01 novembro, 2013

CALABAR



“Terra engraçada, esta. Em nenhuma outra parte verás tantos sorrisos. Tantos sorrisos e tantas trapaças. Muito engraçada, esta guerra. Tantas raças, tantos       idiomas, mas só se entendem claramente as palavras da traição.”

                 

                         (o personagem Mathias de Albuquerque, sobre o Brasil).



Com sincera infelicidade, ditada pela consciência e a moral, obrigo-me a tratar da recente e malfadada eleição da AAFBB. 

Nas eleições da PREVI/2006, a AAFBB resolveu lançar chapa própria, no mais lindo, democrático e transparente processo de escolha de nomes já visto. Ter assistido a esse processo me fez confiar na boa intenção dos envolvidos, e, por coincidência, a compô-la.  Um único “acidente moral” ocorreu e foi punido exemplarmente, (hoje, o prevaricador está novamente de mãos dadas com quem, naquela oportunidade, o expulsou). 


Perdemos essa eleição, mas de cabeça erguida, cumprindo todas as regras. Diferentemente, os logs das “urnas eletrônicas”, nas mãos da situação, nunca foram disponibilizados.  
 
Na eleição seguinte, percebiam-se ligações perigosas da Associação.   Sua involução já se instalara. A debacle culminou com a elaboração e aprovação de um Estatuto feito sob medida para dar cobertura a intenções, ainda que legais (única desculpa que usam), totalmente imorais. Porque aprovaram? Não foi fácil, mas os estrategistas manipuladores que dominam a Associação agiram da forma que vamos expor. Não foi um mar de rosas, para eles, alguns participantes lutaram, tentaram apresentar seus argumentos, mas as manobras preparadas foram tantas que fizeram com que abandonassem a Assembleia, indignados com o ardil. 

A assembléia-circo foi montada na forma a seguir descrita por um dos presentes, e a versão foi confirmada por muitos outros. Ei-la: 

“Menos de 80 pessoas estavam presentes, sendo de registrar-se que a Diretoria da AAFBB colocou duas vans para transportar eleitores (cabresto?”). Os trabalhos foram conduzidos autoritariamente pelo membro nato do Codel, Luiz Viegas, que desconheceu as intervenções intentadas por alguns dos inconformados participantes. Agiu, esse Presidente da Assembléia, como um rolo compressor, chegando a ponto de ser grosseiro com um Representante Regional.”
 
Não bastasse, “um membro da mesa do Codel ficava de plantão para correr à sala dos aposentdados, no 11º andar, e de lá rebocar uma claque previamente acertada para levantar à mão toda a vez que ele desse um sinal.”

“Diante desse quadro, os inconformados foram desistindo e se retirando. Quando da volta do almoço, a frequência estava reduzida a menos de a metade, e os “donos” da AAFBB puderam agir folgadamente”.
 
Dentre os itens combatidos pelos opositores estavam:
- Associação “sem fins lucrativos” não pode remunerar dirigentes. No entanto os dirigentes da AAFBB são (indevidamente) bem remunerados. Também os mais de trinta Representantes tiveram seus ganhos melhorados pouco antes de lhes pedirem apoio para a Chapa SITUACIONISTA, e a compô-la, encarregando-os de colher assinaturas de apoio lançadas em documentos que não seguiam as normas ditadas pelo estapafúrdio Regulamento Eleitoral.

-No Art. 13 do Estatuto estenderam o mandato de trienal para quadrienal. O de dois anos seria ideal, manter o de três, compreensível, mas quatro anos é “muito sacrifício”. Na verdade isso equivale a tornar o grupo permanente com cargos vitalícios e quem sabe um dia os tornem hereditários como já alardeia um dos “cabeças” que se pavoneia falando em alto e bom som que veio para se perpetuar! O próprio Gilberto criticou duramente esse mesmo elemento, num dos telefonemas que me fez, quando do golpe na formação da chapa Cassi.

- Há um Item que deveria ser alterado por força da transparecia prevista em uma das boas praticas de governança corporativa mas, por conveniência, foi mantido: a IMPOSSIBILIDADE de OS ASSOCIADOS convocarem uma (AGE) já que a condição para tanto é que o requerimento para isso seja firmado por 1/5 dos sócios com direito a voto. Ora 20% de 26.000 sócios (nº aproximado e mais próximo dos mais de 32.000 SÓCIOS propalados) corresponde a 5.200 manifestantes. Ainda que se conseguisse tal adesão, caberia ao CODEL DECIDIR sobre a conveniência de sua "instalação” conforme preconiza o § 3º do citado Artigo.

- O novo ‘ESTATUTO’ retirou do CODEL sua principal atividade que é o planejamento da administração. Sua função hoje é de apenas acompanhar o que o CADIMI DETERMINAR. Nisso difere de todos os Conselhos Deliberativos de qualquer Entidade. - (No Art. 20-c, ratifica os termos do Estatuto anterior, de que o CODEL deve deliberar a respeito de contratos de seguros, enquanto o Art. 30, c) dá ao Vice-Presidente de Seguridade a função de gerir decidir (contratação, renovação, administração) ou propor decisões a respeito de SEGUROS. Incoerência perigosa. Aliás ‘seguros’ é um capitulo a parte....

- O Art. 35 § 3º não especifica como e porque pode ocorrer a reversão de superávits para associados. Deve-se isso sim buscar o equilíbrio e não aumentar as mensalidades acima da inflação e principalmente acima do reajuste dos benefícios pagos pela PREVI como vem ocorrendo.

- O Regulamento Eleitoral aprovado em si é uma piada. Exige mais assinaturas de apoio para o registro de Chapas (4% dos sócios aptos a votar, ou, no presente ano, 1.070 pessoas) do que estabelecem os Regulamentos da PREVI e da CASSI. Em ambas as Entidades, com mais de 160.000 integrantes, menos de mil assinaturas validam a inscrição. Nem mesmo a constituição prevê esse numero absurdo de assinaturas para registro de um partido! Mais absurdo ainda é que diferentemente de qualquer Associação a mesma pessoa não pode DEMOCRATICAMENTE apoiar a inscrição de mais de uma Chapa para DEPOIS decidir, mediante os programas de gestão apresentados por elas, votar na que melhor lhe convenha. O “Regulamento” da AAFBB veda isso. Quem sabe a AAFBB crie escola e transmita tal esperteza à legislação eleitoral para que passem a exigir 4% de assinatura para registro de partido político. Ou a Previ e CASSI tenham também a mesma brilhante ideia se é que este já não é o embrião levando-se em consideração as alianças feitas...
 
Falando em alianças, na ultima eleição da CASSI, o CODEL, conforme me foi relatado por membros do Conselho e pelo próprio Presidente, foi manobrado para eleger um comitê eleitoral com amplos poderes. Para garantir a confidencialidade das intenções, dele foram afastados todos aqueles que não pactuariam com aquelas deliberações. Surpreenderam com uma chapa já registrada a revelia do pensamento geral, que queria chapa própria, aliada com a antiga diretoria da ANABB que havíamos acabado de conseguir neutralizar o acesso aos cofres para campanhas. Sem acesso aos da ANABB atacaram os da AAFBB em conivência com esse mesmo grupo que será aclamado! Isso é publico e todos sabem. E lá se foram R$ 250.000 para campanha de apoio à chapa liderada por Denise Lopes Vianna que sequer pertencia aos quadros diretivos da AAFBB. As alianças hoje também estenderam seus tentáculos para a Articulação paulistana. Aqueles mesmo que estão acabando com o BET.

Amigos, durante muito tempo vimos na AAFBB o baluarte de defesa dos nossos interesses. Única a se dispor a entrar com a ação do IGP-DI pleno a ação do Fundo de Paridade do cancelamento do estatuto do interventor contra os efeitos da Resolução 26. Ações estruturais que garantiriam a sobrevivência de nossas Caixas. Ora claro que incomodavam o poder estabelecido. Urgia fazerem algo para se apropriarem dela. Nada melhor do que encontrar em seu seio membros “amigos”. Parece que encontraram. Finalizando o artigo, mas não o assunto pois muito há mais a ser comentado, conclamo os colegas a atenderem item previsto no regulamento eleitoral para “aplaudirmos” a competência em atingir objetivos da chapa a ser aclamada: “Na forma dos Artigos 12 e 13 do Estatuto ficam convocados os senhores associados com direito a voto EFETIVOS (aposentados) e PENSIONISTAS com pelo menos seis meses de filiação para a Assembleia Geral Ordinária a realizar-se nos dias 12 e 13 de novembro de 2013 na Sede Nacional (Rua Araújo Porto Alegre, 64 - 10º andar - Rio de Janeiro - RJ) em primeira convocação às 9 (nove) horas e 30 (trinta) minutos com a presença de metade mais um dos sócios eleitores e em segunda e última convocação às 10 (dez) horas com qualquer número................ “

Espero sinceramente que o prêmio recebido seja proporcional à traição.
Eliana F.M.Meneghetti
Associada da AAFBB há mais de 30 anos.

11 comentários:

  1. Caríssimos colegas, tão vítimas quanto eu.

    Este artigo da colega Eliana foi postado estrategicamente no final de semana, e permanecerá um pouco mais, para que possamos ler com toda a tranquilidade e em cima dele refletirmos.

    Com base em todas estas demonstrações de astúcias por parte dos "donos"da AAFBB, que a todo custo querem se manter no poder, eu, Eliana e Neusa, criamos a Comissão de Fiscalização às Associações - COFA, devidamente oficializada e registrada.

    A COFA, está composta pelos membros: Ebenézer Nascimento, Eliana Meneghetti, Leopoldina Corrêa, Macilene Oliveira e Neusa Vegine.

    Nossa Primeira providência será contra os abusos dos atuais e "novos" dirigentes da nossa AAFBB, recorendo ao Ministério Público, inclusive.

    Queremos, de agora, convocar os participantes da NOVEMBRADA do dia 25/11, para no dia seguinte, realizarmos outra MANIFESTAÇÃO em frente à Sede Nacional (Rua Araújo Porto Alegre, 64 - 10º andar - Rio de Janeiro - RJ) em PROTESTO pela ACALAMAÇÃO da chapa dos "iluminados" , que LEGISLARAM E EXECUTARAM o "Tratado Contra o Idoso". Mas eles "não contavam com a nossa astúcia", qual seja, a de recorrer ao JUDICIÁRIO.

    Agora os comentaristas anônimos, defensores do mau e coniventes com os ABUSOS cometidos contra nós, não poderão vir aqui e dizer que não fazemos nada. Pode ser, não NÃO FIZEMOS NADA porque acreditávamos que estivéssemos sendo bem administrados.

    Quanto a querer deturpar Domenico De Masi, cientista e agricultor italiano, através da expressão: "ócio produtivo", não vou tomar nenhuma medida judicial. No entanto, vou mostrar para os senhores, o que é realmente ÓCIO PRODUTIVO.Iremos à consideração das circunstâncias judiciais favoráveis.

    Adianto que este blog é assistido juridicamente por nossa colega Dra.Neusa Maria Kuester Vegini, também associada da AAFBB.

    Att.

    Leopoldina Corrêa

    ResponderExcluir
  2. Comentário enviado pelo colega Mozart:

    CALABAR -uma ode a traição


    Parabéns Eliana, para ti e para os que colaboraram na confecção do texto postado na blog Olhar de Coruja.

    Irretocável, mais uma vez fica provado que os erros e pecados se repetem e não se podem ser creditados somente às Associações em Geral, mas principalmente aos homens/dirigentes ( e a claque que está na fila a espera de uma "boquinha") e suas ambições financeiras e de poder.



    Chegaram ao ao cúmulo da desfaçatez quando tiveram a cara de pau de formar, já agora, a Comissão Eleitoral pré 2014, antecipando-se a decisões que caberiam a nova Diretoria, que ao aceitar, passivamente, tal medida se mostra por demais servil, sem a mínima independência, despersonalizada e submissa ao ranços e mandos dos "velhos e tradicionais caciques, donos da casa há décadas. A pressa deve ter acontecido por força de "acordões" já apalavrados, em troca de cargos na Cassi/Previ, sem sombra de dúvidas, é o toma lá dá cá e os ingênuos oposicionistas e idealistas que se lixem.

    "Mateus primeiro os meus"

    Mozart.

    ResponderExcluir
  3. Sem juízo de valor e para complementar o que se passou nas eleições Cassi e Previ em 2012, acrescento o relato abaixo.

    Como em outras ocasiões, o Codel elegeu uma Comissão para conduzir as negociações para a formação de Chapas.
    A Comissão proposta foi de 5 membros do Cadmi (Gilberto, Celia, Loreni, Odilon e Ivomar), 4 da Mesa do Codel (José Mauro, Betto Dias, Waldyr Argento e Nelson Leal) e 1 do Confi (Aldo Alfano).
    Na reunião do Codel que iria confirmar essa Comissão, o Conselheiro João Leite (SC) sugeriu a retirada do representante do Confi (Aldo Alfano).
    A Comissão ficou, então, com 9 membros, que por 5 x 4, decidiu compor com Denise (Grupo Valmir Camilo) para a Cassi e com Marcel (Grupo Contraf/Cut) para a Previ, ignorando todos os demais conjuntos então postulantes (foram 6 Chapas para Cassi e 7 para Previ).
    Fechado os acordos (a ser ainda submetido ao Codel), os líderes dessa negociação embarcaram num Cruzeiro marítimo para comemorar antecipadamente a vitória.
    Na reunião de fevereiro/2012, o Codel, sentindo-se enganado pelos negociadores, rebelou-se e desautorizou a Comissão, reduzindo para 1/3 o valor do custeio previsto para a Chapa da Cassi (já inscrita), dissolveu a Comissão e elegeu uma outra, composta por Ilma Peres, Werneck, Odilon, Valeriano e Calado, com a incumbência de formar Chapa própria para a Previ, o que resultou na Chapa Previ Forte, encabeçada por Arnaldo Vollet.
    A Comissão anterior ignorou todos esses acontecimentos posteriores e boicotou a Chapa Previ Forte, e passou a apoiar a Chapa da Cecília Garcez (Grupo Valmir Camilo).
    Dos 9 membros daquela Comissão que foi impugnada pelo Codel na reunião de fevereiro/2012, 5 estão nessa Comissão proposta agora.
    São eles: José Mauro, Waldyr Argento, Loreni, Célia Larichia e Gilberto Santiago.
    Sendo eles maioria (5 x 4), é fácil prever o que vai ocorrer...
    .Resta acrescentar que o Conselheiro que propôs saída do membro do Confi, Aldo Alfano, da Comissão - João Leite - é aliadíssimo de Loreni e José Mauro e foi
    candidato na Chapa da Denise (Valmir).
    Seria bom não esquecer que a Conselheira Isa Musa dirigiu-se ao microfone e indagou do plenário se algum dos presentes estava satisfeito com essas negociações, que levantesse a mão. Ninguém levantou! Nem mesmo o João Leite.

    ResponderExcluir
  4. Dona Leopoldina,

    Ouvi dizer que tem uma associação contra a novembrada e elegeu uma "comissão de notáveis". Se eles forem participar sugiro contratar uma UTI MÓVEL.. É muito arriscado levar esses velhinhos para um esforço tão grande

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade a AAIBB, Associação dos Aposentados Invejosos do Banco do Brasil esta contra o movimento. Esta Associação congrega despeitados e invejosos. Também estão presentes falsos cantores, velhos poetas e humoristas de terceira. Pasmem!!!

      Excluir
  5. Realmente existe uma associação trabalhando contra nos. Querem que o BANCO use e abuse do que amealhamos durante um vida honesta de trabalho. Claro que nao interessa os algozes que nos manifestemos....nao gostam de ser incomodados e sempre existem pessoas que os apoia. Pior é ainda nos chamar de velhos , incapazes, e covardes....

    ResponderExcluir
  6. O mais engraçado é que essa tal associação de meia tigela pede reunião com o Presidente da Previ, como se Dan Conrado fosse abrir portas a qualquer um..... qua qua qua

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas quem sabe a PREVI abre as portas para esses traidores? Encontrei vários traidores na minha vida, a gente parte para lutar e alguns senhores, em vez de nos auxiliar, resolvem partir para ganhos individuais e pessoais, entregando o pescoço alheio, vejam Judas, Joaquim Silvério dos Reis, Brutus, DOMINGOS FERNANDES CALABAR.

      Excluir
  7. Desculpe a minha ignorância, quantas associações de antigos funcionários existem? O que fazem? Os diretores são remunerados? Não seria melhor criar uma única associação? Sei que em Natal existem 2, creio que representações do sudeste. Uma faz chás para aposentadas, bailes, aniversários...eu não quero isso, eu quero uma associação que lute por melhoras salariais. Eu sofro de depressão, transtorno Borderline, muitas dívidas, já recebo o meu salário via ORPAG, Vergonha maior para quem sempre teve o orgulho do nome limpo, mas o achatamento do salário foi acachapante. Já tive algumas tentativas de suicídio. Triste fim..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rosália, não se deixe abater, você não está sozinha na lista daqueles que já sofreram distúrbios psicológicos por conta do assédio moral do BB e da PREVI, obviamente que desrespeitando a dignidade do aposentado e desviando nossas economias através de Resoluções 26, altas aposentadorias para executivos do BB, além de outras ilegalidades, estão violentando os direitos humanos. Ficamos ainda mais indignados com o comportamento de representantes de algumas Associações e com a CONTRAF CUT, que se submetem a estes desmandos e nada fazem para melhorar a situação dos idosos. Junte-se a nós, lute para contactar seus colegas aposentados para que não fiquem votando sempre nos mesmos, elegendo Cecilias e Valmir Camilo, chapas montadas pela CONTRAF CUT, Celias e Lorenis. Se for para morrer, que a gente morra abraçado e lutando por justiça. Neusa

      Excluir
  8. Assistam a participação da colega Isa Musa no Senado
    http://m.youtube.com/watch?v=2xyr9hg4Ecw&desktop_uri=%2Fwatch%3Fv%3D2xyr9hg4Ecw

    ResponderExcluir

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI