01 abril, 2015

Os INDIGNADOS DO BB estiveram na PREVI, com membros da Diretoria e Conselhos Deliberativo e Fisca

 Seis dos sete membros da Coordenação do Movimento INDIGNADOS DO BB (Elisa Maniaudet, Leila Penha, Marcos Coimbra, Lago Neto, Ramiro Oliveira e Santina Sbardella) estiveram presentes em duas reuniões realizadas, em 26/03/2015, na PREVI.

          A primeira destas reuniões estava agendada há aproximadamente um mês entre Elisa e Antônio José de Carvalho, membro titular do Conselho Deliberativo, e foi realizada a partir das 11 horas.  Nela estiveram também presentes Cecília Garcez, titular da Diretoria de Administração, e Décio Bottechia, titular da Diretoria de Planejamento.

          Inicialmente, abordamos, rapidamente, as questões abaixo, que mereceram explicações,  mas que ficaram de ser respondidas por escrito:

1 – O que foi feito pelos eleitos desde suas posses;

2 – Há perspectivas de melhorias nos benefícios?

3 – Há algo em vista em termos de mudanças nas regras do Empréstimo Simples?

4 – Estabelecimento de teto nos benefícios?

5 – Há anos foi assinada Carta de Intenções entre PREVI e CASSI.  O assunto foi esquecido?

6 – Alguém devolveu o Bônus de R$ 500.000,00 ?

7 – Todos falam da pujança da PREVI e a respeito do PB1 estar fechado e, portanto, ter uma previsão de ano para sua extinção.  A PREVI, levando em conta que anualmente número expressivo de assistidos do PB1 morre, estuda uma forma de a pujança da PREVI beneficiar estes assistidos do PB1 enquanto vivos estiverem ?

8 – Como os eleitos analisam a mudança de contribuição no PB1, de 2 x 1  para  1 x 1 ?

9 – Já que, legalmente, o papel da PREVIC é o de fiscalizar as atividades dos fundos de pensão, como os eleitos analisam o comportamento da PREVI diante de normas e orientações da mesma?

10- Em 1996, deixou a PREVI de conceder aumento a seus assistidos (usando a terminologia adotada após o Acordo BB-PREVI de 1997), conforme previsto em Normas.  Como os eleitos encaram este problema e se adotaram alguma providência no intuito de corrigir este problema?

11- No passado já longínquo, a PREVI praticamente nada aplicava em renda variável.  Há alguns anos, aplicações da espécie atingem o percentual aproximado de 60%.  Como os eleitos encaram esta situação?


          Cecília Garcez abordou a racionalização de custos, melhoria na informatização, a obediência a processos seletivos no preenchimento de cargos.  Outros temas abordados por Bottechia, Carvalho e Cecília foram o papel da PREVIC, a taxa TAFIC, a pendência do BB junto à PREVIC do estabelecimento de teto no benefício, o TAC – Termo de Ajustamento de Conduta (no colo do BB há muito tempo), e a não vinculação da política de remuneração entre o BB e a PREVI, e, em todos estes pontos, os mesmos demonstraram grande sintonia com as opiniões defendidas pelos INDIGNADOS DO BB.

          Bottechia abordou a implantação, após sua posse, como Diretor,  de nova metodologia nas políticas de investimento, que propicia, em tempo real, melhor análise comparativa entre Rentabilidade e Risco.  Demonstrou ele a necessidade de seguir estratégias diferentes para o PLANO 1 e o PREVI FUTURO, mas ambas sustentadas em três pilares:  LIQUIDEZ,  RISCO   e  RETORNO DO INVESTIMENTO.  Lembrou ele, que no PB1, em nove anos todos os participantes terão condições de requerer aposentadoria e, portanto, nele, há necessidade de priorizar   SEGURANÇA e LIQUIDEZ.  O  PB1 possui previsão de existência até 2080,  aproximadamente.  Foi enfatizado, no que tange às aplicações na  7BR,  que a PREVI limitou-se às aplicações nas primeiras sete sondas, enquanto muitos e importantes investidores aplicaram até a 29ª.
        
          Carvalho lembrou que o Código de Ética impede que alguns assuntos sejam levados ao conhecimento dos assistidos por tratarem de assuntos estratégicos.

          Ao término desta primeira reunião, os INDIGNADOS DO BB colocaram-se à disposição dos ELEITOS para colaborarem na divulgação de seus posicionamentos em relação a assuntos de real importância para os funcionários, tais como:  Reforma dos Estatutos, Voto de Minerva, Teto de Benefícios, Bônus, Transparência.  Carvalho nos convidou  para participarmos de reunião prevista para as 16 horas do mesmo dia e que fora agendada pela AAPBB e pelo MSU e que contaria com a presença do Presidente da PREVI, membros da Diretoria e dos Conselhos.


          No intervalo entre as duas reuniões, os Coordenadores dos INDIGNADOS DO BB protocolaram a entrega de duas cartas:

1ª – Dirigida ao Sr. Presidente da PREVI, formalizando a entrega do MANIFESTO DOS INDIGNADOS DO BB, com 153 assinaturas.  O Manifesto continua disponível em INDIGNADOS DO BB – GRUPO SECRETO (FACEBOOK);


2ª – Dirigida ao Sr. Presidente do Conselho Fiscal da PREVI, encaminhava Petição (AVAAZ), com aproximadamente 2.000 assinaturas, solicitando que o Relatório e Demonstrativos da PREVI (exercício de 2014) fossem APROVADOS COM RESSALVAS.  Por julgarem que, após a entrega ao Sr. Presidente do CF, a Petição cumprira seu papel, os Coordenadores, por maioria absoluta, decidiram que a mesma não mais será trabalhada pelo Movimento.

          A reunião da tarde, na qual, na condição de convidados pelo Carvalho, foram os representantes dos INDIGNADOS DO BB gentilmente recebidos, produziu, em 27/03/2015, Informe da PREVI

Dirigentes da PREVI se reúnem com lideranças

Nela, representante dos INDIGNADOS levantaram as questões abaixo:

1)- Lago Neto argumentou, como já fizera na reunião da manhã, que a Revista da PREVI  deveria dar mais transparência às ações de cada uma das Diretorias, Conselhos e Presidência para assim se aproximar dos ASSOCIADOS.

2)- Santina disse que não conseguia entender as modificações introduzidas no EMPRÉSTIMO SIMPLES, já que ele e o EMPRÉSTIMO IMOBILIÁRIO são para a PREVI aplicações de risco zero;

3)- Elisa, diante de comentários a respeito do Abono de R$ 3.000,00 , alertou Marcel Barros, titular da Diretoria de Seguridade, que equívocos acontecem, como aliás ocorreu em relação à promessa, em campanha eleitoral, de continuação do BET.

4)- Registramos nosso agradecimento por estarmos presentes em uma mesa composta, além dos já citados, por Isa Musa de Noronha.

          Na reunião, foi esclarecido que o BÔNUS de R$ 500.000,00 não fora pago aos membros da Diretoria, no exercício de 2014.  O mesmo foi pago para os exercícios de 2011, 2012 e 2013.

          O Sr. Gueitiro Matsuo Genso, Presidente da PREVI, mostrou-se receptivo às colocações dos funcionários presentes à reunião, inclusive no que diz respeito ao brilhante e contundente discurso de Ruy Brito, Presidente da AAPBB, e prometeu olhar, com bastante atenção, os questionamentos relativos aos empréstimos Simples e Imobiliário e, também, que tudo fará para melhorar a comunicação da PREVI com seus assistidos.

Um comentário:

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI