14 agosto, 2013

LISURA NUM PROCESSO ELEITORAL

PARTE I

Quando ocorrem pleitos eleitorais, sejam eles quais forem, instala-se espontaneamente, uma energia diferente, que traduz um desejo de coisa nova.

Ouve-se de tudo, dentro e fora do processo! É o reinado da democracia!

Cada pessoa se transforma em árbitro e lista sugestões e palpites sobre candidatos, participantes, declamam programas e muito mais.

Algumas pessoas não querem saber de nada e pregam o voto nulo ou em branco. Outras descarregam sua insatisfação nos candidatos, nos governos e acabam não exercendo seu direito de voto.

E chega a hora da verdade... Quem terá ganho?

Ficam felizes ou frustradas? Afinal, aquele voto poderia ter contribuído para mudar uma situação que vem se perpetuando há tanto tempo...

Que pena! Lá se foi a oportunidade de participar do processo, de mudar e de cobrar mudança!

Com certeza, vai bater um arrependimento amargo por ter deixado de cumprir um dever cívico e social na escolha do melhor para a sua cidade, para a sua vida, para a vida do vizinho, para o futuro dos filhos, dos netos, da nação... Tanta gente esperando essa virada!

Amigo, não experimente este estado de espírito de novo!

Nunca deixe que outra pessoa exerça o seu direito de VOTAR. Porque você pode perder também o legítimo direito de COBRAR!

Faça um teste bem simples: pare, respire e reflita sobre quantas eleições você já viveu no seu Clube, na sua Associação, no Condomínio do prédio, no Município, no Estado, no País e avalie se você é adepto dos itens da lista abaixo. Cada acerto vale 01 ponto:

¬    Você já deixou de votar num pleito eleitoral, seja ele qual for?

¬    Você já deixou de votar num pleito eleitoral porque tinha de andar muito para chegar ao local de votação?

¬    Você já deixou de votar num pleito eleitoral, seja ele qual for, simplesmente porque acha que nenhum candidato presta?

¬    Você já entregou sua senha para que alguém votasse por você?

¬    Você já atendeu ao apelo de alguém para votar num determinado candidato, sem conhecê-lo e sem saber se ele é o melhor para o seu grupo?

¬    Você já votou num candidato porque ele ou ela é bonito (a)?

¬    Você já pediu ajuda para preencher a cédula de votação?

¬    Você já entregou a cédula ou o envelope de votação para alguém preencher só porque este alguém é bonzinho, é legal?

¬    Você já entregou a cédula ou o envelope de votação para alguém preencher só porque ele te deu de presente uma camiseta, um boné ou uma carona?

¬    Você já entregou a cédula de votação para alguém preencher só para não sair de casa ou por achar um “saco” ficar marcando esses quadradinhos?

 
Se você respondeu a mais de dois “sim”, você precisa parar e pensar que você está fora do contexto. Aquela pessoa legal, que ajudou você a votar, pode estar ali naquele dia, exatamente para auxiliar pessoas que não se comprometem com o processo?

É bem provável que você nunca mais a veja. E é bem provável que você perceba que aquilo que você gostaria de mudar, permanece como estava. E já se passaram dois anos da última eleição.

Pode ser que você não tenha coragem de cobrar daquele candidato que venceu a eleição, porque você não tem certeza se votou nele.

Logo você, uma pessoa íntegra, séria e justa, não se sente confortável de cobrar o que ele prometeu em campanha. Será que foi nele que o “moço” que te ajudou a preencher a cédula, votou?

O tempo passa e lá vem mais uma eleição! Nesta, até o seu filho já pode votar.

 Não se esqueça de orientá-lo a não aceitar ajuda de terceiros!

Fonte: Adaptação feita com base no Referendo da Irlanda pelo Facebook

Um comentário:

  1. O SILÊNCIO DO MARCEL DIANTE DAS PROMESSAS QUE FEZ E ATÉ AGORA NÃO CUMPRIU, SUGERE QUE O ATUAL DIRETOR DE SEGURIDADE É, NÃO SOMENTE UM HOME INCOMPETENTE, COMO TAMBÉM UM TRAIDOR.

    E PARA ESSE TIPO DE GENTE, JÁ SE SABE QUE DESTINO DEVE SER DADO.

    PORTANTO, SEGUE AQUI UM RECADO PARA ELE:

    ANTES QUE ALGUÉM LHE EXPULSE DAÍ, MARCEL, SAI FORA, CARA!!!

    ResponderExcluir

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI