28 julho, 2014

GREVE A CAMINHO


Bancários decidem reivindicar reajuste salarial de 12,5%.
Se pedido não for aceito, pode haver greve às vésperas da eleição

Com pedido de 12,5% de aumento, governo pode enfrentar greve às vésperas das eleições.

São Paulo - Os bancários decidiram reivindicar um reajuste salarial de 12,5% (reposição da inflação projetada e aumento real). A pauta de reivindicações da Campanha Nacional Unificada 2014 foi definida entre esta sexta-feira, 25, e este domingo, 27. A categoria reuniu-se na 16ª Conferência Nacional dos Bancários. Foram 634 delegados eleitos em todo o País, que aprovaram os itens da pauta que será enviada aos bancos, informou o Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região. A reunião foi realizada em Atibaia, a 70 quilômetros da capital paulista.

Os trabalhadores também pedem participação nos lucros e resultados de três salários mais R$ 6.247,00, piso de R$ 2.979,25 (salário mínimo previsto pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, Dieese), além de 14º salário. A categoria decidiu ainda pedir um valor de um salário mínimo mensal (R$ 724,00) para cada um dos itens: vale-refeição, vale-alimentação, 13ª cesta e auxílio-creche ou babá. 

13 comentários:

  1. Não sei qual a intenção dessa coruja postar essa noticia, pois quando era da ativa, anos fhc, essa sra. NUNCA apoio greve, nem depois. Era uma bajuladora tucana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bajuladora tucana é a mãe!
      Mostra a sua cara de petralha seu covarde!
      Teu poartideco já era!

      Excluir
    2. O Brasil vai continuar mudando, madame, queira ou não.

      Excluir
    3. Coruja diga aí para esse babaca que coruja não pode ser tucano, pois já é coruja e como toda coruja exerce sua sabedoria e mostra sua face ao invés de se esconder, como um rato, atrás do anonimato.

      Excluir
    4. falou um rato. hehehehehehe

      Excluir
    5. Ô seu anônimo petralha, nem todos os anônimos se comportam como ratos. Há Anônimos e anônimos, há que se fazer as honrosas diferenças e estas não o que explicar, são bem distintas.

      Mas é bom que se diga que corujas se alimentam de ratos, portanto, os ratos precisam existir para que as corujas vivam.

      Ah! Eu sou uma coruja e em sendo coruja não posso ser nenhum outro animal qualquer: só coruja!

      Uma última informação: não sou fura-greve, sou sindicalizada, mas não sou sindicalista. NÃO SOU FIALIADA A PARTIDO NENHUM.

      SOU AGNÓSTICA e por carinho e respeito que eu tenha por todas as mães do mundo, não acredito nem na "mamãe noel".

      Excluir
  2. se você tem carinho por mãe então porque xinga a mãe dos outros.

    ResponderExcluir
  3. Justamente por isso. Tem filho que não aprendeu os ensinamentos da mãe nem quando era pequeno. Se não aprendeu até agora, infelizmente, a coitada da mãe é quem paga o pato. Veja o caso da Dilma que é mãe e avó mas não aprendeu a se comportar como tal, resultado: o povo não perdoou e tentou ensiná-la através dos xingamentos nos estádios, mas sabe quando ela vai aprender? Nunca!

    ResponderExcluir
  4. D. Leopoldina,
    Continuo defendendo a greve como a única ferramenta eficaz para o trabalhador se fazer ouvir. No nosso caso, que já estamos aposentados, não podemos mais utilizar desse mesmo instrumento. Contudo, por acreditar que a Novembrada, manifestação ocorrida na frente da Previ ano passado, despertou de certa forma a atenção dos que continuam nos humilhando, perguntaria a distinta colega se paira alguma plano no sentido de reativar aquele movimento.
    Semelhante postagem destinei aos blogs de alguns membros eleitos da Chapa 3, que inclusive participaram daquele ato público, mas para minha surpresa sequer foram publicados.
    Estariam se acovardando? Estariam nos traindo?
    Por fim, volto a lhe perguntar: Existe alguma Setembrada programada? Outubrada? Novembrada?

    Muito obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro colega anônimo,

      No que depender de mim, estarei sempre a postos, ou seja, de prontidão para quaisquer manifestações que venham a precisar de minha participação. Mas, que eu saiba, nada, nada e nada previsto.

      Grande abraço,

      Leopoldina

      Excluir
    2. A época, felizmente, da ditadura já passou, cenoura. Hoje ninguém fica a ostos nem de prontidão. Estamos na plena democracia e é por isso que qualquer alienado pode insultar nossas autoridades impunemente. Muita paz e tranquiludade para a sra.
      Mais um rato

      Excluir
  5. Prezados Eleitos da Chapa 3 Previ Livre Forte e de Todos,

    E agora que o período eleitoral terminou como superar todo possível mal-estar que possa ter surgido entre eleitores aposentados e pensionistas do PB-1 e do Previ Futuro? Certamente creio que nesse momento, todos nós, devemos voltar nosso olhar para nossos reais problemas e as propostas de campanha, superando todo espírito de crítica, de divisão e recomeçar nossa vida a partir da dura realidade, com a perca do Bet, a volta das contribuições e o fim da Esperança nas melhorias do Empréstimo Simples, que apenas acertou as prestações que ficou sem ser debitada entre janeiro a junho de 2014.

    É lógico que o espírito de críticas, de divisões é algo próprio da cultura atual, cultura essa formada principalmente pelo que nos dita uma parte dos nossos problemas, endividados, não endividados, pré ou pós, formula 170, agora os pós 87, sabemos bem que esses, na maioria das vezes, só conseguem passar uma imagem pessimista da realidade, pois só se interessam em transmitir escândalos, tragédias e futilidades.

    É algo evidente que em certos meios de comunicação social há uma exclusão voluntária do bem, bem esse que é real, feito pela minoria dos nossos dirigentes ou blogueiros, na maior parte da nossa vida e que, infelizmente, não fazem uma notícia boa para os nossos problemas, Infelizmente, nos nossos dias, muitas vezes o sensacionalismo sufoca a verdade e nossos aposentados e pensionistas,em especial do PB-1 da Previ, pode ceder à tentação ao pessimismo, ao espírito de crítica e divisão, que por si mesmo é estéril e incapaz de transformar a realidade.

    Gostaria que um porta voz neste encontro em Balneário Camboriú, olhando essas opções, talvez possamos entender que a escolha dos nossos Eleitos não é algo simples e automático.

    Dessa forma vemos que se um dirigente eleito se pronuncia, é criticado, se não se pronuncia, também é criticado.

    Em uma ou outra situação esse corre o risco de ser impopular e de decepcionar um grupo ou vários grupos que existe dentro da nossa Previ.

    O Renda Certa era para ter sido pago em 110 meses, mas em um ano e meio foi pago valor integral a todos os BENEFICIADOS OU MILIONÁRIOS, e nem por isso a Previ quebrou.

    Somos sempre roubados a luz do dia, e não podemos ter uma revisão justa nem mesmo em um dos melhores investimentos que a Previ faz, a volta das contribuições e as aplicações da Previ não rende o suficiente para equacionar o deficit que muitos dizem ser passageiro, ou nossos eleitos estão escondendo muito mais informações que a própria lei da confidencialidade pode sub julgar a nossa inteligencia.

    benefícios para os associados:

    a) Redução da Parcela Previ
    b) Suspensão das contribuições
    c) Aumento do teto de benefícios de 75% para 90%
    d) Revisão da proporcionalidade da Parcela Previ
    e) Criação do Benefício Especial Temporário (BET) de 20% sobre os complementos de aposentadoria e pensão.

    Entre 2006 e 2010, o teto de concessão de empréstimos simples aumentou de R$ 25.000 para R$ 100.000 e o prazo máximo aumentou de 48 para 96 meses,na gestão do Marcel J.Barros passou para 145.000 em 120 meses, com a formula 170 que exclui os mais idosos de ter os mesmos direitos dos mais jovens, pode se verificar que para os que tem mais de 60 anos piorou as condições de contratação do empréstimo simples.

    As propostas apresentadas até o momento não atende um segmento do PB-1 mais endividado, não resolve os problemas e cria insegurança jurídica, porque mais e mais aposentados e pensionistas vão buscar enquadramento na limitação dos 30%, garantidos na lei que é ignorada dentro da DIREÇÃO E DOS CONSELHOS DA PREVI.

    Ainda estamos em tempo de consertar esta situação que vai aumentar a insatisfação dos assistidos da Previ.

    Por fim sugiro mudanças urgentes, uma solução deve ser encontrada para os colegas em situação de penúria total, os eleitos nos deve uma solução imediata e conclusiva para por fim a esta situação criada com o voto favorável dos integrantes da chapa 3.

    Atenciosamente

    Rosalina de Souza
    Pensionista
    Matricula 18.161.320-4

    ResponderExcluir
  6. Prezado Colega Conselheiro Carvalho,

    Esclarecimento:

    Tradicionalmente a Previ sempre manteve suas taxa de juros abaixo das taxas de mercado, diga-se Bancos, o que muitas vezes não é percebido pelo aposentado e pensionista devido ao tipo de capitalização feita em seus produtos e seguros embutidos para preservar a liquidez da Previ. Deve-se levar em conta que a Previ não produz lucro, mas o atuarial , que é a diferença liquida para compor os ativos da Previ.

    NOTA: O Emprestimo Simples aumentou muito em termos de teto, hoje em 145.000 e limitou o prazo final em 120 meses, 10 anos com limitação dentro da formula 170.

    Veja meu exemplo:

    Devo de ES 86.547.67 atualizado em 03/08/2014.

    Se for renovar nas novas condições minha margem é de 1.307,08, abrindo um novo credito de 88.000.00 ( Flexibilização) hoje posso renovar em 108 meses, estou com 68 anos de idade.

    Ficarei com 108 prestações de 1307,08 e receberei de troco da Previ 1.337,08.

    A Previ recebe todas as prestações a vista que fiquei sem pagar entre janeiro e junho de 2014, acerta o caixa e capitaliza ainda mais juros e correções em cima da minha dramatica situação financeira.

    Tenho margem que suporta a renovação, mas eu pergunto ao colega conselheiro, iguais a mim, são muitos, que renovando recebe migalhas da Previ entre 1.000 e 3.000 reais.

    Ilustração real, com autorização para usar meu espelho como prova.

    Melhorias urgentes no Emprestimo Simples.

    1) O dinheiro que a Previ utiliza provem dos donos da Previ ou assistidos, a vista, a custo “zero”, fora a taxa de administração recebida em todas as renovações ou contratações.

    2) Temos condições de resolver este problema, com soluções do ponto de vista humano e do atendimento aos colegas em situação de penuria total e grande desespero, sua proposta de alongamento dos prazos é o remedio na doze certa, não queremos dinheiro novo, meu limite de emprestimo disponivel hoje é de 57 mil reais.

    3) As taxas dos bancos atualmente divulgadas não são reais, isto é, não valem para todos os casos. As taxas mais baixas indicadas seriam aplicadas em financiamentos de bens (automóveis p.ex) se ocorrer o pagamento de mais de 50% do seu valor e o prazo de pagamento do financiamento for de até 6 meses. E assim segue uma escala de taxas variáveis conforme o perfil do correntista e o prazo de liquidação. A taxa sobe a medida que o prazo se alonga, mas a Previ a gestão dos recursos são feitas a longo prazo, estudos são eleborados e resultados apresentados, o limite legal a modalidade de emprestimo ao participante 15% dos recursos é usado muito abaixo, desta realidade.

    Creio que um pouco de boa vontade, aliado ao real problema de muitos colegas, faz sentido uma revisão do produto Emprestimo Simples, acredito que o Conselho Deliberativo tem meios internos de si fazer intender que os participantes do PB-1, busca uma solução para esse problema que é antigo, vem de varias gestões e que com boa vontade, pode sanar de vez com esta situação de pedintes todos os anos.

    Todos nós queremos é melhores condições de pagar, não somos caloteiros, mas temos o direito de ser respeitados e para isso é necessário o alongamento do perfil das nossas dividas, restando infrutifera esta revisão, não faz sentido repetila nos proximos anos, esta questão tem que ter fim, até mesmo para que os Senhores possa debruçar sobre outros assuntos também de igual importância, as despesas administrativas deve ser o próximo alvo chave.

    Não concordo e não aceito que essa flexibilização tenha sido uma revisão, porque não houve fato novo, apenas foi feito um acerto para recebimento das parcelas não pagas, e mais uma vez a Previ usa de Malandragem ou Maquiagem ou Contabilidade Criativa para receber dos mutuários suspensos, e pior ainda foi que não se observou que a margem consignável também diminui com a volta das contribuições, neste aspecto para as pensionistas não se altera em nada vista que nós não contribuímos mais para a Previ, em compensação recebemos apenas 60% de complemento da Previ.

    ResponderExcluir

O blog Olhar de Coruja apoia AMIR SANTOS - No 5 - candidato a DIRETOR DE PLANEJAMENTO NA PREVI