15 julho, 2013

Inenarrável Sentimento


A música mais linda do nosso cancioneiro popular, na minha opinião, é Gente Humilde. Não é à toa que a letra tem autoria de dois dos nossos consagrados autores e poetas: Chico Buarque e Vinícius de Moraes, a qual,  com prazer, disponibilizo neste blog.

GENTE HUMILDE

Tem certos dias em que eu penso em minha gente
E sinto assim todo o meu peito se apertar
Porque parece que acontece de repente
Como um desejo de eu viver sem me notar
Igual a como quando eu passo no subúrbio
Eu muito bem vindo de trem de algum lugar
E aí me dá como uma inveja dessa gente
Que vai em frente sem nem ter com quem contar

São casas simples com cadeiras na calçada
E na fachada escrito em cima que é um lar
Pela varanda flores tristes e baldias
Como a alegria que não tem onde encostar
E aí me dá uma tristeza no meu peito
Feito um despeito de eu não ter como lutar
E eu que não creio peço a Deus por minha gente
É gente humilde que vontade de chorar.

Será muito simples entender porque resolvi fazer uma postagem com este tema.

Na semana passada eu passei por susto terrível. Meu neto, que este mês completa 8 (oito) anos de idade, engasgou-se com uma moeda de cinco centavos. Não vou descrever minha angústia porque esta é inenarrável. A partir deste lamentável episódio comecei a fazer algumas reflexões e cheguei à seguinte conclusão: devo pensar mais com minha família.


Assim que me vi diante da possibilidade da perda do meu neto, ainda criança, me senti culpada por não ser mais presente em sua vida, também percebi quantos colegas ainda não caíram na real e não valorizam a grande importância da Isa Musa nas nossas vidas. 

Vi-me diante de um dilema: percebi que tenho duas famílias, uma por puro laço de sangue e a outra por laços adquiridos através do afeto, e este, meus irmãos, são vocês, que como eu, foram surrupiados, furtados, gatunados, escorchados, rapinados, subtraídos, saqueados, enfim, roubados mesmo, por tantos Governos que até perdi a conta.

Percebi também que não posso voltar atrás. Deixá-los seria covardia e a covardia maior seria com a colega e amiga Isa Musa.

Por favor, não me critiquem, não sou dada à bajulações baratas. Leiam o meu ponto de vista, depois raciocinem comigo. 

Recentemente fechamos um trabalho, que por enquanto, não posso dar maiores detalhes e sem a participação da Isa não teria sido possível sua realização. E assim foram e serão tantos outros feitos por ela. Muitos já foram iniciados junto à Câmara e no Senado.

Sei que não devo generalizar. O número de colegas que a admiram, pela sua garra, e pela sua luta em prol das nossas pelas causas, é muito maior do que uma minoria desinformada e  ingrata.

Emocionei-me ao ver o colega Edison de Bem, reconhecer isto ao frisar:

"Isa, o tempo pode minar nossas forças, mas jamais há de corroer a inteligência, essa que faz tremer os inimigos da  PREVI e do Banco. Nessa hora não existem adversários políticos, atuamos  em nome da unicidade dos propósitos, em defesa de colegas e pensionistas  da PREVI, contra a insanidade avassaladora do atual Governo."

Edison, no meu entender, suas palavras soam como um bálsamo, uma vez que ao trabalhar e batalhar no dia-a-dia, ao lado de Isa Musa de Noronha, me fez uma pessoa melhor, em todos os sentidos.

Ninguém melhor que eu para dizer à todos vocês, que a minha atuação só se faz notar, graças à musculatura desta pessoa, aparentemente frágil, mas que me dá a força e o suporte necessários capaz de abraçar, junto com ela, nossas causas com tamanha envergadura. Ocalá que outros colegas, a seu exemplo, venham reconhecer este novo passo à caminho da tão sonhada união. "Quando um homem está envolvido em si mesmo, ele se torna um pacote muito pequeno." - (John Ruskin)
 

Desde que cheguei neste ambiente, à medida que ía tomando pé da situação, nunca entendi tamanha rejeição à Isa. Hoje eu entendo assim: " Toda hostilidade gratuita vem da inveja. A inveja deriva da admiração. Logo, a manifestação invejosa corresponde a uma forma sutil de elogio." - Flávio Gikovate.
 

Mas há um outro olhar para a inveja que não é agradável para ninguém. Nem para o invejado nem para o invejoso. Quem dentre nós teria estatura moral para dar continuidade ao excelente trabalho desenvolvido, até então, por nossa colega  Isa Musa?

É importante ressaltar que o invejoso aparece carregado de desgostos, altamente descontente com a sua própria vida, cheio de angústias e totalmente revoltado, inalando egoísmo. Deixa de viver, se tornando intragável em meio ao seu convívio, uma vez que não conspira o bem para ninguém. Não sabe compartilhar e nem se alegrar com os demais, além das reações “monstruosas”.

Nós já tivemos situações bem definidas destas reações, e bem perceptíveis também, em nossos ambientes. É bom lembrar que ninguém ganha com isso, muito pelo contrário.

Finalmente, o invejoso, essa triste figura digna até mesmo de dó, necessita se enxergar antes de tudo, reconhecendo a mediocridade que é ou foi sua vida com atos e sentimentos estéreis, como se fosse num palco onde tivesse representado uma peça vazia de conteúdo, sem qualquer brilho. É imperativo tal autocrítica, pois só a partir de então, se assim o quiser, deverá “arregaçar as mangas” e lutar em prol de uma vida melhor, conscientizando-se de que se continuar tendo inveja do outro, ficará estagnado, correndo o risco de não se desenvolver e/ou crescer, morrendo do próprio veneno.

Vou terminar esta matéria com o finalzinho da letra desta canção que a meu sentir, mesmo sendo agnóstica, é a mais bela que eu conheço em nosso idioma.

E aí me dá uma tristeza no meu peito
Feito um despeito de eu não ter como lutar
E eu que não creio, peço a Deus por minha gente
É gente humilde que vontade de chorar.

Leopoldina Corrêa

11 comentários:

  1. CARLOS VALENTIM FILHO15 de julho de 2013 09:45

    Parabéns, prezada Leopoldina!

    Excelente mensagem, digna de reflexão pelo conteúdo exuberante, revelador de sua sensibilidade e de sua capacidade de arguição.

    Abraço do
    Valentim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu caro Valentim,

      Eis um homem muito elegante, tens uma simplicidade exuberante. Um dia ei de conhecê-lo pessoalmente. Quero contamina-me com esta airosidade que lhe é tão peculiar.

      Obrigada. Grande abraço.

      Leo

      Excluir
  2. Cara Leopoldina,
    Você me coloca em um patamar que estou longe de alcançar. Trabalho sim, há anos, mas nunca estive só. À frente, sempre tive companheiros que jamais permitiram que eu esmorecesse. Companheiros que me dão carinhosos puxões de orelha quando erro. Companheiros que são pródigos em elogios, mas cirúrgicos nas críticas e que me ensinaram que os aplausos envaidecem, mas são as críticas que nos levam à reflexão. Desde 1993 estou envolvida nas lutas dos trabalhadores. Primeiro no Sindicato de Bancários, mesmo sem jamais ter sido dirigente ou delegada sindical, mas simples militante. Depois nos movimentos de saúde, e nessa trajetória foi que encontrei esses companheiros aos quais me refiro. Primeiramente, Cyro Verçosa, o nosso grande sonhador fundador da Unamibb. Quando em 1995 eu me aposentei, estava de malas prontas para deixar a cidade e voltar para roça.... Caminho sonhado por qualquer mineiro. Cyro não permitiu. Convenceu-me a continuar trabalhando. Depois encontrei o Mestre Tollendal, essa grande figura humana, desprendida, idealista e profundo conhecedor de nossas mazelas em Cassi e Previ. Mais adiante, o saudoso Silvio Pedra, brilhante advogado e colega. E o eterno Ruy Brito. Esse, a quem chamo carinhosamente de meu “guru”. Nessa caminhada tive a sorte de ombrear com colegas de primeira linha, Altair de Castro Pereira, sereno, lúcido e firme dirigente da Unamibb, Ivan Kardec Franco, que Deus também já chamou para si e que, psicólogo e espírita, inundava o ambiente em que estivesse com sua luz de serenidade. Com sua partida abriu-se enorme vazio em nossas vidas, mas a sorte e todo o universo conspirando a favor, deu-nos Antonio Carlos Dias, o “Tunico Sargento”, da AFA.BH e também dirigente Unamibb que a todos encanta com sua solidariedade, compromisso com os colegas e um refinado bom humor. E quis Deus que eu tivesse a dádiva de encontrar nessas curvas da vida, uma colega de brio, raça, coragem, destemor e além de tudo isso, brilhante jornalista e profunda conhecedora dos meandros da internet; você, minha cara amiga, que com sua inteligência, criatividade e competência, deu asas à Federação. Então, Leopoldina, se eu tenho “competência” para alguma coisa nesta vida é apenas por sempre ter tido o privilégio divino de conhecer pessoas certas nas horas mais incertas. E não é isso que se espera dos amigos “o mais certo, nas horas incertas”? Pois eu os tenho e muitos.
    Fique com Deus, sei que você não crê em Deus, mas acredite! Deus acredita e aposta em você.
    Abraços
    Isa Musa

    ResponderExcluir
  3. Prezada Leopoldina,

    Assino embaixo, pelo valor da Isa e
    pelo apelo à União! Contem comigo!

    Aldo Alfano

    ResponderExcluir
  4. Para que tantos elogios mútuos? Vocês parecem gostar dos holofotes. Quem faz não diz que faz. Quem nada faz canta aos 4 ventos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para mostrar a você, que faz parte da gangue dos invejosos, que respeito, carinho e amizade são qualidade inerentes ao SERES HUMANOS.

      Sei quem é você e sei que de humanidade você não entende NADA. Aliás, você já demonstrou inúmeras vezes o quanto se sente incomodado com as luzes dos holofotes sobre mim. Até do meu diploma de jornalista você duvidou. Isto, meu Sr. é próprio dos invejosos de que trata esta matéria.

      Que tal se você deixasse de me observar tanto e fosse cuidar da sua vida ou fazer esta reclamação lá no blog do seu amigo, pois ninguém ler mesmo. Aquilo lá tá entregue às traças.

      Você é invejoso, fofoqueiro, tolo e idiota, e acima de tudo, burro. Veja bem, está incomodado com os nossos holofotes mas acaba de contribuir para aumentar ainda mais nossas luzes.

      Por favor, não vem mais aqui não, sou pela união não gosto de sair do sério, trato todo mundo muito bem, sou uma pessoa civilizada, mas minha educação é proporcional à minha estupidez e eu não gosto de tratar ninguém mal, mas não sou de engolir sapos não. Bateu, levou!

      Tenho dito!

      Leopoldina Corrêa

      Excluir
  5. Nossa amiga ISA MUSA sabe como agir, sem precipitações, tendo utopias (para o momento) como meta, mas sabendo atuar dentro da realidade atual. Há alguns anos, se outras qualidades não tivesse, só o fato de, através da UNAMIBB, dar suporte à atuação de RUY BRITO já a faria ingressar no rol daqueles que efetivamente têm lutado em defesa do Banco do Brasil e das legítimas reivindicações de seu funcionalismo (ativa e aposentados). Anoto que ISA atua sem alardes e com profundo respeito democrático às opiniões divergentes, mesmo quando estas são divulgadas agressivamente. Alguns há que propugnam pela destruição de entidades que têm condições de ser úteis ao funcionalismo, já ISA, não obstante problemas que as mesma possam atravessar, sabe aproveitar, em nosso favor, o lado bom das mesmas e tenta aprimorá-las. Continue assim, estimada ISA.

    JOÃO CARLOS LAGO NETO

    Rio de Janeiro - RJ, em 15/07/2013

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Lago,

      Obrigada por me ajudar a retribuir à Isa, pelo menos, com nossas palavras de carinho, respeito e amizade e acima de tudo, mostrar nossa gratidão por tudo que ela fez, faz e fará.

      Obrigada por prestigiar nosso blog. Volte sempre. Grande abraço.

      Leopoldina

      Excluir
  6. Neste breve espaço de tempo em que tomei conhecimento mais aprofundado do trabalho desses batalhadores (mulheres e homens), muito teria eu a dizer. Mas, à vista do conteúdo do artigo, a par da manifestação da própria colega D. Isa Musa, secundada por João Carlos Lago Neto, cabe-me simples repetição. As ações de D. Isa Musa e Leopoldina Correa só engrandecem a nossa coletividade de aposentados, pensionistas e funcionários da ativa. Brilham porque trouxeram a si a responsabilidade pelo bem coletivo. Com certeza jamais serão esquecidas, pois constantemente somos honrados com iniciativas que redundam em nosso próprio benefício. Longa vida, saúde e muita paz.

    Respeitoso abraço,
    Luiz Faraco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo Faraco,

      Eu é quem devo agradecer-lhe. Você está sempre atento e nos dando forças com seus incentivos para a luta.

      Minha intenção com esta postagem foi chamar a atenção dos colegas que perdem seu tempo a criticar quem ainda tenta fazer alguma coisa contra este Governo corrupto. As coisas não estão fáceis para o nosso lado e se ainda nos desestimulam as coisas só tendem a ir por água abaixo.

      Uma abraço amigo e mais uma vez obrigada.

      Leopoldina

      Excluir

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI