-nos haver divergências entre as entidades que nos representam, quando o assunto está na mesa de negociação com o Banco do Brasil. Ao contrário.

De nossa parte, Conselho de Usuários da CASSI RS e diretores regionais da ANABB no RS, sabíamos que a vinda do Riede ao RS não possuía o objetivo de abrir votação para soluções, porquanto ainda não se chegou a essa fase derradeira. Nosso intuito era de trazer informação a nossa gente, e ouvir novas ideias que subsidiassem nossas entidades nessa difícil missão.

Tocante a isso, as palestras atingiram pleno êxito, corroborado pelos diversos feedbacks recebidos.

Acreditamos e confiamos nas entidades que nos representam. Também vislumbramos que o caminho para a sustentabilidade da CASSI passa, neste momento, por uma inevitável negociação. De um lado, o Banco do Brasil. De outro, a própria CASSI e as entidades, que tem feito até agora o que está ao seu alcance. Nós, associados, acreditamos nelas, mas também esperamos que façam por merecer o seu quadro associativo, lutando até o fim.

A ANABB, assim como as demais entidades que “conquistaram” espaço nessa mesa, firmou-se nessa luta. Em seu site, publica o texto comum a todas as entidades, com o resumo da rodada de negociação.

Também no site proporciona espaço sistematizado para que todas as entidades e lideranças ali coloquem suas ideias, dos mais variados pontos de vista. Sempre no intuito de agregar valor às negociações, buscando um final exitoso. Em nenhum momento de suas palestras, o Presidente da ANABB elegeu culpados pela atual situação da CASSI, apenas relatou várias conjunturas que levaram à atual situação. Assim como não trouxe qualquer manifestação de tendência ou expectativa para uma ou outra proposta de solução.

Encerramos esta nossa mensagem trazendo trechos finais das palestras aqui no Estado. Conclamou o Riede para que as pessoas informem-se, leiam, discutam, tomem suas posições, preparando-se para uma eventual e possível consulta ao corpo social da CASSI (nós todos), sobre a aprovação ou não das propostas que possam estar à disposição ao final das negociações. Nenhuma proposta passará sem a devida aprovação pelo corpo social, sem a nossa consciente aprovação. Isso é claro, transparente e insofismável.

Obrigado e grande abraço,


Celson Matte – 

Diretor Regional da ANABB em Porto Alegre
Ricardo Maeda – 

Coordenador do Conselho de Usuários da CASSI RS.


Um comentário:

  1. Não adianta aporte de dinheiro se não mudar a governança e a forma de administrar a nossa CASSI, não podemos esquecer que ela é um plano de saude e tem que ser administrado com tal.Hoje 85% dos funcionarios da unidade estão nas clinicassi voltados para atenção primaria... os outros 15% são divididos em 3 grupos: Regulação, negociação e Coordenação administrativa. Quem cuida da Rede é a negociação que é 5% da mao de obra das unidades...será que ja viram o erro ou tem que desenhar??? Outro detalhe a CASSi investiu milhoes nos ultimos anos em treinamento para seus medicos da clinicassi...e nada, isso mesmo gente, nada para negociação e regulação. A CASSI ainda não tem plano de cargos e salarios...a Postal saude contratou os melhores profissionais da CASSI de todos os Estados, pagando 4X mais...Será que vamos esperar a CASSI ter mais bilhoes de prejuizos para acordar e começar a investir nas areas certas da empresa??? Acorda CASSI!!!

    ResponderExcluir

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI