15 dezembro, 2014

Lula quer gabinete no PT para gerir crises


Preocupado com o reflexo dos desdobramentos da Operação Lava Jato no PT, o ex-presidente Lula articula com petistas um gabinete de crise para reforçar o comando da legenda a partir de 2015. 
 
Ele quer uma espécie de grupo de notáveis para auxiliar o presidente da sigla, Rui Falcão, nos momentos em que este requisitar. 

A atribuição inicial do grupo é enfrentar o impacto das denúncias de desvios envolvendo a Petrobras e sua ligação com o governo federal e dirigentes de partidos. 

A avaliação é que parte da executiva nacional é "fraca", integrada por alguns dirigentes sem expressão e, portanto, com poucas condições de ajudar a cúpula na fase mais dramática do partido desde o escândalo do mensalão. 

Para um ministro de Dilma Rousseff, o PT será o ''governo paralelo'' de Lula nos próximos quatro anos. Portanto, precisa se fortalecer para ter condições de disputar 2018, sendo ele candidato ou não.

O ex-presidente quer que petistas como o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral), o assessor especial da Presidência, Marco Aurélio Garcia, o ex-ministro Luiz Dulci, o tesoureiro da campanha de Dilma, Edinho Silva e o senador Humberto Costa (PE) integrem essa espécie de ''executiva auxiliar''.

A ideia é criar um plano de reorganização do PT e resgatar a interlocução com movimentos da base do partido.

Desde a eleição, o partido sentiu na carne a disseminação da imagem de corrupto. O desgaste não impediu a reeleição de Dilma, mas levou Rui Falcão a encomendar uma pesquisa para identificar a origem desse sentimento e tentar desmobilizá-lo.

No último encontro do PT, realizado no final de novembro no Ceará, correligionários relataram a Lula que a Executiva da sigla parecia fragilizada, com poucos quadros capazes de ajudar Falcão a reagir às denúncias.

O Palácio do Planalto também se queixa do silêncio de petistas quando a oposição acusa o governo de praticar ilícitos na Petrobras.

Dilma precisou escalar o ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) como porta-voz para enfrentar as acusações vindas do Congresso, onde o Planalto conta com uma ampla base de sustentação.

Dirigentes afirmam que Lula pressiona o campo majoritário do PT para mudar as regras de composição da direção para que a Executiva seja reformulada. A atual diretoria tem mandato até 2017.

FOLHAhttp://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/12/1562162-lula-quer-gabinete-no-pt-para-gerir-crises.shtml

Um comentário:

  1. -Grupo de notáveis: Ze Dirceu, Genuino, Delúbio, André Vargas, Paulinho (PR) Duque, Cerveró, Gracinha Foster, tesoureiro Vacari , secretário alguém que não sabe escrever...

    ResponderExcluir

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI