22 outubro, 2013

Carta aos Associados da AAFBB

Rio de Janeiro,11 de  outubro de 2013.

Prezado associado


Está se aproximando o período de eleição para a diretoria de nossa Associação, não digo que é para a nova diretoria visto que há apenas a chapa dos atuais dirigentes, não obstante ter havido a tentativa de outras duas chapas se qualificarem para a disputa que se avizinhava.

As duas chapas apresentaram à Comissão Eleitoral , dentro do prazo  legal o quadro de conselheiros completo - Administrativo, Deliberativo e Fiscal,- entretanto foram desclassificadas por uma cláusula constante do Regulamento Eleitoral, a qual exige o mínimo de 4% do colégio eleitoral correspondente a 1027 (Um mil e vinte e sete) assinaturas de apoio somente de associados aposentados não candidatos e pensionistas, excluindo desse forma todos os demais associados funcionários, que, ainda em atividade não podem, naturalmente , fazer parte de nenhum conselho, mas é cerceado de sua liberdade individual de assinar a Lista de sua preferência.

Há de se perguntar por que as duas chapas não procuraram o apoio dos aposentados? Pois, eu digo: procuraram sim. Mas a AAFBB tem 32 representações em todo pais, assim, quando o candidato pedia a assinatura na sua lista de apoio, recebia a informação de que já havia assinado na representação da Associação a lista da chapa oficial.

Como há apenas uma chapa registrada, a eleição será por aclamação no decorrer dos trabalhos da Assembleia Geral Ordinária, nos dias 11 e 12 de novembro, quando os associados deverão marcar sua presença e seu inconformismo com aquela cláusula do Regulamento Eleitoral, que inviabiliza a classificação de qualquer chapa.

Estou certo de que se um número expressivo de associados que  concordem  com  os argumentos aqui expostos comparecerem a AGO,  poderão sensibilizar os futuros dirigentes para que proceda à reforma do Regulamento Eleitoral . Como não há no Estatuto nenhuma referência a lista de apoio, essa podia ser: a) Excluída do Regulamento Eleitoral; ou b)  Se mantida, abrir o direito de assinatura da lista de apoio para os associados funcionários ainda em atividade.

A propósito , devo lembrar aos senhores dirigentes que, a nova nomenclatura da Associação aprovada na AGE, em 13/11/2012, passou a ser, também, dos funcionários em atividade do Banco do Brasil. Assim teremos nas futuras eleições a sensação na conquista de votos dos associados habilitados, uma salutar demonstração de democracia e não, uma cerimônia simbólica e fria como acontece na eleição por aclamação, onde a adrenalina continua estática pela falta de mérito da não disputa de votos nas urnas.

Oséas F. Almeida

Conselheiro Deliberativo atual e
Candidato da Chapa novos Rumos
(Chapa do Ruy Brito)

23 comentários:

  1. É prezado Oséas, o regulamento eleitoral da AAFBB foi feito sob medida para a perpetuação das espécies que lá estão. Pena que a oposição não entendeu nada disso e se dividiu em duas chapas, entregando de bandeja a vitória aos atuais mandatários.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ISSO TUDO ACABA O DIA QUE MUDAR O ESTATUTO. - É VEDADA A PARTICIPAÇÃO DE DIRIGENTES OU CONSELHEIROS DA AAFBB, A QUALQUER CARGO ELETIVO DA PREVI E CASSI. Quem vai querer dirigir uma Associação quase falida e com data de validade? Hoje morrem em média 35 associados e entram 5. Quem vai querer?

      Excluir
    2. Com essa atitude, não se elegem nem para sindicos de predios. E falida ou não, ainda gera rendimentos que fez com que destronados de outra associação caissem sobre ela , tal aves de rapina.

      Excluir
  2. Essas chapas concorrentes sequer deram conta de colher assinaturas e acham que podem administrar uma Associação? Incompetência pura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É melhor ser incompetente para cumprir um regulamento tendencioso ou ser desonesto com o associado? isso é competência?

      Excluir
    2. A chapa da situação também não colheu assinaturas, pois as assinaturas lhes foram fornecidas de "colher" e colhidas pelos representantes regionais das da AAFBB, fisiologismo puro do poder que se alimenta de sua rede. Nenhum representante regional é eleito, cargo vitalíceo, eles são cúmplices da chapa da situação. E isto porque, sem fazer quase nada, os regionais recebem uma verbinha, então se acumpliciaram a atual diretoria da AAFBB. Portanto, não foi a chapa da situação quem colheu os votos, mas os representantes regionais. Nem esta dignidade a Chapa da situação teve, nem promessas nem propostas para os associados, a não ser a promessa para a sra. Celia Larichia, a quem foi prometida uma diretoria na PREVI em pre-acordo com a CONTRAF, informação esta a ser confirmada em futuro próximo. Coitados dos aposentados iludidos, são os mesmos grupos no poder, não conseguimos nem mudar os representantes de nossas associações.

      Excluir
    3. Eu estou adorando que os coniventes venham aqui defender a Chapa da Situação, assim mais verdades vão sendo descobertas e os associados ficam com mais moral para cobrar do Presidente atual, Sr. Gilberto Santiago, que o mesmo tome uma atitude espontânea pela ANULAÇÃO DAS ELEIÇÕES.

      Leopoldina Corrêa

      Excluir
    4. Não devemos esquecer que os representantes regionais receberam um substancial aumento pouco antes do inicio do processo. E também e muito "competente" colher assinaturas em desacordo com a legislação pois as listas estavam sem o nome dos componentes da chapa! Componentes esses que continuam em segredo! Aconselho que as 2 outras chapas, exijam em justiça, pelo menos o reconhecimento de firma de cada um dos que assinaram. Pode ser pelos caixas das agencias onde mantem conta!. Garanto que ainda teremos mais surpresas....

      Excluir
  3. Cara Leopoldina
    O que me surpreende não é o fato das chapas de oposição não conseguirem, em tão curto espaço de tempo as assinaturas regimentais, pois a chapa da situação, ela mesma, não teria conseguido estes votos sem fisiologismo e o uso da associação. Me assombra o conceito de "competência" acima exposto, me assombra que estamos sendo enganados. Definitivamente, a Chapa da Situação não demonstrou "competência", mas sim, abusou de poder e fraudou o regimento ao se utilizar da estrutura da Associação em detrimento das demais Chapas, pois não colheu assinaturas ela mesma, isto se chama de retroalimentação do poder, uso de estruturas e de associações para benefício próprio e não coletivo. E com este comportamento abusivo, que moral eles tem para administrar a AAFBB? Não conseguiremos romper a hegemonia do poder na PREVI com eles, é provável que usarão de sua "competência" e farão acordos e uso de estrutura das associações para se beneficiarem, enquanto a massa de aposentados fica a míngua, benefícios reduzidos cada vez mais enquanto os recursos da PREVI vão sendo sugados por altos salários de uma hegemonia do Banco que se apodera da PREVI.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo de 23 de outubro de 2013 09:39,

      É verdade. E nem esta " competência " compartilhada lhes dá dignidade para apresentar a chapa a ser ACLAMADA desde o dia 20 ou no mais tardar no dia 30/09.
      Eles estão nos enganando sim, mas não somos palhaços e vamos reagir. Eles que aguardem!
      Leopoldina Corrêa

      Excluir
  4. Depoimento de um Ex-Conselheiro da AAFBB, que, por motivos óbvios, prefere não ter sua identidade revelada.



    No segundo semestre de 2010, o CODEL, como já ocorrera outras vezes, elegeu uma comissão para tratar da participação da AAFBB nas eleições de CASSI e PREVI em 2011.

    Essa comissão era integrada por 10 membros, a saber: os 5 membros do CADMI (Gilberto Santiago, Celia Laricchia, Loreni de Senger, Odilon Gama e Ivomar Barbosa), os 4 membros da Mesa do CODEL (José Mauro Martins Cordeiro, Betto Dias. Waldyr Argento e Nelson Leal), e o Presidente do CONFI (Aldo Alfano).

    Na reunião de novembro, o Conselheiro João Leite (SC) sugeriu que o Presidente do CONFI (Aldo Alfano) não integrasse a Comissão, sob a alegação de que o Conselho Fiscal não deve participar da gestão.

    A Comissão ficou, então, com 9 membros.

    Esses 9 membros, entre si, decidiram que 3 deles (Gilberto, Celia e Loreni) fossem os interlocutores junto às lideranças que se movimentavam para disputar CASSI e PREVI.

    Dado o empenho de Loreni e José Mauro, esses interlocutores tiveram vários contatos com o Grupo Valmir Camilo, em reuniões no Rio e em Brasília (na própria residência de Valmir), visando a CASSI.

    E, por empenho de Celia Laricchia, outros contatos foram feitos com a Contraf, visando a PREVI.

    A bem da verdade, nenhum outro grupamento, dos 6 que disputavam aquelas eleições, foi procurado por esses interlocutores da AAFBB.

    O jogo já estava de cartas marcadas.

    Em resumo, por 5 votos a 4 a Comissão aprovou uma Chapa Cassi com o Grupo Valmir Camilo, e outra chapa Previ, com a Contraf-Cut.

    Na reunião de fevereiro, os Conselheiros (à exceção de João Leite)

    repudiaram tais acordos, sobretudo a composição de Chapa com Valmir Camilo, haja vista a incoerência que isso representava diante da posição da AAFBB nas eleições da ANABB, quando a AAFBB se aliou a diversos segmentos para impedir a continuidade do “Império Valmir Camilo”.

    A reunião foi bastante tumultuada, com o Presidente do CODEL (José Mauro)

    tentando a todo custo e usando de todas as manobras para evitar que prevalecesse a vontade da quase totalidade do Conselho Deliberativo.

    Ao ser finalmente, levada à votação, a proposta da Comissão encabeçada por Loreni, Celia e Gilberto, foi rejeitada pelo plenário, que, também desautorizou os acordos feitos com Valmir Camilo e Contraf e destituiu aquela Comissão, elegendo uma outra para reiniciar as negociações relativamente à Previ, uma vez que a Chapa da Cassi já estava inscrita, mesmo sem ter sido previamente aprovada pelo CODEL.

    Foi aí que surgiu a Chapa PREVI FORTE, com Arnaldo Vollet, o próprio Gilberto Santiago (que se arrependeu a tempo daquelas negociações), Isa Musa, Vera Melo, Elaine Michel, Herminio Sobrinho, Odilon Gama, Clemiton, Airton, Rosinéia, João Pólvora.

    Só que essa Chapa, aprovada pela quase totalidade do CODEL, foi ignorada pelos que agora se juntam numa Chapa fantasma para administrar a AAFBB,

    com o apoio, de boa fé ou por conivência, dos Representantes Regionais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CONFIRMO perante DEUS e a da justiça dos homens, se preciso for, que esses fatos me foram fielmente relatados, como no depoimento acima, no dia do registro da CHAPA da CASSI, pelo Sr. GILBERTO SANTIAGO, que me ligou especialmente para os contar e pedir apoio para estancar a crescente influencia do Sr. Valmir Camilo. Na ocasião inclusive completou que já havia ganho uma ação contra ele e mandou-me copia desta no dia seguinte. Confirmo ainda que o alertei, em Brasilia, sobre essa mudança súbita e inaceitável de posição, mas este será outro capitulo de outro texto.

      Excluir
  5. Caramba!
    Sinceramente? Isto não é mais uma Associação, isto mais parece uma pocilga... e, pensar, que nós, com as nossas mensalidades, estamos alimentando todos estes semoventes!

    ResponderExcluir
  6. Moderadora que não age com moderação e imparcialidade, usando o blog para defender chapa concorrente que deu apoio, não merece credibilidade.

    Segundo soube, o edital, com regras claras e amplamente divulgadas, deu 40 dias para a coleta de assinaturas de um apoio que não significa votação, mas concordância em que a chapa seja inscrita.
    Durante 25 dias, duas correntes tentaram formar uma chapa de oposição que terminou em desentendimento e separação em duas chapas concorrentes. Uma delas não conseguiu nem 30% de assinaturas de apoio determinadas pelo Regulamento e veio depois pedir prorrogação de prazo, porque os correios estiveram em greve por 3 dias! A outra, contrariando o Regulamento, tentou inscrever a chapa com um pen-drive! Seria interessante que ela tentasse também fazer o mesmo nas eleições para outras entidades, como CASSI e PREVI.

    Então, quem cometeu irregularidades? Queriam tratamento privilegiado? Querem ganhar no grito?
    Vamos gritar a verdade e parar de ficar lamentando a incompetência com palavrório de baixo nível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O meu nome é Leopoldina Corrêa e não me escondo atrás de anonimato. Já você, que eu sei quem é, e mesmo sendo e se sentindo parte do mar de lama, não tem coragem de mostrar-se. Pra você não ter a menor dúvidas que eu sei quem é você, neste momento você está no Rio de Janeiro.

      Você sabe quanto vale uma nota de cem reais? Se ela for verdadeira, mesmo depois de pisada, rasgada, riscada e dilacerada ela vai continuar valendo os mesmo cem reais, já se ela for falsa, será igual certos dirigentes da AAFBB, quem for pego com ela, será considerado bandido e lugar de bandido é na cadeia!

      O único palavrório de baixo nível aqui é o seu, cheio de lero-lero e tentando defender o indefensável. Enfim, querendo tapar o sol com a peneira. Aqui ninguém está gritando, por enquanto nos estamos apenas escrevendo, mas no dia da tal ACLAMAÇÃO vai ter grito sim, aliás, tem gente que vai até chorar que eu sei...

      Excluir
    2. Ah! só mais uma coisinha, eu fiquei muito abalada com seu julgamento a meu respeito, tanto que estou até pensando em DEIXAR DE RESPIRAR só por causa disso.
      Quem de nós não merece credibilidade: eu que assino ou você que se esconde atrás da carapaça do anonimato?

      Excluir
    3. Caro Anônimo Anônimo 23 de outubro de 2013 12:52,

      Fico tocado com o nome da "Chapa Independência e Solidariedade"... Independência do quê, mesmo? E solidariedade com quem? Com o coitado do associado é que não é!

      Excluir
  7. Ôps...de novo a palavra incompetente para definir os adversários!
    Tenho um conhecido que age da seguinte maneira: ele é bandido assumido, e também competente, pois competência é um atributo natural do ser humano dotado de inteligência Entretanto, quando é colocado em cheque, torna-se impossível defender suas falcatruas com argumentos convincentes. Então ele começa a xingar os adversários de incompetentes. Naturalmente competência é um atributo de valor impossível de medir sem análise de milhares de fatores, mas ele consegue produzir uma longa discussão, e muitas vezes ele consegue desviar o verdadeiro foco da discussão, ele se autoproclama vencedor porque se acha muito competente e diz que os outros são uns incompetentes porque não atentaram para as armadilhas montadas por ele. Espero que a discussão aqui neste blog não vá para a o reino do FAR FAR AWAY apenas porque nós, os associados revoltados somos todos incompetentes porque não fomos nós que escrevemos o regimento eleitoral da Associação que custeamos.

    ResponderExcluir
  8. Oi Leopoldina,
    Parabéns por ter iniciado esta grande discussão no seu blog, aos poucos,
    acabamos descobrindo muita coisa da qual não sabíamos!
    Sou totalmente contra nossos representantes de Associações fazerem acordos com a ANABB e com a CONTRAF. O nome disto não é independência não, ao contrário é dependência. Que acordos são estes? Se precisar gritar, Leopoldina, estou junto! Abraços, Neusa Maria Kuester Vegini.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá minha amiga,

      Então pode se preparar, porque por enquanto, nós estamos bem caladinhas, só escrevendo, mas eles já estão dizendo que estamos gritando.

      Neusa, eu acho que eles querem GRITOS, então vamos gritar no dia da MALDITA ACLAMAÇÃO!

      Bjo e obrigada!

      Leo

      Excluir
  9. MAIS VERDADE MINHA GENTE!

    A AGO da AAFBB, que aprovou mudanças no Estatuto, notadamente no que se refere ao processo eleitoral, tornando praticamente impossível a disputa democrática pelo voto, foi realizada no início deste ano.

    Menos de 80 pessoas estavam presentes, sendo de registrar-se que a Diretoria da AAFBB colocou duas vans para transportar eleitores (de cabresto?) .

    Os trabalhos foram conduzidos autoritariamente pelo membro nato do Codel, Luiz Viegas, que desconheceu as intervenções tentadas por alguns dos inconformados com o rolo compressor, chegando a ponto de ser grosseiro com um Representante regional.

    Além disso, um membro da Mesa do Codel ficava de plantão para correr à sala dos aposentados, no 11º. Andar, e de lá rebocar uma claque previamente acertada para levantar a mão toda a vez que ele desse o sinal.

    Diante desse quadro, os inconformados, foram desistindo e se retirando.

    Quando da volta do almoço, não havia nem metade na sala, e a os "donos" da AAFBB puderam agir folgadamente.

    Quem quiser saber mais meu email é: zezinhoferro@hotmail.com

    Zezinho Ferro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também confirmo, como me foi confirmado por vários representantes do CODEL, que as coisas se deram exatamente dessa forma. Como eu digo- a coisa vem sendo ardilosamente urdia há tempos. PENA!

      Excluir
  10. Prezados convivas,
    Tá mais que na hora de nos rebelarmos contra tudo isso, proponho que todos peçam demissão da AAFBB.

    ResponderExcluir

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI