20 novembro, 2013

PREVI: Garantindo a tranquilidade

Atendem bem para esta matéria. 


Às vésperas da nossa NOVEMBRADA, a PREVI, NOSSO FUNDO DE PENSÃO, em artigo divulgado em seu site ironicamente dizendo assumir o COMPROMISSO de garantir a tranquilidade aos seus associados e assistidos, reafirma o FIM do Benefício Especial Temporário - BET. Isto é que é tranquilidade...

Tranquilidade, só se for para eles que não estão nem aí para as nossas preocupações, não estão nem aí se a cada dia vão nos deixando mais miseráveis. O que importa é que eles estão garantidos com os altíssimos salários que recebem, com as vantagens que vão abarcar quando se aposentarem. Isto sim é o que importa para eles. Nós... aí, já é com um outro Departamento: o da JUSTIÇA que  por ser mais longo, muitos nem chegarão dela usufruí-lo.

No artigo a PREVI em Informativo de 19.11.2013 diz:

“Algumas empresas em que a PREVI tem participação acionária são avaliadas pela metodologia chamada “valor econômico”, enquanto outras são avaliadas pelo seu valor em Bolsa. Por  que a PREVI não muda a forma de contabilização com o objetivo de ter novo superávit?


Entidades de Previdência como a PREVI são comprometidas com o longo prazo e tem que ser coerentes. Necessitam de um ambiente de segurança contábil e estabilidade jurídica. Elas são administradas não para gerar resultado de curto prazo ou somente em um ano específico, mas para gerar resultados ao longo de muitos anos. A contabilização deve zelar pela preservação do plano de benefícios e pela proteção dos interesses de todos os participantes ao longo do tempo”.

            Sim, mas em dezembro de 2005 ao responder a matéria da Folha de São Paulo, a PREVI escreveu:

“Precificação por Valor Econômico

Cabe ressaltar que a política de precificação por valor econômico que a PREVI utiliza para obter preço contábil de Litel, determinada pela Diretoria Executiva e em conformidade com legislação, prevê avaliação periódica de 2 em 2 anos ou quando de evento relevante que justifique reavaliação para ativos da carteira de participações com valor representativo. O processo é acompanhado por gerências de diretorias distintas da PREVI e o valor submetido à consideração da Diretoria Executiva e Conselho Deliberativo.

Há, ainda, as seguintes justificativas para precificação de Litel por valor econômico:
 
Ações de Litel não são negociadas em bolsa e a forma de precificação tradicional (menor preço entre o custo histórico e o valor patrimonial), dada pela Resolução CGPC nº 5, não representa forma adequada e justa de refletir seu valor” (Inf Previ 22.12.2005).

Ora, a quem a PREVI obedece para reavaliar seus ativos? Quando interessa a quem? Então, em 2005 a PREVI questionava essa Resolução CGPC n° 5 dizendo que ela “não representa forma adequada e justa de refletir seu valor”.

Então a PREVI cumpre Resoluções quando lhes são convenientes e as despreza quando não interessa a quem? Se pode NÃO CUMPRIR a Resolução n° 5 do CGPC, por que se curva às ilegalidades da Resolução CGPC 26? Oportunismo, conluio, interesses escusos?



NOTA IMPORTANTE:

Já são 291 o número de inscrito, mas   há muitos colegas que embora não tenham se alistado já confirmaram presença, inclusive em caravana como é o caso de Belo Horizonte e São Paulo.


Leopoldina Corrêa

6 comentários:

  1. Cara Leopoldina:
    O Medeiros está com dificuldades para postar no blog dele um excelente comentário do João Rossi que recebeu por e-mail (segundo informou hoje no Blog do Medeiros) sobre essa última matéria da PREVI sobre a extinção antecipada do BET. Vc tem contato com o Rossi? Poderia nos fazer um favor de conseguir cópia dessa matéria e publicar no seu blog, ou no do Ari ?

    ResponderExcluir
  2. Cara Leopoldina,

    É importante ressaltar que a PREVI, em seu informativo de 19/11/2003, realça que age dentro da legalidade, o que inviabiliza a continuidade do pagamento do BET.

    Como todos expertos e malandros, a PREVI acabou por se atrapalhar na sua própria malandragem ao tentar dar explicações a perguntas que, sem qualquer dúvida, foram por ela mesma formuladas, na tentativa insana de esfriar nossos ânimos.

    Assim, em resposta ao item 4, informa que "os recursos a que o Banco do Brasil tem direito, conforme determina a Resolução nº 26/2008 do Conselho de Gestão da Previdência Complementar, permanecem na PREVI, contabilizados em conta específica, para quitar compromissos futuros do BB com o Plano de Benefícios".

    Ainda como resposta ao item 7, diz a PREVI que "a suspensão das contribuições, desde 2007, é fruto da utilização dos superávits, e por isso depende dos recursos existentes nos Fundos de Contribuições que vinham cobrindo as contribuições e estão chegando ao fim, como era previsto. Assim, é possível o retorno das contribuições".

    Por fim, em resposta ao item 8 informa a PREVI: “O fim da suspensão das contribuições implica retorno das obrigações referentes às contribuições de participantes e Patrocinador, conforme regra de paridade determinada pela lei”.

    Ora, onde está a tal legalidade sempre exortada pela PREVI?

    Como pode haver legalidade em se expropriar 50% do Superávit pertencente nós, apropriar tal cifra em conta específica em nome do Banco, junto à própria PREVI, para pagamento de compromissos futuros do patrocinador com o Plano de Benefício, que, por evidente, deverá ser usado para pagar a parte do BB , quando voltarmos a pagar as contribuições a ela, PREVI ?

    Ou seja, a PREVI acabou por confessar que o BB vai usar do próprio dinheiro que expropriou de nosso patrimônio, através da Resolução 26/2009, para pagar sua parte nas contribuições como patrocinador, sendo esta uma forma não só ilegal, porém, mais que isto, fraudulenta, imoral e desonesta.

    É mesmo um caso de Polícia !

    José Madeira Basto Filho
    56383606

    ResponderExcluir
  3. José Madeira Bastos Filho disse...

    Leopoldina,
    Inicialmente, quero te parabenizar por ter viabilizado a tomada de iniciativa da divulgação da indignação do colega Manoel de Oliveira, que acabou por deflagrar a NOVEMBRADA. Folgo em saber que já existem até caravanas de vários lugares do Brasil que se juntarão a nós, no Rio de Janeiro, para mostrar à PREVI, ao BB e ao CNPC, que, muito mais do que velhos, somos "idosos conscientes de nossos direitos" e que a nossa idade não pode ser vista como invalidez ou demência, como eles pensam. Ao contrário, quanto mais idade temos, mais sabemos que temos que reagir e defender nossos interesses, pois sempre existirão os expertos de plantão ávidos por meter a "mão grande" no que nos pertence. A este respeito, ofereço, em anexo, a minha contribuição que, por certo, fará com que todos os participantes, ativos e aposentados de Fundos de Previdência Fechados como a PREVI, incluindo seus familiares, saiam da inércia e venham mostrar aos governantes que eles têm a OBRIGAÇÃO DE RESPEITAR OS IDOSOS e LEIS, participando de nosso Movimento.
    Desde já, autorizo que seja dada divulgação, da forma que entender melhor, ao anexo por mim enviado.
    Atenciosamente.
    José Madeira Basto Filho
    5.638.360-6

    ResponderExcluir
  4. Por Luiz Faraco

    Prezada Leopoldina,

    Tenho acompanhado na medida do possível o desenvolvimento da NOVEMBRADA e vejo que a prezada colega e os demais integrantes que dirigem o movimento estão com os pés bem firmes no chão.

    Infelizmente nos últimos tempos não tenho podido participar diretamente como é, antes de tudo, minha obrigação, pois como aposentado sou interessado direto e a carga não pode e nem deve ficar somente sobre os ombros de alguns colegas.

    Mas assim que solucionar alguns impasses -- parte deles a solução é morosa e não depende de minha diligencia -- pretendo voltar a ajudar a carregar essa cruz que nos foi imposta pelo Governo/BB/PREVI/CASSI.

    Obrigado por estar sempre compartilhando as ideias e posicionamentos dos que abordam o assunto com seriedade.

    Cordialmente,
    Luiz F G Faraco

    ResponderExcluir
  5. Geraldo Mesquita disse...

    Quantos absurdos expostos nesse InfPREVI Especial! Ali diz: ...A PREVI cumpre integralmente a legislação do setor de Previdência complementar fechada..." Ora, ela segue a imoral e ilegal Resolução (26/2008). Desde quando uma Resolução de um insignificante "Conselho de Gestão" pode se sobrepor à uma Lei Maior (LC 109)? Essa Diretoria Executiva tem que passar urgentemente por uma reciclagem séria, ou então dar lugar a quem tem competência e seriedade para administrar patrimônio alheio! Exijo meus direitos! Geraldo Vaz de Mesquita - 3700360-7 (Grupo Pré/67).

    ResponderExcluir
  6. Colega Leopoldina,

    Parabéns pela sua determinação. A novembrada teve um UP GRADE depois que vc se engajou. Hoje presenciamos as poderosas AAFBB e ANABB anunciando muito a contra gosto a nossa manifestação dia 25/11.
    Você ensinou a toda família BB o respeito que se deve ter com uma mulher guerreira. Faço votos que nas eleições do ano que vem vocês que organizaram a novembrada se unam e formem chapa para desalojar todos os traidores
    Deus lhe abençõe

    ResponderExcluir

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI