09 janeiro, 2016

PPS quer ex-dirigentes e Cunha na CPI dos Fundos de Pensão

ABr/Arquivo
Deputado Raul Jungmann (ABr/Arquivo)
Raul Jungmann: “Todos os mencionados são suspeitos de participar de desvios dos fundos", disse o deputado
 
Mariana Jungmann, da AGÊNCIA BRASIL

Brasília - O vice-líder da minoria na Câmara, deputado Raul Jungmann (PPS-PE), apresentou hoje (8) um requerimento na Comissão Parlamentar de Inquérito dos Fundos de Pensão para a convocação do ex-presidente da OAS Leonardo Pinheiro, do ex-presidente da Previ Ricardo Flores e do ex-presidente da Funcef Carlos Augusto Borges, além do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto.

Jungmann decidiu apresentar o requerimento depois que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse que há “fortes indícios” do pagamento de propinas ao PT e ao PMDB com recursos desviados dos fundos de pensão de empresas estatais.

“Todos os mencionados são suspeitos de participar de desvios dos fundos. Janot vê indícios de repasse de propina ao PT e PMDB em esquema fraudulento de adesão dos fundos de pensão na compra de títulos de dívida e debêntures da empresa OAS, o que certamente pode ter-se dado em prejuízo do patrimônio dessas instituições. Isso tudo precisa ser investigado”, disse o deputado.

O PPS deverá entrar com outro requerimento na CPI dos Fundos de Pensão para a convocação e quebra de sigilos bancário, fiscal e telefônico do presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). 

Para o vice-líder do partido, deputado Arnaldo Jordy (PA), a divulgação de troca de mensagens entre Cunha e Léo Pinheiro indicam que o presidente da Câmara obteve vantagens indevidas com o esquema de triangulação entre a OAS, os partidos políticos e os fundos de pensão.

“Cunha precisa ser convocado para se explicar mais essa sujeira. Queremos saber como se deu a sua participação nessa história. Devido aos novos fatos, pediremos a quebra dos sigilos fiscal, bancário e telefônico para podermos confrontar as informações”, disse o deputado.

 
EXAME. Com


3 comentários:

  1. CPI ‘ESQUECE’ FUNDOS COM PASSIVOS BILIONÁRIOS
    A revelação das negociatas de gatunos do Petrolão com o Previ (BB), Petros (Petrobras) e Funcef (Caixa), todos controlados 100% pelo PT, reforça a suspeita de que a CPI dos Fundos de Pensão desvia o foco de quem deveria ser bem mais investigado. Metade das audiências da comissão (46%) se dedicaram ao fundo dos Correios, como se não houvesse mais nada a fazer, convertendo-se em “CPI do Postalis”. E reservando apenas 2 das 33 sessões ao biliardário Previ, por exemplo.

    ResponderExcluir
  2. DEBAIXO DO TAPETE
    Os três fundos praticamente esquecidos pela CPI (Previ, Petros e Funcef) acumulam passivo dez vezes superior ao passivo do Postalis.

    ResponderExcluir
  3. NÃO É COINCIDÊNCIA
    Além da onipresente Odebrecht, fundos controlados pelo PT fizeram negócios com Engevix, Andrade Gutierrez, OAS e Camargo Correia.

    LOBBY PETISTA
    A suspeita no PMDB é que a Previc, órgão que fiscaliza os fundos, aparelhada pelo PT, comanda o lobby do “esquecimento” na CPI.

    BRIGA INTERNA
    Por trás da CPI estaria Eduardo Cunha, na guerra a Renan Calheiros e Edison Lobão, senadores que indicaram diretores para o Postalis.

    ResponderExcluir

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI