08 julho, 2017

Cunha entrega cardápio completo de delação na próxima semana; presidente do Senado é citado



 
 
Por Painel


Quem ri por último Délio Lins e Silva, advogado de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), tem um encontro marcado com a PGR no início da próxima semana. Apresentará, pela primeira vez, o cardápio completo da proposta de delação do peemedebista. O conteúdo não compromete só Michel Temer e alguns de seus ministros, mas também a cúpula do Congresso. O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), é citado. Cunha trata a própria colaboração como um marco na história da Lava Jato.

Rivais Cunha e Eunício são adversários no PMDB. O senador chegou a processar Cunha e sempre o tratou com desprezo. Nunca pertenceram ao mesmo grupo político.

Estamos fora O volume de informações juntadas pelo peemedebista é tão grande que os advogados Pedro Ivo Velloso e Ticiano Figueiredo decidiram desembarcar da defesa de Cunha. Délio tocará sozinho as tratativas com os investigadores.

Santo de casa Cunha dedicou especial atenção a adversários de seu Estado, o Rio. Segundo aliados, Anthony Garotinho (PR) é citado em diversos trechos.

O guia Cunha tem dito que, após sua colaboração, a expressão “siga o dinheiro” cairá em desuso. “Será siga o bandido”.

Um ou outro O ex-deputado espera concluir as negociações com a Procuradoria até o fim deste mês. A PGR avisou que ou fecha com ele ou com Lúcio Funaro.

A jato Um dia após cobrança da defesa de Geddel Vieira Lima, a mulher de Lúcio Funaro, Raquel Pitta, esteve nesta sexta-feira (7) na PF. Prestou depoimento. Advogados do ex-ministro criticaram o fato de ele ter sido preso por ter contatado Raquel sem que ela tivesse sido ouvida.

Mais pressão O grupo de artistas que pede a saída de Michel Temer lançará um placar on-line para pressionar os deputados a votar a favor da denúncia contra o presidente. O projeto recebeu o nome de #342agora, em referência ao número de votos necessários no plenário da Câmara.

Dos nossos Pivô de reveses para Temer, o presidente da CCJ da Câmara, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), tem recebido acenos da oposição. Integrantes da Rede decidiram procurá-lo. Ele quer disputar o governo de Minas.

Pingos nos is Com o cacife do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em alta, o Planalto fez um freio de arrumação na base. Ministros pediram a líderes de partidos que enviassem de 10% a 15% de suas bancadas à Câmara nesta sexta (7) para garantir a contagem do prazo para a apreciação da denúncia contra Temer.

Estamos vivos Aliados do governo viram como uma “grande vitória” o fato de terem conseguido reunir, na manhã de uma sexta-feira, 72 parlamentares no Congresso. O time de Temer diz que terá os votos para barrar a denúncia tanto na CCJ como no plenário da Câmara.

Na ponta do lápis O Planalto faz e refaz todos os dias contas de votos nas duas instâncias. Fechou a noite desta sexta (7) contando 40 votos a favor de Temer na CCJ.

Guerra interna Presidente do Instituto Teotônio Vilela, José Aníbal, afirma que as declarações de dirigentes tucanos de que o governo Michel Temer está próximo do fim “não correspondem à posição do PSDB”.

Sem função “Estão desrespeitando a decisão tomada pela Executiva. Para que serve, então, o partido?”, questiona Aníbal.

Fogo alto Ao criticar Temer e acenar para Maia, o presidente interino do PSDB, Tasso Jereissati (CE), tentou colocar os que ainda defendem a permanência na base do governo em situação limite. Ficou mal com governadores e presidenciáveis da sigla.

Visitas à Folha Guilherme Afif Domingos, presidente do Sebrae, visitou a Folha nesta sexta-feira (7).
Helio Beltrão, presidente do Instituto Mises Brasil, visitou a Folha nesta sexta (7). Estava acompanhado de Mario Henrique Viana, assessor de imprensa.

TIROTEIO
Os que esperam freio nas investigações com a mudança na chefia do Ministério Público vivem no mundo encantado da corrupção.
DO SENADOR RANDOLFE RODRIGUES (REDE-AP), sobre Michel Temer ter indicado Raquel Dodge, crítica de Rodrigo Janot, para a sucessão na PGR.

CONTRAPONTO
As serpentes que andam 

Em um encontro reservado após a reunião dos Brics, nesta sexta (7), em Hamburgo, na Alemanha, o presidente russo, Vladimir Putin, disse a Michel Temer que gostaria, um dia, de conhecer a Amazônia.
— Mas tem muitas cobras lá. E podem ser perigosas — completou o russo.
— Não tem problema. É seguro — respondeu Temer.
— As cobras perigosas não são as animais!
— Dessas nós também temos — devolveu o russo.
Os dois caíram na gargalhada.

FOLHA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI