18 fevereiro, 2014

Conselho Deliberativo da ANABB rejeita proposta da Diretoria

A Diretoria Executiva da ANABB encaminhou ao Conselho Deliberativo proposta de participação da Entidade nas eleições da Cassi e da Previ em 2014, nos mesmos moldes da participação nos pleitos de 2012.

De acordo com a proposta da Diretoria, ao invés de apoiar uma única chapa, a Associação patrocinaria ações que objetivam reforçar a democracia, abrindo espaços iguais para todas as chapas concorrentes. Isso incluiria entrevistas com os candidatos à diretoria das duas instituições e a edição de um jornal comum a todas as chapas, com perguntas elaboradas pela ANABB, bem como debate transmitido ao vivo pela internet, com perguntas elaboradas pelos associados da Cassi e da Previ.

O presidente do Conselho Deliberativo promoveu uma Consulta Epistolar, concluída na quinta-feira, 13 de fevereiro.

A proposta da Diretoria foi rejeitada PELO CONSELHO VALMISTA os 12 conselheiros (Ana Landin, Augusto Carvalho, Cecília Garcez, Cláudio Zucco, Denise Vianna, Emílio Rodrigues, Graça Machado, Ilma Rodrigues, Isa Musa, Mércia Pimentel, Nilton Brunelli e William Bento).

Votaram a favor da proposta da Diretoria 8 conselheiros: Cláudio Lahorgue, Gilberto Santiago, João Botelho, Luiz Careli, Luiz Oswaldo, Maria Goretti Barone, Mário Tasuo e Paula Goto.

O conselheiro José Branisso registrou abstenção.

Como a única proposta em discussão era a da Diretoria Executiva, no momento não há definição de qual será a participação da ANABB nas eleições da Cassi e Previ deste ano.

O presidente do Conselho Deliberativo, João Botelho, ainda analisa alternativas para superar o impasse. Assim que o Conselho Deliberativo definir a forma como a ANABB participará desses pleitos eleitorais, a Diretoria Executiva voltará a informar os associados.

                               -0-0-0-0-0-0-0-

Como associada da ANABB, na minha opinião, o conselheiro José Branisso foi o que melhor se posicionou, posto que a Entidade, em não oferendo-lhe nenhuma alternativa, ele, simplesmente, não opinou. Vejamos abaixo a opinião da conselheira Isa Musa de Noronha que sentiu-se na obrigação de posicionar-se para que sua tomada de posição não viesse a ser entendida de forma torpe :


Voto da conselheira Isa Musa de Noronha NÃO divulgado pela ANABB em seu site:
Nas eleições de 2012, tanto para a CASSI quanto para PREVI a ANABB se manteve neutra. Aquele ano de 2012 era atípico na ANABB. Assumia a entidade um grupo diverso do que por mais de vinte anos capitaneou a ANABB. Não seria possível, face aos imensos desafios que tínhamos pela frente, como o de consolidar uma unidade que se mostrara evidente, mas frágil, na disputa eleitoral interna. Então, naquele ano, a ANABB manter-se neutra nas eleições CASSI e PREVI se justificava.
 
Hoje não! O alheamento da ANABB na disputa efetiva, resultou na vitória de grupos que também há anos se eternizam em nossas Caixas. Pior. Sem ter participado, sem ter nomes seus nos poderes tanto da Cassi quanto da Previ a ANABB perdeu espaço político que, para o bem ou para o mal, mantinha desde 1998.

O resultado dessa perda de espaço assistimos ao longo desses dois anos, quando a ANABB deixou de participar efetivamente das decisões cruciais que envolviam tanto a CASSI e, mais evidente na PREVI. Não tenho nenhuma dúvida de que as discussões dentro da PREVI a propósito do Teto de Benefício não tomariam esse rumo, de impasse, atual, houvesse lá a posição da ANABB, por seu representante em qualquer uma das instâncias, pautando, chamando os interessados (nós, participantes e assistidos), para o debate. Não tenho dúvidas de que a suspensão abrupta do BET teria sido debatida e questionada à exaustão, houvesse na PREVI a ANABB, por seu(s) representantes.

Sem participar, sem ter o poder de decidir lá dentro, na voz e no voto, a ANABB assemelha-se a um canhão sem balas. Um míssil desarmado. Nossas teses levadas à PREVI são meras balas de festim: não ameaçam, não despertam temor e nem respeito.

De sorte que, eu, como conselheira, defendi que a ANABB participe efetivamente das eleições PREVI: montando chapa ou compondo chapa com as demais forças do universo BB, obviamente em oposição ao status quo reinante hoje na PREVI.

Disse ainda, respondendo à "Angela Arlene Bernardini no Facebook: Bem, eu tenho opinião e a defendo. Posso perder, mas a defendo. Acredito que uma entidade do tamanho da ANABB não pode se manter neutra. No meu entendimento, uma Associação tem a obrigação de fornecer a seus associados o seu posicionamento inequívoco – se for para apoiar chapas do mesmo segmento das pessoas que hoje estão na Cassi ou Previ que o faça. Se considerar que é preciso mudar, pois analisando os acontecimentos em relação a Previ (principalmente), há um clamor por mudança, então que apoie e declare. Então, sair divulgando todas as chapas, fazer vídeos, jornais, etc, sem se posicionar é deixar seus associados sem lhes apontar um norte.


Voto da conselheira Ilma Peres não divulgado pela ANABB em seu site:
Senhores Presidente e Vice Presidentes da Diretoria Executiva da ANABB, Senhor Presidente do Conselho Deliberativo e Senhores Conselheiros Deliberativos e Fiscais da ANABB.



Há dois anos, mal acabara de tomar posse o novo grupo eleito no pleito 2011-12 já tinha na sua pauta a participação nas Eleições Cassi e Previ.

Como ainda não se conhecia na íntegra os processos e procedimentos da ANABB relativamente ao período fechado em dez/13, a Diretoria submeteu aos Colegiados, que aquiesceram, que a ANABB não entraria na composição de chapa para aquelas Entidades, mas apoiaria, de forma democrática, todas as chapas inscritas no pleito, mesmo sabendo que o espaço político naquelas Entidades facilitaria, sobremaneira, a ANABB no reposicionamento, diante da criticidade do período, em que a cobrança do associado passou a ser o fiel da balança.



Assim, penso que a ANABB de hoje, que já domina seus processos e procedimentos, deve rever a decisão tomada à época, voltando a pensar na inclusão da Entidade na participação dos pleitos de Cassi e Previ. Até porque em momento algum a ANABB perguntou ao associado, mesmo que numa enquete, se ele ficou satisfeito com o modelo anterior e se ele realmente deseja que a sua associação fique fora das disputas e deixe de ocupar espaço na disputa por Cassi e Previ – até porque só ele pode aferir o peso e o significado que as suas instituições têm na sua vida de funcionário do Banco do Brasil.



Já sentimos na pele o distanciamento que nos impõe o afastamento da ANABB, mesmo que temporário, dos Colegiados daquelas Entidades. A perda de espaço político diminui o peso do voto e da voz da ANABB nos embates que interessam aos associados – aposentados, pensionistas e ativos.



Por outro lado, assunto de tamanha importância mereceria ir ao debate nos Colegiados, mesmo que em reunião extraordinária, para o referendo, por parte dos Conselheiros, que, em novembro, votaram verba específica para a participação da ANABB nos Pleitos de Previ e Cassi.



Ilma Peres Causanilhas Rodrigues  - Conselheira Deliberativa



Fontes desta matéria: ANABB E FACEBOOK 


Um comentário:

  1. Grande Isa Musa. Eu queria você numa chapa ao lado do Medeiros, e de outros experientes e políticos colegas. Grande abraço.
    claudia do rio

    ResponderExcluir

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI